Compartilhar

Associação entre Esclerose Valvar Aórtica e Eventos Cardiovasculares Adversos

Associação entre Esclerose Valvar Aórtica e Eventos Cardiovasculares Adversos

Autores:

Cristiane Machado Lucena,
Rodrigo Pires dos Santos,
Felipe C. Marmelo

ARTIGO ORIGINAL

Arquivos Brasileiros de Cardiologia

versão impressa ISSN 0066-782Xversão On-line ISSN 1678-4170

Arq. Bras. Cardiol. vol.105 no.1 São Paulo jul. 2015

https://doi.org/10.5935/abc.20150081

Ao Editor

A presença de esclerose valvar aórtica (EVA) está associada com eventos cardiovasculares adversos, mesmo quando se leva em conta a presença de outros fatores de risco prévios. No Cardiovascular Health Study realizado com mais de 5.000 indivíduos de 65 anos ou mais, seguidos por cerca de 5 anos, a EVA esteve associada com um aumento de 40% no risco de infarto do miocárdio e com uma tendência de risco aumentado para angina, insuficiência cardíaca e acidente vascular cerebral nos pacientes sem doença cardiovascular inicialmente. Permanece incerto se o mecanismo da associação entre EVA e evolução clínica cardiovascular adversa é por aterosclerose difusa, disfunção endotelial, metabolismo alterado do cálcio, acúmulo lipídico, polimorfismo genético ou por outros fatores ainda não definidos1.

A EVA é caracterizada ao ecocardiograma pelo espessamento e aumento da ecogenicidade dos folhetos aórticos, sem restrição na mobilidade2. A lesão precoce da EVA é um processo ativo com algumas semelhanças à aterosclerose, incluindo aspectos histopatológicos e associação a fatores de risco para doença coronariana aterosclerótica, como idade, sexo masculino, hipertensão arterial sistêmica, níveis elevados de lipoproteína de baixa densidade-colesterol e lipoproteína(a), fumo e diabetes1. No estudo transversal de Marmelo e cols.2, que avaliou 2.493 indivíduos que apresentavam EVA ao ecodopplercardiograma transtorácico, foi encontrada maior prevalência de hipertensão arterial sistêmica, infarto do miocárdio prévio, diabetes, tabagismo, disfunção sistólica ventricular esquerda e esclerose valvar mitral. A utilização de uma análise multivariada permitiria uma exploração mais adequada da associação entre cada variável com o desfecho.

REFERÊNCIAS

Otto CM. Why is aortic sclerosis associated with adverse clinical outcomes? J Am Coll Cardiol. 2004;43(2):176-8.
Marmelo FC, Mateus SM, Pereira AJ. Associação entre esclerose valvar aórtica com doença arterial coronariana prévia e fatores de risco. Arq Bras Cardiol. 2014;103(5):398-402.
Otto CM. Why is aortic sclerosis associated with adverse clinical outcomes? J Am Coll Cardiol. 2004;43(2):176-8.
Marmelo FC, Mateus SM, Pereira AJ. Associação entre esclerose valvar aórtica com doença arterial coronariana prévia e fatores de risco. Arq Bras Cardiol. 2014;103(5):398-402.