Compartilhar

Infarto do Miocárdio Inferior Muito Complicado: O Papel da Abordagem com Multimodalidade de Imagens

Infarto do Miocárdio Inferior Muito Complicado: O Papel da Abordagem com Multimodalidade de Imagens

Autores:

Inês Cruz,
Carlos Cotrim,
Luís Lopes,
Paula Fazendas,
Hélder Pereira

ARTIGO ORIGINAL

Arquivos Brasileiros de Cardiologia

versão impressa ISSN 0066-782Xversão On-line ISSN 1678-4170

Arq. Bras. Cardiol. vol.106 no.5 São Paulo maio 2016

https://doi.org/10.5935/abc.20160073

Um paciente do sexo masculino de 47 anos de idade apresentou-se com um infarto do miocárdio (IM) subagudo inferior, complicado por ruptura do septo ventricular (RSV) inferobasal e foi submetido a reparo cirúrgico de emergência da RSV com retalho de pericárdio. No período pós-operatório ele permaneceu hipotensor, com baixa tolerância a exercício e um sopro holossistólico estava presente. O ecocardiograma mostrou persistência da RSV com shunt esquerdo-direito (Figura 1A) e revelou uma região aneurismática na parede inferobasal do ventrículo esquerdo (VE), sugestiva de um aneurisma verdadeiro devido a seu grande "colo" e transição suave do miocárdio normal para o aneurisma (Figuras 1A e 1B). A ressonância magnética cardíaca confirmou a RSV (Figuras 1C e 1D) com shunt significativo (Qp/Qs de 2,3), mostrou necrose transmural dos segmentos basal e médio da parede inferior e livre do ventrículo direito, com disfunção sistólica moderada e também revelou que a região inferobasal aneurismática do VE era na verdade um pseudoaneurisma, sem tecido miocárdico, mas com um trombo séssil e aderente dentro dele (Figuras 1E e 1F).

Figura 1 Imagem ecocardiográfica de eixo curto do segmento médio-ventricular mostrando RSV com shunt da esquerda para a direita (A). Imagem ecocardiográfica em corte de 2 câmaras, mostrando uma região aneurismática inferobasal (B). Cine-Ressonância Magnética Cardíaca (RMC) de eixo ventricular curto (C) e corte de quatro câmaras (D) mostrando o fluxo acelerado através da comunicação interventricular (seta branca). Imagens da RMC com realce tardio com gadolínio mostrando um pseudoaneurisma inferobasal ventricular esquerdo com um trombo (estrela, E e F). AD: átrio direito; AE: átrio esquerdo; VD: ventrículo direito; VE: ventrículo esquerdo. 

Em conclusão, este paciente apresentou com um IM inferior complicado por infarto do ventrículo direito, RSV inferobasal e pseudoaneurisma inferior com trombo organizado dentro dele. Complicações mecânicas são raras hoje em dia devido à revascularização precoce. A abordagem com multimodalidade de imagens é essencial para o diagnóstico correto.