Hérnia de amyand: hérnia inguinal com apendicite aguda

Hérnia de amyand: hérnia inguinal com apendicite aguda

Autores:

Olival Cirilo Lucena da FONSECA-NETO,
Rafael Cavalcanti de Carvalho LUCENA,
Cláudio Moura LACERDA

ARTIGO ORIGINAL

ABCD. Arquivos Brasileiros de Cirurgia Digestiva (São Paulo)

Print version ISSN 0102-6720

ABCD, arq. bras. cir. dig. vol.27 no.4 São Paulo Nov./Dec. 2014

https://doi.org/10.1590/S0102-67202014000400022

INTRODUÇÃO

A presença de apêndice vermiforme dentro de saco herniário não é frequente7. Na literatura a incidência reportada está em torno de 1% de todas as hérnias6. Mais raro ainda é o achado de apendicite aguda dentro da hérnia inguinal4.

Quando no conteúdo do saco inguinal encontrar-se o apêndice cecal, inflamado ou não, é denominado hérnia de Amyand5. Esse tipo de hérnia é mais frequente em homens e o diagnóstico pré-operatório não é fácil9. A suspeita dela deve ser nos pacientes com hérnia inguinal tensa e sem sinais de obstrução intestinal. A apendicectomia sempre deverá ser realizada juntamente com o reparo da hérnia.

O objetivo do presente estudo é apresentar um caso de apendicite aguda dentro da hérnia inguinoescrotal direita e revisar a literatura.

RELATO DE CASO

Homem de 35 anos, agricultor, procurou o Serviço de Cirurgia Geral do Hospital Universitário Oswaldo Cruz, Recife, Pernambuco, Brasil. Relatava aparecimento de massa em região inguinoescrotal direita há cerca de um mês sem dor. Há dois dias referia dor epigástrica associada com náuseas e vômitos. Procurou serviço de saúde de seu município onde recebeu tratamento para gastrite. Com a progressão da dor e localização dela na fossa ilíaca direita foi encaminhado ao hospital. No exame físico apresentava frequência cardíaca de 100 bpm, respiratória de 21 ipm, PA=130x80 mmHg e hérnia inguinoescrotal direita encarcerada com discreta irritação peritoneal. Foi encaminhado para procedimento cirúrgico que mostrou apêndice inflamado com secreção purulenta no seu ápice no saco herniário. Como o acesso cirúrgico foi a incisão transversa para hérnia inguinal, optou-se pela abordagem simultânea: apendicectomia + reparo a Bassini (Figura 1). Foi realizada antibioticoprofilaxia com metronidazol e ceftriaxona por 24 horas. Após dois dias recebeu alta sem intercorrências. O resultado do anatomopatológico confirmou apendicite.

Figura 1 - Apêndice cecal inflamado em hérnia inguinoescrotal direita 

DISCUSSÃO

Alguns autores acreditam que a primeira descrição do apêndice cecal na hérnia inguinal foi realizada por De Garengeot em 173110. Claudius Amyand (1681-1740), cirurgião francês refugiado na Inglaterra foi o primeiro a realizar apendicectomia13 , 11. A presença do apêndice no saco herniário ocorre em torno de 1% das hérnias inguinais e apêndice inflamado é encontrado em apenas 0,13% dos casos.

Uma variante, apendicite dentro da hérnia femoral, é chamada de hérnia de Garengeot4. Em 1937, Ryan descreveu 11 casos de apendicite aguda (dentro de hérnia inguinal) no universo de 8.692 casos de apendicite12. Outro autor1, reportou 10 casos com apendicite na hérnia inguinal durante nove anos consecutivos.

A etiopatogenia da formação da apendicite aguda é incerta. Muitos autores acreditam na associação entre encarceramento e inflamação do apêndice cecal no saco herniário, isto é, fenômeno isquêmico devido a compressão do órgão pelo anel herniário levando à apendicite14. Sintomas típicos da apendicite aguda, como dor epigástrica inicial que se localiza mais tarde na fossa ilíaca direita, náuseas, vômitos e anorexia também podem ser vistos nos pacientes com hérnia de Amyand. Na literatura, febre e leucocitose não são frequentes nesses pacientes13. Diagnóstico pré-operatório é incomum. Em um artigo de revisão, dos 60 casos de hérnia de Amyand apenas um caso teve o diagnóstico antes da operação14.

A presença de irritação peritoneal e dor precoce em hérnia encarcerada podem sugerir apendicite dentro do saco herniário. A utilização de métodos de imagem pode ajudar no diagnóstico4.

A abordagem cirúrgica é mandatória. Entretanto o tipo de operação ainda é controverso. Em condições habituais, o tratamento consiste em apendicectomia e heniorrafia de emergência8. Quando existe risco de desenvolvimento de complicações, como abscesso pericecal, a abordagem apendicular deve ser pré-peritoneal minimizando o aparecimento de infecção da ferida e recorrência da hérnia2.

REFERÊNCIAS

1. Carey LC. Acute appendicitis occurring in hernias: a report of 10 cases. Surgery 1967; 61:236-8.
2. Doyle GS, McCowan C. Amyand hernia: a case of an unusual inguinal herniace. Am J Emerg Med 2008; 26(5):637. e5-6.
3. Franko J, Sulkowki R. A rare variation of Amyand's Hernia. Am J Gastroenterol 2002; 97(10):2684-5.
4. Gillion JF, Bornet G, Hamrouni A, Jullès MC, Convard JP. Amyand and de Garengeot' hernias. Hernia 2007; 11(3):289-90
5. Hiatt JR, Hiatt N. Amyand's hernia. N Engl J Med 1988; 318(21):1402.
6. Hotiana MM, Kundu S, Ahmad I. Complicated inguinal hernia of Amyand. South Med J 2007; 100(4):411.
7. Lippolis PV, Barlettai M, Filidei F, Seccia M. The Amyand's hernia. Case report and review of the literature. Ann Ital Cir 2007; 78(2):153-7.
8. Logan MTBS, Nottingham JM. Amyand's hernia: a case report of an incarcerated and perforated appendix within an inguinal hernia and review of the literature. Am Surg 2001; 67(7)628-9.
9. Losanoff JE, Basson MD. Amyand hernia: what lies beneath--a proposed classification scheme to determine management. Am Surg 2007; 73(12):1288-90.
10. Priego P, Lobo E, Moreno I, Sánchez-Picot S, Gil Olarte MA, Alonso N, Fresneda V. Acute appendicitis in an incarcerated crural hernia: analysis of our experience. Rev Esp Enferm Dig (Madrid) 2005; 97(10):707-715.
11. Rodríguez Montes JA. Historias de la cirugía. AstraZeneca 2003; 87-102.
12. Ryan WJ. Hernia of the vermiform appendix. Ann Surg 1937; 106:135-9.
13. Torres Hernández D, Roselló Fina JR, del Campo Abad R, Canals Rabasa PP, Enríquez Weinmann ES. Hernia de Amyand: presentación de un caso y revisión de la literatura. Arch Cir Gen Dig 2003; 22 Sep. Available at: .
14. Weber RV, Hunt ZC, Kral JC. Amyand's hernia. Etiologic and therapeutic implications of two complications. Surg Rounds 1999; 22:552-6.
Termos de Uso | Política de Privacidade. © Copyright, Todos os direitos reservados.