Fístulas Coronárias Duais Simultâneas

Fístulas Coronárias Duais Simultâneas

Autores:

Ioannis Ntalas,
John B. Chambers,
Júlia Karády,
Ronak Rajani

ARTIGO ORIGINAL

Arquivos Brasileiros de Cardiologia

versão impressa ISSN 0066-782Xversão On-line ISSN 1678-4170

Arq. Bras. Cardiol. vol.110 no.4 São Paulo abr. 2018

https://doi.org/10.5935/abc.20180057

Um homem de 61 anos com diabetes mellitus tipo II foi encaminhado com falta de ar no esforço. Na auscultação, havia sopro sistólico de ejeção contínua na borda esternal superior esquerda. O ecocardiograma transtorácico mostrou um vaso dilatado na parede aórtica na visão do eixo longo paraesternal (Figura 1A) e uma lesão esférica na visão apical de 4 câmaras (Figure 1B). Um estudo coronário de angiografia tomográfica calculada (TCCA) revelou uma artéria coronária direita dilatada e ectásica (ACD). Originava-se na aorta ascendente na posição das 12 horas e seguia um curso tortuoso em torno do sulco atrioventricular do lado direito antes de passar para o septo inferior basal drenando na base do ventrículo direito. Uma conexão fistulosa adicional poderia ser detectada entre a artéria descendente posterior do ACD e a artéria descendente anterior esquerda (fístula ADE-ACD) (Figura 1G, H, I). Após um ecocardiograma normal de estresse com dobutamina, foi tomada a decisão de terapia médica contínua.

Figura 1 A-C) mostra o eixo longo paraesternal. Mostram as visões ETT de eixo longo paraesternal (1A) apical de 4 câmaras (1B) e do eixo curto (1C) do ventrículo esquerdo. A seta branca mostra a presença de uma estrutura esférica na visão de 4 câmaras e um vaso sanguíneo dilatado na visão do eixo curto. D-F) mostram as aparências correspondentes a TCCA desses achados nas mesmas "visões ecocardiográficas". G) mostra a imagem 3D do coração com ACD e ADE tortuosas e dilatadas. H) mostra a conexão anatômica da fístula ACD à base do VD inferior e uma continuação do ADP para a ADE e I) mostra a continuação da ADE para a ADP. VE: ventrículo esquerdo; VD: ventrículo direito; AE: átrio esquerdo; AD: átrio direito; Ao: aorta; MPA: artéria pulmonar principal; RVOT eto de saída ventricular direita; ETT: ecocardiograma transtorácico; TCCA: tomografia computadorizada cardíaca angiográfica; ACD: artéria coronária direita; ADE: artéria descendente anterior esquerda; ADP: artéria descendente posterior. 

As fístulas da artéria coronária primária (ACP) são comunicações congênitas raras entre uma ou mais artérias coronárias e uma câmara cardíaca ou um grande vaso. A ACD representa o local de origem mais frequente da ACP em 60% dos casos, seguido da artéria coronária esquerda em 35%, enquanto duas ACP são incomuns (< 5%).

O caso atual demonstra a utilidade do TCCA para elucidar de outro modo aparências ecocardiográficas transtorácicas incomuns.