Linfoma de tecido linfoide associado à mucosa de pulmão com calcificações internas na tomografia de emissão de pósitrons/TC

Linfoma de tecido linfoide associado à mucosa de pulmão com calcificações internas na tomografia de emissão de pósitrons/TC

Autores:

Rang Wang,
Minggang Su

ARTIGO ORIGINAL

Jornal Brasileiro de Pneumologia

versão impressa ISSN 1806-3713versão On-line ISSN 1806-3756

J. bras. pneumol. vol.46 no.3 São Paulo 2020 Epub 27-Mar-2020

http://dx.doi.org/10.36416/1806-3756/e20190330

Um homem de 68 anos com história de tosse seca há dois anos foi submetido a 18F-fluorodeoxyglucose positron-emission tomography/CT (18F-FDG PET/CT, tomografia por emissão de pósitrons com 18F-fluordesoxiglicose/TC) para a avaliação de massas pulmonares. Os resultados de exames laboratoriais, que incluíram hemograma completo e determinação de níveis séricos de marcadores tumorais, foram normais, exceto pelo nível sérico elevado de proteína C reativa. A 18F-FDG PET/CT revelou múltiplas massas hipermetabólicas, com calcificações internas dispersas, nos dois pulmões (Figura 1A-1C). O diâmetro máximo foi de 66 mm, e o valor de captação padronizado foi de 4,45. A biópsia por punção aspirativa transbrônquica por agulha confirmou o diagnóstico suspeito de linfoma mucosa-associated lymphoid tissue (MALT, tecido linfoide associado à mucosa) de pulmão. O paciente recebeu imunoterapia, e uma TC de seguimento mostrou que a massa diminuiu de tamanho, embora as calcificações permanecessem inalteradas (Figura 1D).

Figura 1 Tomografia por emissão de pósitrons (A), TC axial (B) e fusão de imagens (C), mostrando múltiplas massas ávidas por fluordesoxiglicose com calcificações internas dispersas nos dois pulmões. Uma TC de tórax de seguimento (D), após o tratamento, mostra que a massa diminuiu de tamanho, embora as calcificações permanecessem inalteradas. 

O diagnóstico mais comum para massa pulmonar com calcificação interna é granuloma. Os diagnósticos diferenciais incluem hamartoma, tumor carcinoide, metástase e carcinoma broncogênico primário.1 No entanto, a calcificação é raramente observada no linfoma. Ela está quase sempre associada a tratamento prévio, incluindo radiação e quimioterapia.2 A calcificação em linfoma MALT de pulmão não tratado tem sido raramente descrita na literatura, e seu mecanismo de base é desconhecido. A natureza ávida por FDG da lesão descrita aqui pode ser devida a seu grande tamanho.3 Em pacientes que apresentam massa pulmonar hipermetabólica com calcificações internas dispersas na 18F-FDG PET/CT, o diagnóstico diferencial deve incluir linfoma MALT.

REFERÊNCIAS

1 Amin SB, Slater R, Mohammed TL. Pulmonary calcifications: a pictorial review and approach to formulating a differential diagnosis. Curr Probl Diagn Radiol. 2015;44(3):267-276.
2 Suzuki L, Funari M, Rocha Mde S, Cristofani LM, Odone Filho V, Vieira GS. Calcification in primary lung non-Hodgkin lymphoma. Rev Hosp Clin Fac Med Sao Paulo. 1995;50(4):227-229.
3 Albano D, Borghesi A, Bosio G, Bertoli M, Maroldi R, Giubbini R, et al. Pulmonary mucosa-associated lymphoid tissue lymphoma: 18F-FDG PET/CT and CT findings in 28 patients. Br J Radiol. 2017;90(1079):20170311.
Política de Privacidade. © Copyright, Todos os direitos reservados.