Anestesiologia

Anestesiologia: Uma arte Médica | Colunistas

Anestesiologia: Uma arte Médica | Colunistas

Compartilhar

DEFINIÇÃO:

A anestesiologia vem assumindo uma importância cada vez maior entre as especialidades médicas, ampliando sua função, período e áreas de atuação. Suas habilidades são indispensáveis ao exercício da Medicina, principalmente ao que tange os procedimentos cirúrgicos. Sendo extremamente detalhistas e perfeccionistas, eles são os responsáveis por garantir que o paciente passe do procedimento cirúrgico mais básico ao mais complexo, sem dor.

Para seguir essa carreira é preciso gostar primeiramente da área da saúde. É necessário também conhecimento sobre pacientes graves (UTI) e politraumatizados, reanimação cardiopulmonar, controle da dor pós-operatória e da dor crônica.

Existem três tipos de anestesia:

Anestesia Local – é aquela aplicada somente no local onde será feita a cirurgia. Utilizada para pequenos procedimentos cirúrgicos.

Anestesia Regional – A anestesia regional é um procedimento anestésico que visa anestesiar apenas a porção do corpo que será operada, e o paciente pode permanecer acordado ou sedado. Os tipos de anestesia regional mais utilizados, são: 

–  Anestesia peridural

– Anestesia subaracnoide ( Raquianestesia)

– Bloqueio de nervos periféricos.

Anestesia Geral – Nesta anestesia, retira-se a consciência do paciente. Pode ser inalatória, endovenosa ou utilizando ambas as técnicas (balanceada). É aplicada geralmente quando são feitas cirurgias de médio/grande porte ou em uma área extensa. 

Durante a cirurgia o Anestesiologista deve ficar bastante atento aos sinais vitais do paciente como a frequência respiratória, cardíaca, saturação de oxigênio e pressão arterial. São avaliados também: atividade muscular, volume urinário, nível de consciência, entre outras.

Passamos pela escolha e aplicação da anestesia com a monitorização contínua das funções vitais do nosso paciente, gerenciando todas as possíveis intercorrências per e pós-operatórias. Torna-se importante salientar diante disso, que a responsabilidade do anestesista diante da vida é uma das maiores da área médica.

Fisiologia, anatomia e farmacologia são algumas das áreas de conhecimento que integram a rotina deste profissional. Além disso, os médicos anestesistas precisam ter familiaridade com procedimentos cirúrgicos cada vez mais complexos, o que de certa forma exige atualizações e estudos contínuos.

O perfil do médico anestesiologista exige um gosto apurado por procedimentos invasivos e um apreço pelo uso de novas tecnologias. Nossa especialidade está intimamente relacionada com a tecnologia de ponta e, embora nada substitua o exame físico e atenção dada ao nosso paciente, a cada dia temos novos monitores, máquinas e dispositivos que podem facilitar muito nossa missão de oferecer o que há de melhor aos nossos pacientes.

A ROTINA DO ANESTESISTA:

O que chama mais a atenção na rotina do anestesista é a polivalência. O dia pode começar com a anestesia de um prematuro e terminar com a cirurgia de um idoso de 98 anos. Tal polivalência, exige um intenso treinamento e amplas habilidades técnicas.

Os melhores serviços possuem um intervalo para discussão, entre toda a equipe, dos casos mais interessantes do dia. Checadas as cirurgias verificamos se todos os pré-requisitos como disponibilidade de hemoderivados, leitos em uti, dentre outros estão disponíveis. Tão importante quanto, é realizar o check list das salas de cirurgia, com testes dos carros de anestesia, contagem e confirmação das drogas a serem utilizadas nas respectivas cirurgias levando em consideração as particularidades clínicas de cada paciente.

No primeiro contato do dia com o paciente, confirmamos as informações da visita pré-anestésica e exames de laboratório. Tudo isso deve ser feito de forma breve, porém, atenciosa. O dia termina quando avaliamos o último paciente submetido a procedimento cirúrgico na rotina.

FORMAÇÃO:

São necessários 6 anos de graduação em medicina mais 3 anos de residência médica na área, no mínimo, para se tornar um anestesista no Brasil.

MERCADO DE TRABALHO:

A versatilidade do anestesista o torna um profissional bastante desejado no mercado, sendo o interior do país uma área com grande demanda de profissionais, o que se reflete em boas ofertas de trabalho e salário atrativo, porém em algumas não raras situações terá que conviver com a deficiência estrutural. Nos grandes centros, a disputa por uma vaga se torna mais acirrada. A Medicina Intensiva caminha conjuntamente com a anestesia, o que por sua vez, amplia o mercado de trabalho para este especialista

MENSAGEM FINAL:

A Anestesiologia é uma especialidade maravilhosa, mas exige conhecimento e controle emocional em momentos de crise, muita disposição para acordar cedo todos os dias, determinação para cumprir sobreavisos, muito bom humor para lidar com nossa enorme carga de estresse e serenidade para resistir a falta de estrutura que ainda encontramos em nosso país, principalmente no interior.

A mensagem que deixo para os estudantes de medicina ou médicos que ainda não optaram por uma especialidade e que pleiteiam fazer anestesia e que sigam seus instintos e corações. È importante saber, que bem frequentemente trabalhamos no limite entre a vida e a morte o que nos impõe uma tensão adicional no dia a dia. No entanto, a vitória sobre a morte dignifica a nossa especialidade e nos dá um retorno que é impagável: o bem-estar de nosso paciente.

Se você se encontrou nesta breve descrição seja bem vindo a anestesia.

Compartilhe com seus amigos: