Compartilhar

Aneurisma Valvular Mitral Secundário a Provável Endocardite Infecciosa

Aneurisma Valvular Mitral Secundário a Provável Endocardite Infecciosa

Autores:

Anne Paula Delgado,
Pedro Mendes Gama

ARTIGO ORIGINAL

Arquivos Brasileiros de Cardiologia

versão impressa ISSN 0066-782X

Arq. Bras. Cardiol. vol.104 no.2 São Paulo fev. 2015

https://doi.org/10.5935/abc.20150014

Relatamos o caso de um homem de 54 anos com antecedentes de traumatismo torácico, em 2011, complicado por bacteremia ao MSSA (Staphylococcus aureus sensível à meticilina). Em 2012, foi feito diagnóstico de espondilodiscite. Em 2013, foi enviado à consulta de cardiologia por dispneia. O ETT demonstrou um aneurisma do folheto posterior da válvula mitral. O ETE confirmou a presença do aneurisma que condiciona insuficiência valvular de grau severo.

Após revisão dos antecedentes, e apesar de nunca ter sido confirmada endocardite infecciosa, os autores concluíram que esta última provavelmente estava associada ao aneurisma da válvula mitral.

Figura 1 TETT: Janela apical quatro câmaras – imagem de nódulo calcificado ao nível do folheto posterior (transição P1-P2) ao qual subjaz um aneurisma da válvula mitral em diástole (A) e em sístole (B) – seta branca. C. ETE: Janela medioesofágica cinco câmaras (0º) – imagem do aneurisma sacular do folheto posterior da mitral (seta verde). D. ETE: Janela medioesofágica duas câmaras: insuficiência mitral severa em Doppler cor – seta azul.