Anatomia de órgãos e sistemas

Anatomia do fígado, vascularização e anastomoses portossistêmicas | Colunistas

Anatomia do fígado, vascularização e anastomoses portossistêmicas | Colunistas

Compartilhar
Imagem de perfil de Júlia Mendonça

Introdução à anatomia

É importante você saber que, para fins didáticos, o abdome é dividido em regiões: o mais simples é dividi-lo em 4 quadrantes, outra maneira é dividi-lo em 9 segmentos. Mas por quê isso? Bom, além de auxiliar estudantes e médicos formados na localização dos órgãos da cavidade abdominal, também nos ajuda a caracterizar melhor os sintomas apresentados pelos pacientes.

Bombeiroswaldo: Quadrantes Abdominais - QSD (Quadrante Superior Direito) -  QSE (Quadrante Superior Esquerdo) - QID (Quadrante Inferior Direito) - QIE ( Quadrante Inferior Esquerdo)
Fonte: https://bombeiroswaldo.blogspot.com/2014/09/quadrantes-abdominais-qsd-quadrante.html?m=0

Explicação: Uma linha vertical através da linha alba (plano mediano) cruza uma linha horizontal que atravessa o umbigo (plano transumbilical), formando os quatro quadrantes: quadrante superior direito (QSD), quadrante inferior direito (QID), quadrante superior esquerdo (QSE) e quadrante inferior esquerdo (QIE).

  • É importante que você saiba correlacionar os devidos quadrantes com a localização dos órgãos da cavidade abdominal! 
  1. Na primeira imagem, podemos ver as 9 regiões delimitadas pelas linhas hemiclaviculares direita e esquerda (verticais) e pelas linhas subcostal e intertubercular (horizontais), que se cruzam. São essas regiões: hipocôndrios direito e esquerdo, epigástrica,  lombares direita e esquerda,  umbilical,  inguinais direita e esquerda e  hipogástrica. 
  2. Na segunda imagem, os respectivos órgãos delimitados pelas linhas consideradas. 
  • O fígado está localizado no quadrante superior direito do abdome, protegido pelo diafragma e pela caixa torácica. 
  • É a maior glândula do corpo, e depois da pele, o maior órgão.
  • Atua como órgão hematopoiético por um espaço de tempo no feto maduro.
  • Com exceção da gordura, todos os nutrientes absorvidos pelo sistema digestório são levados primeiro ao fígado pelo sistema venoso porta. 
  • Possui atividades metabólicas, armazena glicogênio e secreta bile. 

Quando falamos sobre a anatomia do fígado, podemos dividi-lo em faces:

 → A face diafragmática: lisa, com formato de cúpula, toda coberta por peritônio visceral, exceto posteriormente na área nua do fígado, onde está em contato direto com o diafragma. 

OBS: A área nua é demarcada pela reflexão do peritônio do diafragma para o fígado (podemos encontrar o ligamento coronário e o ligamento triangular direito envolvendo-os). Essa área é MUITO importante, porque sua inervação é diferente de todo o restante do fígado – sendo a dor referida pelo paciente em diferente localização.

→ A face visceral: também é coberta por peritônio, exceto onde entram e saem os vasos (veia porta, artéria hepática e vasos linfáticos). 

Também podemos dividi-lo em lobos:

→ 2 lobos anatômicos: o direito e o esquerdo, separados pelo ligamento falciforme do fígado e pela fissura sagital esquerda;

→ 2 lobos acessórios: o lobo quadrado e o lobo caudado, separados pelas fissuras sagitais direita e esquerda. 

11 Cap XI (Abdomem) - Anatomia Radiológica
Fonte: Atlas de Anatomia Netter, 8ª edição

Vascularização 

O fígado é um órgão de irrigação dupla (vasos aferentes): uma venosa dominante e uma arterial menor.

  • A veia Porta (formada pela união das veias mesentérica superior e esplênica) é responsável por trazer 75 a 80% do sangue para o fígado, pobre em oxigênio, que irá retornar ao coração pelo circuito sistêmico, mas rica em nutrientes – conduz praticamente todos os nutrientes absorvidos pelo sistema digestório, com exceção dos lipídeos. 
  • O sangue da artéria hepática própria representa 20 a 25% do total recebido, rico em oxigênio. No final, os sangues se misturam e saem do fígado pela veia hepática, em direção à Veia Cava Inferior. 

Então, resumindo em um esquema simples:

Anastomoses portossistêmicas

A veia Porta do fígado é o principal canal do sistema venoso porta. 

Sistema Venoso | Sistemas | Aula de Anatomia
Fonte: Atlas de Anatomia Netter, 8ª edição

As anastomoses portossistêmicas ou porto cavas comunicam o sistema venoso porta com o sistema venoso sistêmico, formando-se na parte inferior do esôfago, no canal anal, na região periumbilical e na área nua do fígado. 

  • Quando a circulação porta através do fígado é reduzida ou obstruída por uma doença hepática ou compressão causada por um tumor, o sangue do sistema digestório ainda pode chegar ao lado direito do coração pela Veia Cava Inferior, graças a essas vias colaterais. 
  • Essas vias alternativas estão disponíveis porque a veia Porta e suas tributárias não têm válulas, ou seja, o sangue pode refluir/voltar à Veia Cava Inferior. 
  • No entanto, o volume de sangue forçado pelas vias colaterais pode ser excessivo, resultando em varizes (dilatação anormal das veias), potencialmente fatais.
Varizes Esofágicas

Referências:

Livro de Anatomia Orientada do Moore, 8ª edição – página 480 a 487, e página 492

O texto acima é de total responsabilidade do autor e não representa a visão da sanar sobre o assunto

Gostou do artigo? Quer ter o seu artigo no Sanarmed também? Clique no botão abaixo e participe: