Escalas radiológicas como uma ferramenta para o diagnóstico etiológico de pneumonia adquirida na comunidade pediátrica

Escalas radiológicas como uma ferramenta para o diagnóstico etiológico de pneumonia adquirida na comunidade pediátrica

Autores:

Dafne C. Andrade,
Cristiana Maria Nascimento-Carvalho

ARTIGO ORIGINAL

Jornal de Pediatria

versão impressa ISSN 0021-7557versão On-line ISSN 1678-4782

J. Pediatr. (Rio J.) vol.94 no.6 Porto Alegre nov./dez. 2018

http://dx.doi.org/10.1016/j.jped.2018.06.004

Caro Editor,

O uso do raios X de tórax como um método adjunto de diagnóstico da pneumonia adquirida na comunidade pediátrica (PAC) tem sido muito discutido nas últimas décadas. Até agora, uma comprovação atual demonstrou que os achados radiológicos específicos não podem ser usados de forma confiável no diagnóstico etiológico da PAC.1,2 Contudo, em nosso estudo, demonstramos que a presença de um raios X de tórax normal tem um alto valor preditivo negativo de infecção por Streptococcus pneumoniae, o agente bacteriano típico mais comum da PAC. Como agentes virais são os agentes etiológicos mais comuns da PAC pediátrica, esse achado pode ajudar no manejo clínico de crianças com sinais e sintomas de PAC ao selecionar aqueles que podem ser beneficiados pela antibioticoterapia empírica.3

Os protocolos padronizados para avaliação do raios X de tórax são úteis na interpretação desse exame. Em nosso estudo, usamos os critérios recomendados definidos pela Organização Mundial de Saúde.3,4 Contudo, escalas opcionais têm sido descritas e parcialmente validadas na prática clínica. Heinsohn (2018) mencionou a escala de Khampiramad,5 que é um sistema de classificação de características radiológicas como presença, tipo e local dos infiltrados pulmonares, derrame pleural, abcessos e atelectasia. Apesar de alta sensibilidade e especificidade terem sido descritas no uso dessa escala,6 é importante observar que é necessária validação adicional na configuração clínica, inclusive o uso de técnicas confiáveis e sensíveis para o diagnóstico etiológico de agentes bacterianos e virais da PAC. Contudo, é válido o reconhecimento dos padrões radiológicos, principalmente raios X de tórax normal, como uma ferramenta para o manejo da PAC pediátrica e precisa de investigação adicional.

Em conclusão, os raios X de tórax fornecem comprovação indireta dos agentes etiológicos da PAC. As escalas radiológicas ou sistemas de classificação que ajudam na diferenciação entre um raios X de tórax normal e pneumonia radiológica podem ser ferramentas úteis no manejo dos casos de PAC pediátrica, porém devem ser adequadamente validados antes de sua introdução na prática clínica.

REFERÊNCIAS

1 Korppi M, Don M, Valent F, Canciani M. The value of clinical features in differentiating between viral, pneumococcal and atypical bacterial pneumonia in children. Acta Paediatr. 2008;97:943-7.
2 Don M, Valent F, Korppi M, Canciani M. Differentiation of bacterial and viral community-acquired pneumonia in children. Pediatr Int. 2009;51:91-6.
3 Andrade DC, Borges IC, Vilas-Boas AL, Fontoura MS, Araújo-Neto CA, Andrade SC, et al. Infection by Streptococcus pneumoniae in children with or without radiologically confirmed pneumonia. J Pediatr (Rio J). 2018;94:23-30.
4 Cherian T, Mulholland EK, Carlin JB, Ostensen H, Amin R, de Campo M, et al. Standardized interpretation of paediatric chest radiographs for the diagnosis of pneumonia in epidemiological studies. Bull World Health Organ. 2005;83:353-9.
5 Heinsohn D. Khamapirad radiologic criteria as a predictor of pneumonia's bacterial etiology. J Pediatr (Rio J). 2018;94:689-90.
6 Moreno L, Bujedo E, Robledo H, Conci R, Marqués I, Mosca L, et al. Validez de la radiografía de tórax para diferenciar etiología bacteriana de viral en niños hospitalizados con neumonía. Arch Argent Pediatr. 2006;104:109-13.
Política de Privacidade. © Copyright, Todos os direitos reservados.