Congresso: você tem fome de quê?

Congresso: você tem fome de quê?

Autores:

David Normando

ARTIGO ORIGINAL

Dental Press Journal of Orthodontics

versão impressa ISSN 2176-9451versão On-line ISSN 2177-6709

Dental Press J. Orthod. vol.22 no.5 Maringá set./out. 2017

http://dx.doi.org/10.1590/2177-6709.22.5.009-010.edt

O prazer dos banquetes não está na abundância dos pratos, mas, sim, na reunião dos amigos e na conversação. Cícero, filósofo romano.

A palavra congresso (do termo latino congressus) significa uma reunião de pessoas com o propósito de discutir um assunto do interesse de todos.

Todo mês de outubro de anos ímpares, a Associação Brasileira de Ortodontia e Ortopedia Facial (ABOR) realiza o seu. O objetivo é reunir pesquisadores, professores, especialistas e pós-graduandos que tenham a Ortodontia como seu Santo Graal. Neste ano, ocorre a 11ª edição do Congresso Internacional da ABOR, na cidade de Belém do Pará. É a primeira vez que ele será realizado na Amazônia brasileira.

Nessas paragens, existe o Museu do Encontro, localizado no Forte do Presépio. Nele, pode-se observar uma gravura do alemão Hans Staden, na qual índios tupinambás estão congregados para mais uma cerimônia. De origem tupi, aqueles indígenas habitavam quase toda a costa do Brasil antes da chegada dos portugueses. Eram conhecidos pelo seu espírito aguerrido e por realizarem encontros que, inicialmente, pareciam rituais de canibalismo. Essa prática antropofágica, entre boa parte dos índios tupinambás, acontecia por razões que ultrapassavam a função biológica da alimentação. O consumo de carne humana acontecia como um resultado de ações simbólicas desenvolvidas em situações de guerra entre diferentes povos. Para alguns, havia a crença de que por meio desse ritual poderiam incorporar a força do guerreiro capturado.

Os congressos são, portanto, atividades que realizamos desde antes do surgimento da ciência. Os de caráter científico têm como objetivo básico a difusão do conhecimento técnico-científico de forma mais célere, visto que as publicações científicas possuem um caminho mais longo e lento. Experts do mundo inteiro se reúnem para apresentar, de forma direta e bastante ilustrativa, a sua perspectiva sobre determinado assunto. Alguns, apoiados na ciência; outros, nem tanto - refutando ou questionando as evidências.

Quando os sistemas de transmissão de som e imagem à distância emergiram no meio acadêmico, no início dos anos 90, antes mesmo do advento da internet, o Prof. Omar Gabriel da Silva Filho foi indagado se essa tecnologia causaria o fim dos encontros científicos. Com a sabedoria que lhe cabe, respondeu que nada poderia substituir o contato frente a frente entre as pessoas; que a possibilidade de falar diretamente com um palestrante ou seus colegas, em uma reunião ou congresso, é uma atividade que existirá enquanto durar a nossa espécie. Omar sempre acreditou que há muito de sentimento em um evento científico. Sentir a entonação e emoção da voz, desfrutar da possibilidade de se aproximar dos palestrantes - alguns, verdadeiros ídolos -, tomar contato com ideias e produtos antes mesmo de que sejam lançados, apresentar dados do seu trabalho ainda em desenvolvimento e, principalmente, rever amigos que o tempo insiste em não abduzir são ações que nos permitem acreditar na previsão lúcida de Omar.

Congressos são, portanto, encontros que nos mantêm socializados, entrelaçados pela amizade. Sem dúvida, a ciência é o nosso alimento; todavia, assim como os nossos antepassados tupinambás, “a gente não quer só comida, a gente quer comida, diversão e arte”.

E você? Tem fome de quê?

David Normando - editor-chefe (davidnormando@hotmail.com)

REFERÊNCIAS

1 CAPES. Classificação da produção intelectual. 2014 [Acesso em: 10 Jan. 2017]. Disponível em:
2 Normando D. Science and impact: the challenge faced by Dental Press Journal of Orthodontics. Dental Press J Orthod. 2016 July-Aug;21(4):12-3.
3 Normando D. Dental Press Journal of Orthodontics and QUALIS. Dental Press J Orthod. 2015 Sept-Oct;20(5):12-3.
4 Normando D. The Brazilian orthodontic storm. Dental Press J Orthod. 2016 May-June;21(3):13-4.