Compartilhar

Hidroquímica da Amazônia Central III. Química da água de lavagem da floresta no ecossistema Campina Amazônica (Stemflow)

Hidroquímica da Amazônia Central III. Química da água de lavagem da floresta no ecossistema Campina Amazônica (Stemflow)

Autores:

Antonio dos Santos,
Maria de Nazaré Góes Ribeiro,
Jorge Salomão B. Ribeiro,
Sérgio Roberto B. Bringel

ARTIGO ORIGINAL

Acta Amazonica

Print version ISSN 0044-5967On-line version ISSN 1809-4392

Acta Amaz. vol.11 no.2 Manaus Apr./June 1981

https://doi.org/10.1590/1809-43921981112335

Resumo

No periodo de junho de 1974 a maio de 1975, foi estudada, através de análises químicas, a água de lavagem da floresta em três agrupamentos florísticos na Reserva Biológica de Campina. Esta abordagem procurou quantificar a entrada de íons e compostos orgânicos nutritivos usados por macro e micropopulações como fonte de energia e alimento, lixiviados através das precipitações do dossel da floresta. Os resultados das determinações químicas e físico-químicas (médias mensais) mostraram que nos três agrupamentos existem pequenas diferenças individuais nas quantidades carreadas de P-total N-NO-3 e Ca2+, enquanto que N-NH2+4, N-Orgânico, N-total e Mg2* apresentaram diferenças quantitativas apreciáveis. Entretanto as maiores quantidades lixiviadas foram de material orgânico. Os compostos nitrogenados mostraram ser mais facilmente carreados, seguidos em ordem decrescente do cálcio, magnésio e fósforo total em todo o sistema, exceção feita à campina onde a concentração de magnésio superou a do cálcio. As variações sazonais observadas com a liberação e transporte de nutrientes do dossel da floresta para o solo, estão intimamente ligadas à duração, à intensidade e à distribuição da precipitação pluvial, na área estudada.

Summary

During the period of June 1974 to May of 1975, three floristics groups were studied in the Biological Reserve of Campina at BR-174 road. The principle task of the research was to quantify the input of nutrient ions and organic materials, for use by macro and micro populations as sources of energy and food, by rain from the forest canopy (stem-flow). The results (montly average) showed litlle differences in the concentrations of total-P. and nitrate-nitrogen, while ammonia nitrogen, organic nitrogen and magnesium, showed different quantities of leaching in each of the three floristic groups. The total nitrogen compounds, the most easily leached, were followed in decreasing order by calcium, magnesium and phosphorus for all system, except for Campina where magnesium ions showed greater concentrations than calcium. Total organic materials always had the greatest quantities of leaching. Seasonal variations in leaching of the nutrient ions and organic materials from the forest to soil are closely related to the duration, intensity and distribution of rain in the study site.