Causa incomum de derrame pleural em paciente com insuficiência cardíaca

Causa incomum de derrame pleural em paciente com insuficiência cardíaca

Autores:

Daniel Bruno Takizawa,
Philippe de Figueiredo Braga Colares,
Olívia Meira Dias

ARTIGO ORIGINAL

Jornal Brasileiro de Pneumologia

versão impressa ISSN 1806-3713versão On-line ISSN 1806-3756

J. bras. pneumol. vol.45 no.5 São Paulo 2019 Epub 16-Set-2019

http://dx.doi.org/10.1590/1806-3713/e20180343

Paciente do sexo feminino, 56 anos, com diagnóstico prévio de cardiomiopatia dilatada idiopática, se apresentou com piora da dispneia ao longo de quatro dias. Seu histórico médico incluía o diagnóstico de pielonefrite xantogranulomatosa, que havia exigido nefrostomia à esquerda oito meses antes de sua apresentação. No momento da admissão, a radiografia de tórax mostrou derrame pleural à esquerda e cardiomegalia. Foi iniciado protocolo de sepse em virtude da hipotensão e da preocupação com derrame pleural parapneumônico ou empiema. A TCAR de tórax revelou rim esquerdo atrófico com múltiplas áreas hipoatenuantes com bolhas de gás (coleções) associadas a cálculos na pelve renal. Uma das coleções era claramente contígua ao espaço perirrenal próximo ao pilar diafragmático. A toracocentese diagnóstica mostrou exsudato amarelo com glicose e pH baixos e altos níveis de lactato desidrogenase e creatinina. A paciente foi diagnosticada com urinotórax e abscesso renal, recebeu antibioticoterapia e foi submetida à nefrectomia total. O urinotórax é uma causa rara de derrame pleural, mais frequentemente resultante de uropatia obstrutiva ou de lesão geniturinária iatrogênica/traumática.1-3 O líquido pleural do urinotórax geralmente revela um transudato que se resolve após a remoção da obstrução do trato urinário. A infecção associada leva a líquido pleural com pH e glicose baixos.

Figura 1 Em A, radiografia de tórax mostrando extenso derrame pleural à esquerda. Em B, reconstrução coronal de TC mostrando o rim esquerdo com cálculo calcificado e áreas hipoatenuadas, uma das quais drenando para o espaço perirrenal e causando derrame pleural à esquerda (seta preta). 

REFERÊNCIAS

1 Toubes ME, Lama A, Ferreiro L, Golpe A, Álvarez-Dobaño JM, González-Barcala FJ, et al. Urinothorax: a systematic review. J Thorac Dis. 2017;9(5):1209-1218.
2 Garcia-Pachon E, Romero S. Urinothorax: a new approach. Curr Opin Pulm Med 2006;12(4):259-63.
3 Ranjan V, Agrawal S, Chipde SS, Dosi R. Urinothorax: A path, less travelled: Case report and review of literature. J Nat Sci Biol Med. 2015;6(1):213-6.
Política de Privacidade. © Copyright, Todos os direitos reservados.