Compartilhar

O gênero e a idade influenciam as dimensões do palato duro? Revisão sistemática da literatura

O gênero e a idade influenciam as dimensões do palato duro? Revisão sistemática da literatura

Autores:

Luana Cristina Berwig,
Mariana Marquezan,
Jovana de Moura Milanesi,
Márlon Munhoz Montenegro,
Thiago Machado Ardenghi,
Ana Maria Toniolo da Silva

ARTIGO ORIGINAL

CoDAS

versão On-line ISSN 2317-1782

CoDAS vol.30 no.5 São Paulo 2018 Epub 29-Out-2018

http://dx.doi.org/10.1590/2317-1782/20182017216

INTRODUÇÃO

A avaliação miofuncional orofacial inclui a inspeção visual e subjetiva do palato duro por meio da avaliação antroposcópica. Atuais protocolos de avaliação clínica contemplam a avaliação da largura e da profundidade do palato duro(1,2), tendo em vista a importância da morfologia das estruturas do sistema estomatognático para o correto processamento das funções deste sistema (3).

O método de avaliação antroposcópica do palato duro, apesar de ser o mais utilizado entre os fonoaudiólogos, tem suas limitações devido à falta de parâmetros clínicos para classificar a largura e a profundidade do palato duro como normal, reduzida ou aumentada.

Pesquisas atuais na área da motricidade orofacial vêm sendo realizadas com o intuito de estudar os métodos quantitativos de avaliação que possam complementar o exame clínico miofuncional orofacial. Neste contexto, encontram-se na literatura alguns recursos para avaliação quantitativa do palato duro em pesquisas que tiverem como objetivo comparar as dimensões do palato duro entre diferentes grupos clínicos(4-8) ou ainda comparar as avaliações qualitativas e quantitativas do palato duro(3,9). Entretanto, para tornar o uso de tais recursos viáveis na prática clínica, é necessário conhecer os parâmetros de referências para análise quantitativa do palato duro de acordo com o gênero e idade.

Com base no exposto, justifica-se a realização desta revisão sistemática de literatura que buscou responder às seguintes questões: A idade e o gênero influenciam as dimensões do palato duro? Quais os parâmetros de referência das dimensões do palato duro?

OBJETIVO

O objetivo deste estudo foi realizar uma revisão sistemática da literatura para avaliar a influência do gênero e da idade nas dimensões do palato duro, bem como verificar os parâmetros de referência disponíveis na literatura.

Estratégia de pesquisa

Esta revisão sistemática da literatura buscou avaliar a associação entre gênero e idade com as dimensões do palato duro. Esta não é uma revisão sistemática de intervenção como descrito no Handbook Cochrane e PRISMA. Entretanto, as orientações do PRISMA foram seguidas sempre que possível.

Dois examinadores com conhecimento na área realizaram o processo de pesquisa de forma independente (LCB e MM). Foram pesquisados artigos publicados até junho de 2017 na Cochrane Library, PubMed-Medline e Web of Knowledge.

Apenas artigos na língua inglesa foram considerados. Adequações apropriadas nas palavras-chave foram realizadas para seguir as regras de sintaxe de cada banco de dados ( Tabela 1 ).

Tabela 1 Base de dados e estratégias de buscas utilizadas 

Base de Dados Descritores
Cochrane Library
http://cochrane.bvsalud.org/portal/php/index.php
(palat* or “dental arch”) and (measure* or height or depth or width or dimension) and (Korkhaus or compass or caliper or cone-beam or cast) and (“age groups” or age or sex or dimorphism or gender) not (deformities or airway or cleft or implant).
PubMed-Medline
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed
(palat* or “dental arch”) and (measure* or height or depth or width or dimension) and (Korkhaus or compass or caliper or cone-beam or cast) and (“age groups” or age or sex or dimorphism or gender) not (deformities or airway or “Cleft Palate” or cleft or implant or “mini implant” or miniscrew or thickness). Filter was checked for studies using HUMANS.
Web of Knowledge
http://apps.webofknowledge.com
(palat* or “dental arch”) and (measure* or height or depth or width or dimension) and (Korkhaus or compass or caliper or cone-beam or cast) and (“age groups” or age or sex or dimorphism or gender) not (deformities or airway or “Cleft Palate” or cleft or implant or “mini implant” or miniscrew or thickness).

