Cirurgia geral

Alegrias do Internato de Cirurgia Geral

Alegrias do Internato de Cirurgia Geral

Compartilhar

Sanar Residência Médica

7 minhá 115 dias

O internato é um período de grande aprendizado na formação médica. O rodízio de Cirurgia Geral é um dos mais intensos, e ao mesmo tempo em que traz vários desafios, também oferece muitas experiências. Falaremos sobre isso nesse texto para abordar as alegrias do internato de Cirurgia Geral.

A Cirurgia Geral é a terceira especialidade com mais profissionais, atrás apenas de Clínica Médica e Pediatria, segundo a Demografia Médica no Brasil em 2018. São 34.065 especialistas no país (8% do total de especialidades). Como consequência, também é uma das especialidades mais concorridas nas provas de residência. Na prova da USP de 2020, por exemplo, Cirurgia Geral esteve entre as mais concorridas, com 9,8 candidatos/vaga.

Sem dúvidas é uma área que envolve diversos desafios e alegrias desde o internato. Para conhecer um pouco mais sobre as alegrias do internato de Cirurgia Geral, convidamos Felipe Oliveira, interno do 5º ano na Universidade do Estado da Bahia. O seu estágio em Cirurgia Geral foi feito no Hospital Geral Roberto Santos, em Salvador/BA.

O Internato de Cirurgia Geral

A Cirurgia Geral é uma área indispensável durante o internato. Além do aprendizado teórico, o rodízio possibilita treinamento em diversas áreas e discussões de casos clínicos, como nos conta Felipe:

“O rodízio na Cirurgia Geral, no serviço o qual atuei, era dividido em 4 blocos de atuação, sendo eles: Enfermaria de Cirurgia Geral, Centro Cirúrgico, Emergência da Cirúrgica Geral e Cirurgia Vascular. Atuei nesses blocos realizando admissões médicas a partir de entrevistas clínicas, exames físicos, análise de históricos médicos. Atuei ainda participando de discussões de casos clínicos com a equipe médica responsável”, explica.

Além disso, Felipe também conta um pouco da sua experiência com a realização de procedimentos, uma das etapas mais aguardadas pelos internos:

“Realizei procedimentos de rotina em enfermaria (como coleta de amostras de sangue, punções liquóricas, acessos venosos e arteriais, curativos, entre outros). Também pude auxiliar em diversas cirurgias, bem como acompanhar e participar ativamente de procedimentos de parada cardiorrespiratória, entre outros. Dessa maneira, aprendizados nesses blocos de atuação foram imensos”, revela.

Os desafios

Na visão de Felipe, os maiores desafios estavam relacionados aos problemas do serviço público de formal geral.

“Uma das maiores dificuldades no rodízio de cirurgia geral no qual atuei foi a grande demanda de pacientes internados a espera da realização de cirurgia”, revela.

Para ele, a questão “é uma grande dificuldade, pois se associa a falta de estrutura do serviço muitas vezes deficiente em insumos básicos, gestão e organização que acaba prejudicando a própria atuação médica e também da equipe de saúde além do próprio paciente que é o mais necessitado”, opina.

As alegrias do Internato de Cirurgia Geral

Ao contrário do que algumas pessoas imaginam, no rodízio de Cirurgia Geral o estudante tem amplo contato com o paciente desde o início. Para Felipe, essa foi uma das maiores alegrias do internato de Cirurgia Geral.

“O que mais gostei no rodízio de Cirurgia Geral foi estar em contato com os pacientes desde a sua entrada na emergência Cirúrgica, participando da sua Cirurgia e o acompanhando na enfermaria Pós-Cirúrgica. Foram as suas histórias de vida que me trouxeram grandes aprendizados e também o que me deixava mais feliz. Orientar, acolher, esclarecer, humanizar tudo isso é fundamental e fez parte da minha atuação nesse rodízio”, diz.

Além disso, para ele chegar cedo ao hospital não era problema, assim como toda a rotina relacionadas a exames, cirurgias e, principalmente, o contato com os pacientes.

“O que mais me deixava feliz era chegar cedinho no hospital por volta das 5:30 ou 6h da manhã, verificar os resultados dos exames lançados no sistema pelo laboratório, checar a possibilidade de realização de exames e cirurgias no dia, participar das discussões com a equipe, mas principalmente o que fazia meu coração explodir de alegria era entrar em contato com o paciente logo cedo no início da manhã, ouvir suas queixas, fazê-los sorrir, pegar em suas mãos, abraçá-los, caminhar com eles pelos corredores porque tudo isso é muito humanizador”, explica Felipe.

Conclusão sobre as alegrias do Internato de Cirurgia Geral

Apesar dos desafios, como a alta carga horária e as burocracias envolvidas na maioria dos serviços públicos, o rodízio de Cirurgia Geral proporciona muitas alegrias aos internos.

Felipe conta que foi muito feliz durante o rodízio de cirurgia geral principalmente pelo contato com pessoas, “isso me faz olhar sem julgar, me faz ter compaixão, atenção, paciência, dedicação, persistência e compreensão, me faz orientar, acolher e esclarecer”, explica.

Além disso, quando questionado em como esse período ficou em sua lembrança, Felipe relata que viu uma gama de atuações de profissionais e de exemplos médicos. Ao mesmo tempo, o que mais o marcou foi, novamente, a relação com os pacientes.

“Foi um dos momentos mais engrandecedores e desafiadores da minha vida. Evidentemente vi atuações boas e ruins. Vi grandiosos, magníficos e generosos exemplos e também péssimos exemplos, inclusive de muitos médicos. Mas foram os pacientes o bálsamo desse rodízio, esses sim. É a gente simples, carente, vulnerável e necessitada que ensina pra gente como viver a vida, sobretudo a partir de ensinamentos como humildade, simplicidade, empatia. É essa gente simples e doente que nos ensina a aprender a agradecer e a amar o outro, pois sem amor não conseguimos nos envolver, nos importar, ter empatia e verdadeiramente ajudar”, afirma.

Felipe conta ainda que foi um período que vai fazer muita diferença em sua carreira e que trouxe muitos aprendizados. “Aprendi que todo dia é um grande aprendizado para quem estar disposto a aprender. Aprendi que todo dia é dia de amar para aqueles que querem cultivar o amor em seus corações”, finaliza ele sobre as alegrias do Internato de Cirurgia Geral.

Sanar-Residência-Médica-Trial-Extensivo-R1-2021

Post relacionados

Veja a Rotina da Residência por especialidade!

Referências:

Residência em Cirurgia Geral: rotina, mercado e desafios!

Demografia Médica no Brasil 2018

Rotina da residência em Cirurgia Geral

Compartilhe com seus amigos:
Política de Privacidade. © Copyright, Todos os direitos reservados.