Compartilhar

Angina Vasoespástica Exuberante Simulando Doença Triarterial Grave

Angina Vasoespástica Exuberante Simulando Doença Triarterial Grave

Autores:

Bruno Marmelo,
Luís Abreu,
Júlio Gil,
Pedro Ferreira,
José Cabral

ARTIGO ORIGINAL

Arquivos Brasileiros de Cardiologia

versão impressa ISSN 0066-782Xversão On-line ISSN 1678-4170

Arq. Bras. Cardiol. vol.108 no.6 São Paulo jun. 2017

https://doi.org/10.5935/abc.20170071

Um homem caucasiano de 56 anos veio ao nosso hospital com queixas de opressão torácica relacionada a esforços e ocorrendo por vezes em repouso, com duração de alguns minutos. O paciente era fumante ativo, com hábitos etilistas moderados e apresentou um episódio de angina instável dois meses antes. Nesse episódio foram implantados dois stents farmacológicos, um na artéria descendente anterior distal e outro na artéria diagonal proximal. O ECG mostrou elevação leve do segmento ST em V1-V3 e inversão de onda T em V3-V5. Verificou-se um ligeiro aumento da Troponina I até 0,24 ng/mL, embora os exames de sangue tenham sido normais. O paciente foi internado na unidade coronariana e uma angiografia coronariana de urgência foi programada. O exame revelou estenose grave e difusa nos territórios das artérias coronárias direita e esquerda com fluxo lento (TIMI 1-2), com apenas os segmentos dos stents preservados (foto/vídeo 1). A administração de 2 mg de dinitrato de isossorbida intracoronário reverteu toda a estenose, mas o fluxo lento (TIMI 2) ainda foi observado na artéria coronária esquerda. Dessa forma, foi feito o diagnóstico de angina vasoespástica. O paciente foi controlado com sucesso com antagonistas de cálcio e permanece assintomático.

A angina vasospástica é comumente mal interpretada como síndrome coronariana aguda. Embora sua fisiopatologia não seja totalmente compreendida, geralmente tem um prognóstico favorável em longo prazo, ainda que os espasmos da artéria coronária possam ter um papel importante na geração de arritmias e subsequente parada cardíaca.

Figura 1 Angiograma coronariano esquerdo e direito mostrando estenose severa múltipla e fluxo lento. 

Vídeo 1 Angiograma coronariano esquerdo e direito mostrando estenose severa múltipla e fluxo lento seguido pela administração de dinitrato de isossorbida intracoronário e resolução da estenose. Acesse o vídeo pelo link: http://www.arquivosonline.com.br/2017/10806/video.asp