Instrumentos de avaliação em saúde mental

Instrumentos de avaliação em saúde mental

Autores:

Sabrina Martins Barroso

ARTIGO ORIGINAL

Jornal Brasileiro de Psiquiatria

versão impressa ISSN 0047-2085versão On-line ISSN 1982-0208

J. bras. psiquiatr. vol.65 no.3 Rio de Janeiro jul./set. 2016

http://dx.doi.org/10.1590/0047-2085000000136

ABSTRACT

There are many scales and interview scripts potentially useful to assess emotional, cognitive and psychopathological aspects, but haven’t an instruments library to compile and make available such tools for professionals and mental health researchers. This limitation makes it difficult to locate tools and know their characteristics. For this reason the new book “Assessment tools in mental health” can be a great facilitator of clinical work and research. In this book several assessment tools are presented by type of construct evaluated. For example, instruments for evaluation of depression, mania, psychotic symptoms, among others. In addition, ways to build and validate instruments are addressed.

Key words: Scales; health evaluation; mental health

Para realizar uma boa avaliação em saúde mental, além de um profundo treinamento, o profissional pode contar com o apoio de manuais descritivos de Psiquiatria, roteiros de entrevista padronizados e escalas validadas, tanto para triagem quanto para diagnóstico. Por vezes saber que instrumentos existem e estão disponíveis para uso no Brasil é difícil, mas em 2016, com o lançamento do livro “Instrumentos de avaliação em saúde mental”, profissionais e pesquisadores ganharam um importante aliado.

O livro é composto por 12 partes, divididas por temática abordada. Como a escolha de um instrumento de avaliação requer a capacidade de analisar suas qualidades psicométricas, a primeira parte da obra é destinada a oferecer conhecimento básico sobre psicometria. Os capítulos 1.1 a 1.3 abordam a elaboração e adaptação transcultural de instrumentos de saúde mental para o Brasil. O capítulo 1.4 apresenta as qualidades psicométricas básicas que uma escala deve apresentar para poder ser utilizada, segundo a Teoria Clássica dos Testes. Os capítulos 1.5 e 1.6 abordam análises estatísticas frequentemente utilizadas para avaliação das qualidades psicométricas dos instrumentos, enquanto o capítulo 1.7 apresenta conceitos básicos da Teoria de Resposta ao Item, uma forma alternativa ou complementar de investigar as qualidades psicométricas de instrumentos de avaliação.

A parte 2 aborda roteiros de entrevista muito utilizados em Psiquiatria e pesquisa em saúde mental. Os capítulos 2.1 apresentam a Composite International Diagnostic Interview (CIDI) e o 2.2 aborda a Entrevista clínica estruturada para o DSM (SCID). O capítulo 2.3 apresenta o Questionário de Saúde Geral de Goldberg e o 2.4 traz informações sobre o Self-Reporting Questionnaire.

A parte 3 apresenta algumas das principais escalas de avaliação de sintomas depressivos validadas para o Brasil. Os capítulos seguintes acompanham a mesma lógica, trazendo informações básicas sobre escalas para avaliação de mania (parte 4), ansiedade (parte 5), sintomas psicóticos (parte 6), uso patológico de álcool e drogas (parte 7), comportamento alimentar (parte 8) e impulsividade (parte 9).

As partes 10 e 11 focam em instrumentos de avaliação que são utilizados em determinadas etapas específicas do desenvolvimento humano. Os capítulos da parte 10 abordam instrumentos úteis para avaliação de saúde mental de crianças e adolescentes.

Os instrumentos contidos na parte 11 destinam-se à avaliação de idosos.

A última parte do livro (parte 12) apresenta um compilado de escalas relevantes para a saúde mental não incluídas em outros momentos da obra, tais como instrumentos para avaliação da qualidade do sono, qualidade de vida, bem-estar, autoestima, religiosidade, coping, avaliações funcionais e ambiente familiar. Há também a apresentação de instrumentos úteis para avaliar progresso psicoterapêutico e personalidade. Essa é uma obra importante por compilar, em um único lugar, informações sobre diversos instrumentos validados, que podem ser utilizados por profissionais e pesquisadores, representando uma importante contribuição para a saúde mental.

REFERÊNCIAS

1. Gorestein C, Wang YP, Hungerbühler I (orgs). Instrumentos de avaliação em saúde mental. Porto Alegre: Artmed; 2016.
Termos de Uso | Política de Privacidade. © Copyright, Todos os direitos reservados.