Biomassa da parte aérea da vegetação da Floresta Tropical úmida de terra-firme da Amazônia Brasileira

Biomassa da parte aérea da vegetação da Floresta Tropical úmida de terra-firme da Amazônia Brasileira

Autores:

Niro HIGUCHI,
Joaquim dos SANTOS,
Ralfh João RIBEIRO,
Luciano MINETTE,
Yvan BIOT

ARTIGO ORIGINAL

Acta Amazonica

Print version ISSN 0044-5967On-line version ISSN 1809-4392

Acta Amaz. vol.28 no.2 Manaus June 1998

https://doi.org/10.1590/1809-43921998282166

RESUMO

Usando um banco de dados com 315 árvores, com DAP≥5 cm, foram testados quatro modelos estatísticos - linear, não linear e dois logarítmicos - para estimar a biomassa de árvores em pé. Os dados foram coletados, de forma destrutiva, na região de Manaus, Estado do Amazonas, em um sítio coberto por floresta de terra-fírme sobre platôs de latossolo amarelo. Em diferentes simulações com diferentes intensidades de amostragem, os quatro modelos estimam precisamente a biomassa, sendo que o afastamento entre a média observada e a estimada, em nenhuma ocasião ultrapassou 5%. As equações para estimar a biomassa de árvores individuais em uma parcela fixa, distintamente para árvores com 5≤ DAP<20 cm e com DAP≥20 cm, são mais consistentes do que o uso de uma única equação para estimar, genericamente, todas as árvores com DAP≥5 cm. O modelo logarítmico com apenas uma variável independente, o DAP, apresenta resultados tão consistentes e precisos quanto os modelos que se utilizam também da variável altura total da árvore. Além do modelo estatístico para estimar o peso da massa fresca total de uma árvore, outras informações são apresentadas, estratificadas nos diferentes compartimentos (tronco, galho grosso, galho fino, folhas e, eventualmente, flores e frutos) de uma árvore, como: concentração de água para estimar o peso da massa seca, concentração carbono e a contribuição do peso de cada compartimento no peso total.

Palavras-Chave: Carbono; manejo florestal; modelo estatístico; alometria

ABSTRACT

A data set with 315 trees with diameter at breast height (dbh) greater than 5 cm was used to test four statistical models - linear, non-linear and two logarithmics - to estimate aboveground biomass of standing trees. The data were collected destructively near Manaus, Central Amazonia, on a site covered by a typical dense "terra-flrme" moist forest on plateaus dominated by yellow oxisols. The difference between observed and estimated biomass was always below 5%. The logarithmic model using a single independent variable (dbh) produced results as consistent and precise as those with two variables (dbh and total height). Besides statistical models to estimate aboveground biomass, the following information are also presented in this paper: the contribution of each free component (stem, branch, twigs, leaves and flowers or fruits) to the total weight of a standing tree, water content to estimate the dry weight and carbon concentration of each tree component.

Key words: Carbon; forest management; statistical models; allometry

Política de Privacidade. © Copyright, Todos os direitos reservados.