Estudo fitossociológico nas regiões de Carajás e Marabá - Pará, Brasil

Estudo fitossociológico nas regiões de Carajás e Marabá - Pará, Brasil

Autores:

Ralfli João RIBEIRO,
Niro HIGUCHI,
Joaquim dos SANTOS,
Celso Paulo de AZEVEDO

ARTIGO ORIGINAL

Acta Amazonica

Print version ISSN 0044-5967On-line version ISSN 1809-4392

Acta Amaz. vol.29 no.2 Manaus June 1999

https://doi.org/10.1590/1809-43921999292222

RESUMO

O estudo fitossociológico levou em consideração duas áreas localizadas em Carajás e Marabá, na região sul do Pará. A amostragem abordou dois níveis: 1) Indivíduos com DAP ≥ 20cm em parcelas de 20m x 200m e, II) Indivíduos com 5cm ≤ DAP ≤ 20cm em duas sub-parcelas de 10m x 10m no início c final das parcelas. Todos os indivíduos do segundo nível foram considerados como regeneração natural do povoamento adulto. Em Carajás utilizou-se 35 (trinta e cinco) unidades amostrais (parcelas) e em Marabá 22 (vinte c duas). Do ponto de vista de composição florística, as áreas estudadas apresentaram-se heterogêneas, com índices de Shanon-Weaver estimados em 3,66 e 3,71, respectivamente, para Carajás e Marabá. A equação hipsométrica comum que melhor ajustou os dados observados foi: h=[d2.38+0.1387h]2 As abundâncias médias foram 131,92 e 127,85 indivíduos/ha, respectivamente, para Carajás e Marabá. As estimativas de área basal foram 15,41 e 17,35 m2/ha nas regiões de Carajás e Marabá, respectivamente. A função de densidade I (Meyer) que melhor ajustou os dados de freqüência por classe de diâmetro (Fi) em função do centro de classe (DAP), para Carajás, foi Fi= e(9,56330614 - 0,07139847d) e Fi =e(8,96125691 - 0,06937877d) para Marabá. Também estimou-se que cerca de 36% das espécies existentes nas regiões estudadas possuem valor econômico no mercado madeireiro.

Palavras-Chave: Análise fitossociológica; inventário florestal; manejo florestal

ABSTRACT

The structural analysis was carried out in Carajás and Marabá regions, South of State of Pará. The sampling plots of the forest inventory were divided in two levels: I) main sample plot with 20m x 200m for all trees with dbh>20cm and, II) sub-sample plot with 10m x 10m for all trees with 5cm ≤ DAP ≤ 20cm at the beginning and at the end of the main sample. All trees of the level II were considered as natural regeneration of the studied forest. In Carajás were set up 35 (thirty five) sample plots and 22 (twenty two) in Marabá region. The Shanon-Weaver diversity indexes were 3.66 for Marabá and 3.71 for Carajás region. The observed data were better fitted by the following hypsometric function (relationship between height and dbh): h=[d2.38+0.1387h]2 The dominances averaged 131.92 and 127.85 trees/ha for Carajás and Marabá, respectively. The basal areas averaged 15.41 and 17.35 m2/ha for Carajás and Marabá. The density functions of Meyer which best fitted the observed data were Fi= e(9.56330614 - 0.07139847d) for Carajás and Fi =e(8.96125691 - 0.06937877d) for Marabá. For both regions about 36% of the inventoried species have some economical market value.

Key words: Phytosociological study; forest inventory; forest management

Texto disponível apenas em PDF
Política de Privacidade. © Copyright, Todos os direitos reservados.