Anestesiologia

ADRENALINA EM BOMBA DE INFUSÃO CONTÍNUA: COMO USAR? | Colunistas

ADRENALINA EM BOMBA DE INFUSÃO CONTÍNUA: COMO USAR? | Colunistas

Compartilhar

Bruna Venancio

3 minhá 230 dias

A administração de medicamentos vasopressores em bomba de infusão contínua é rotina na unidade de terapia intensiva e é fundamental para restaurar o estado hemodinâmico normal do paciente. Dentre esses fármacos, tem-se a adrenalina (ou epinefrina) uma amina simpatomimética (catecolamina) e seu mecanismo de ação envolve os receptores adrenérgicos alfa e beta, dos quais: o primeiro promove vasoconstrição, aumento da resistência vascular periférica e aumento da pressão arterial; e o segundo promove efeito inotrópico (aumento da contratilidade miocárdica) e de broncodilatação. É utilizada principalmente em situações de parada cardiorrespiratória, de choque anafilático e em crises asmáticas refratárias.

https://enfermagemnovidade.wordpress.com/2017/07/16/adrenalina-simpaticomimetico/

Apesar de ser cotidiana a prescrição de vasopressores na prática clínica, muitos profissionais não se encarregam de decorar as doses exatas de cada fármaco dessa classe, sendo essa habilidade inerente aos intensivistas mais experientes, pois há diversas variáveis a serem consideradas; por exemplo, as doses variam de acordo com o peso do paciente, é preciso calcular conforme a apresentação/concentração da ampola do devido medicamento, definir o volume de soro glicosado que é infundido junto e quanto de medicamento precisa-se administrar em um minuto para que se consiga a dose ideal em uma hora na corrente sanguínea do paciente.  

Muitas informações e muitos cálculos nos assustam e podem complicar na hora de tomar uma conduta clínica diante do paciente grave. Entretanto, para facilitar as nossas vidas, trago aqui a explicação de como calcular a dose de adrenalina em infusão contínua e, também, uma tabela indicando o ajuste da bomba infusora de acordo com o peso do paciente.

Entendendo os cálculos.

Ampola de adrenalina: 1mg/ml (1 ml);

Posologia: 0,1 mcg a 2 mcg/kg/min;

Prescrição: adrenalina (1 mg/ml) 10 ml + SG 5% 90 ml, deixando uma concentração de 0,1 mg/ml, ou seja, de 100 mcg/ml;

Portanto, se seu paciente pesa 50 kg, você irá administrar 50 mcg/min (1mcg/kg/min), ou seja, 0,5 ml do soro glicosado a 5% em que você aplicou anteriormente a adrenalina;

Como 1 hora tem 60 minutos, você irá ajustar a bomba para infundir 30 ml em 1 hora: 0,5 ml x 60 min = 30 ml/h.

Lembrando que é importante que a administração do vasopressor comece em doses menores e vá aumentando de acordo com o estado hemodinâmico do paciente.

Tabela (0,1 mg/ml) (dose em mcg/kg/min).

Fonte: Portal Pebmed.

Importante salientar que, com todas essas informações, a sua conduta frente ao seu paciente será facilitada. Porém, lembre-se de que a medicina precisa ser exercida não só com a mente, mas também com o coração. Afinal, você entrou nessa carreira para facilitar a vida do próximo.

AUTORA: Bruna Carolyne Venancio Lima

INSTAGRAM: @brunavenancio7

Compartilhe com seus amigos:
Política de Privacidade. © Copyright, Todos os direitos reservados.