Como os Índices de Deformação Ecocardiográfica podem Distinguir Diferentes Tipos de Hipertrofia Ventricular Esquerda

Como os Índices de Deformação Ecocardiográfica podem Distinguir Diferentes Tipos de Hipertrofia Ventricular Esquerda

Autores:

José Luiz Barros Pena,
Wander Costa Santos,
Stanley de Almeida Araújo,
Glauber Monteiro Dias,
Eduardo Back Sternick

ARTIGO ORIGINAL

Arquivos Brasileiros de Cardiologia

versão impressa ISSN 0066-782Xversão On-line ISSN 1678-4170

Arq. Bras. Cardiol. vol.111 no.5 São Paulo nov. 2018

https://doi.org/10.5935/abc.20180223

Apresentamos casos de coração de atleta, CMH idiopática e cardiomiopatia de armazenamento de glicogênio (PRKAG2).

Os dois pacientes não atletas (Pcs) foram submetidos a estudos genéticos e biópsias miocárdicas.

O ecocardiograma mostrou HVE moderada a grave em todos os casos.

Caso 1,Figura 1-A,A-3 - Atleta, sexo masculino, 26 anos, prática intensa de exercícios. Função de imagem automatizada: 2D bullseye do VE mostrando Deformação Miocárdica Regional Longitudinal normal (DMRL), apesar de HVE. GLS (strain longitudinal global) -20,4%.

Figura 1 Ecocardiograma bidimensional (A, B, C), biopsias endomiocárdicas (B1, B2, C1, C2) e mapa bullseye (A3, B3, C3). 

Caso 2,Figura 1-B,B-1,B-2,B-3 - Sexo masculino, 26, taquicardia e palpitações com mutação da cadeia leve essencial da miosina 3. DMRL é tipicamente reduzida onde a hipertrofia é mais acentuada. GLS -14,0%.

Figura B-1 - Corte do miocárdio ventricular do VD na CMH, demonstrando hipertrofia e desorganização acentuadas dos miócitos (coloração HE).

Figura B-2- Coloração de tricromo de Gomori (GS) mostrando intensa fibrose na matriz extracelular (azul) e desarranjo da arquitetura de cardiomiócitos.

Caso 3,Figura 1-C,C-1,C-2, C-3 - Sexo masculino, 22, palpitações e taquicardia. A análise genética encontrou mutação missense, uma variante patogênica heterozigótica para PRKAG2 c.905 g > A p. (Arg302Gln). DMRL mostra níveis de deformação em um padrão listrado. GLS -10,5%.

Figura C1- VD corado com HE mostrando vacuolização de miofibras com inclusões macroscópicas de glicogênio granular dentro de vacúolos, sem desarranjo da arquitetura de cardiomiócitos.

Figura C2- GS mostrando intensa vacuolização de miofibras (branca) e fibras de colágeno da matriz extracelular sem fibrose (azul).

O STE (ecocardiograma por rastreamento de pontos) diferencia HVE e distúrbios infiltrativos. Tentamos identificar instantaneamente padrões relacionados com doenças.

Até onde sabemos, apresentamos o primeiro padrão em um mapa bullseye de mutação de PRKAG2 do Pc, diferenciado de outras causas de HVE.1 Recomendamos a análise do mapa polar GLS para melhorar a precisão nos exames ecocardiográficos envolvendo HVE moderada. O STE pode sugerir a etiologia, criticamente importante para melhorar as estratégias terapêuticas.

REFERÊNCIAS

1 Sternick EB, Oliva A, Gerken LM, Magalhães L, Scarpelli R, Correia FS, et al. Clinical, electrocardiographic, and electrophysiologic characteristics of patients with a fasciculoventricular pathway: the role of PRKAG2 mutation. Heart Rhythm. 2011;8(1):58-64.