Colunistas

Como funciona o ultrassom de próstata? | Colunistas

Como funciona o ultrassom de próstata? | Colunistas

Compartilhar

Allison Diego Bezerra

5 minhá 97 dias

Introdução

Com o passar dos anos, as ações que envolvem os cuidados da saúde do homem vêm ganhando cada vez mais notoriedade e importância, sendo de extrema importância a realização de exames preventivos. Embora muitos homens ainda possuam um relativo preconceito com o médico urologista, dentre essas ações preventivas, é indispensável que ocorra uma visita a essa especialidade médica ao menos uma vez ao ano.

Entre as diversas variantes que envolvem a saúde do homem, a próstata merece destaque. A próstata é maior glândula do sistema genital masculino, possui cerca de 3cm de comprimento, 4cm de largura e 2cm de profundidade no segmento anteroposterior. Anatomicamente, está localizada na região entre a bexiga e a pelve máscula, anterior ao reto. Essa glândula possui uma consistência de caráter sólido e firme, e envolve o segmento prostático da uretra.1

As patologias que envolvem essa glândula do sistema genital masculina são responsáveis por um grande número de mortes da população masculina mundial. Por causa disso, como estratégia preventiva, os médicos fazem uso da realização do ultrassom de próstata como método diagnóstico que auxiliará no tratamento. Dessa forma, é bastante relevante conhecer as indicações, o funcionamento e possíveis complicações que envolvem o ultrassom prostático.

Quando o ultrassom de próstata pode ser indicado?       

            O ultrassom de próstata é um dos exames de imagem mais utilizados pelos médicos urologistas como exame rotineiro para diagnosticar alterações que comumente atingem essa glândula, como a hiperplasia, que corresponde ao aumento do tamanho da próstata, a prostatite, que significa o surgimento de uma inflamação local e o câncer de próstata.2

            Geralmente, a partir dos 40 anos, é recomendado que os homens realizem exames rotineiros para avaliar a saúde da próstata. O ultrassom de próstata pode ser utilizado como estratégia preventiva diagnóstica, mas, na maioria das vezes, a realização desse exame é solicitado quando o médico responsável consegue observar por meio da anamnese, exame físico e testes laboratoriais condições que são características de uma próstata alterada. Dessa forma, entre esses achados, o ultrassom prostático pode ser indicado para pacientes que apresentem dores no pênis, disfunção erétil, diminuição do jato urinário, dores na região onde a próstata está localizada e situações nas quais o médico sente uma área anormal durante a realização do toque retal.

            Além dos sinais e sintomas mais comuns supracitados, a realização do ultrassom de próstata pode acontecer com o intuito de ajudar no diagnóstico de situação específicas. Por exemplo, pacientes que apresentam níveis de antígeno prostático específico (PSA) elevados, sugerindo acometimento de câncer de próstata, podem realizar o exame de ultrassom para auxiliar na confirmação ou negação da hipótese diagnóstica.

3. Como o ultrassom de próstata é realizado?  

            Para a realização do ultrassom de próstata, existem duas formas principais, por via abdominal e por via transretal.

3.1. Ultrassom da próstata por via abdominal

             A realização do ultrassom da próstata pela via abdominal é um procedimento bastantes simples, não invasivo, não causa dor, não emite radiação e dura cerca de 30 minutos. É utilizado para verificar o tamanho, formato e aspecto da glândula, uma estratégia para comprovar, ou para negar as impressões que o médico possuiu durante o exame de toque retal. Para uma melhor visualização desses parâmetros, é recomendado que o paciente ingira grande quantidade de água, que varia de acordo com as características de cada pessoa, com o intuito de uma melhor visualização da glândula durante a realização do exame. Após a realização desse tipo de exame, o médico fica mais capacitado para realizar indicações de tratamento ou solicitar novos exames que possibilitem o melhor prognóstico para o paciente.

3.2. Ultrassom da próstata por via transretal

                A utilização da via transretal geralmente é indicada quando existe a necessidade de uma melhor visualização da glândula ou quando é necessário a realização de uma biópsia diagnóstica.

            Para a realização desse exame, inicialmente é necessária a aplicação de um gel no canal retal do paciente com o objetivo de lubrificar e de eliminar possíveis bolhas de ar que podem atrapalhar na qualidade das imagens. Além desse objetivo de obter uma melhor visualização da próstata, como já foi citado, o ultrassom por via transretal também é utilizado para auxiliar em biópsias diagnósticas. Isso acontece porque a sonda é capaz de ajudar na visualização do canal retal, uma vez que pode  atuar como guia, para que o dispositivo de coleta de tecido fixado na  sonda, consiga chegar ao local desejado, possibilitando  uma boa qualidade de material tecidual,  para que seja realizado o exame de biópsia.

            Como principais indicações, é orientado que o paciente ingira algum laxante solicitado pelo médico ou que realize uma lavagem intestinal, com o fito de eliminar resíduos que podem atrapalhar a captação das imagens. Assim como na via abdominal, também é necessário ingerir uma boa quantidade de água que seja suficiente para encher a bexiga para melhorar a qualidade das imagens que serão obtidas.

Autor: Allison Diego

Instagram: @allison_diego

Compartilhe com seus amigos:
Política de Privacidade. © Copyright, Todos os direitos reservados.