Compartilhar

Mentoria em otorrinolaringologia, uma necessidade latente

Mentoria em otorrinolaringologia, uma necessidade latente

Autores:

Ricardo Vieira Teles Filho

ARTIGO ORIGINAL

Brazilian Journal of Otorhinolaryngology

versão impressa ISSN 1808-8694versão On-line ISSN 1808-8686

Braz. j. otorhinolaryngol. vol.85 no.5 São Paulo set./out. 2019 Epub 07-Nov-2019

http://dx.doi.org/10.1016/j.bjorl.2019.04.007

Lemos com grande interesse o editorial “A busca de mentores em otorrinolaringologia”.1 Concordamos grandemente com o autor quando diz que “Mentoria é fundamental. A orientação, a sabedoria e a benevolência de um colega experiente são muito importantes e guiarão uma carreira que se inicia”. A palavra inglesa mentoring (traduzida como mentoria ou tutoria em português) é derivada de um personagem da Odisseia de Homero. Mentor era um amigo de Ulisses que cuidou de seu filho Telêmaco enquanto o pai retornava da Guerra de Troia. Mentor, auxiliado pela deusa Atena, era um guia de conhecimento prático e também uma fonte de apoio pessoal para o jovem. Em tempos de aumento de burnout e elevação nas taxas de suicídio no meio médico, o tema é crucial.2 A orientação deve ser iniciada ainda na graduação, com a finalidade de auxiliar o acadêmico na escolha da residência, e deve persistir durante ela.3 Em especial na otorrinolaringologia, pois geralmente se trata de uma disciplina pouco ou superficialmente abordada durante a graduação, prevalece o desconhecimento da prática da especialidade no cotidiano na grande maioria das escolas médicas, e por se tratar de uma especialidade cirúrgica em que curvas de aprendizado tendem a ser maiores. Nesse sentido a mentoria se faz necessária, tanto na escolha da especialidade, quando o mentor pode contribuir ao mostrar a realidade, os desafios e dificuldades da área, como na residência, em que orienta os processos diários de aprendizado.4 Devemos fomentar realmente essa prática em nossos serviços para preparar o acadêmico para escolha e orientar o residente no aprendizado e desenvolvimento de habilidades, assim como Mentor em Odisseia. Guiar não somente no conhecimento teórico e prático inerente a especialidade, como também ser uma fonte de apoio pessoal para o jovem otorrino; se for vanguarda nessa prática, a otorrinolaringologia será referência em índices de desenvolvimento acadêmico e na qualidade de vida de seus residentes e especialistas.5

REFERÊNCIAS

1 Hwang PH. A call for mentorship in otolaryngology. Braz J Otorhinolaryngol. 2019;85:1-2.
2 Lee R, Seo B, Hladkyj S, Lovell B, Schwartzmann L. Correlates of physician burnout across regions and specialties: a meta-analysis. Hum Resour Health. 2013;11:48.
3 Burgess A, van Diggele C, Mellis C. Mentorship in the health professions: a review. Clin Teach. 2018;15:197-202.
4 Nimmons D, Giny S, Rosenthal J. Medical student mentoring programs: current insights. Adv Med Educ Pract. 2019;10:113-23.
5 DeMeyer ES, DeMeyer S. Mentoring the next generation of authors. Semin Oncol Nurs. 2018;34:338-53.