Os dois examinadores avaliaram os títulos e resumos de todos os estudos encontrados. Resumos com informações insuficientes para permitir a tomada de decisão quanto à inclusão ou exclusão foram analisados na íntegra antes da decisão final. Artigos que apareceram em diferentes bases de dados foram considerados apenas uma vez. As diferenças encontradas entre os dois pesquisadores foram resolvidas por consenso. Os artigos selecionados foram então analisados com atenção para a avaliação da qualidade, controle do viés e para a extração de dados.

Salienta-se que foi necessário expandir a busca para os estudos que tivessem realizado medidas do arco dentário maxilar, devido à escassez de artigos que realizaram análise do palato duro. Justifica-se esta inclusão devido à estreita relação entre o palato duro e o arco dentário maxilar, já que ambos constituem o mesmo plano da maxila, apresentando semelhança em sua forma.

Critérios de seleção

Foram incluídos estudos observacionais ou experimentais realizados com humanos, que avaliaram as dimensões do palato duro ou do arco dentário maxilar com pelo menos uma mensuração no plano transversal, vertical ou sagital em oclusões normais ou más oclusões classe I de Angle e que tenham realizado comparações das dimensões entre o gênero e/ou idade.

Excluíram-se os estudos realizados com amostras com deformidades craniofaciais, fissuras de palato, síndromes, respiração oral, mordidas cruzadas, mordidas abertas e histórico de tratamento ortodôntico.

Análise dos dados

Após a leitura completa dos artigos selecionados, foram extraídos os seguintes dados: nome dos autores, ano de publicação, país onde o estudo foi realizado, delineamento, objetivo do estudo, características da amostra, instrumentos utilizados para mensuração do palato duro ou do arco dentário maxilar, descrição das medidas realizadas, média das medidas de acordo com o gênero e/ou idade e o valor da significância (valor de p) quando disponível.

A avaliação da qualidade e do risco de viés dos estudos incluídos foi realizada por meio da escala “Newcastle - Ottawa Quality” elaborada em sua versão original para estudos de coorte(10), sendo posteriormente adaptada para estudos transversais(11). Na escala, a pontuação é atribuída em número de estrelas compreendendo três domínios: seleção, comparabilidade e desfecho/resultado. A pontuação máxima pode ser de nove pontos para estudos de coorte e dez pontos para estudos transversais. Quanto maior a pontuação atingida, maior a qualidade interna e menor o risco de viés do estudo.

RESULTADOS

O fluxograma apresenta o resultado das buscas realizadas ( Figura 1 ). Foram encontrados 215 na base de dados Web of Knowledge, 114 artigos na Pubmed-Medline e 39 na Cochrane Library. De acordo com os critérios de seleção, 46 estudos foram selecionados de acordo com o título e resumo, dos quais cinco foram excluídos por serem duplicados. Após a leitura dos artigos na íntegra, 28 foram excluídos por não contemplarem os critérios de seleção, sendo incluídos 18 estudos.

Figura 1 Fluxograma da pesquisa realizada 

Na fase de extração dos dados dos 18 estudos incluídos nesta revisão sistemática, verificou-se variabilidade nos tipos de medidas realizadas e nos pontos de referência utilizados para sua obtenção. Em vista disso, optou-se por extrair as medidas relacionadas aos planos transversal, vertical e sagital, que são as de maior interesse para a Fonoaudiologia.

Para uma adequada apresentação da síntese dos resultados dos 18 estudos na Tabela 2 , foi necessário uniformizar as denominações das medidas e a respectiva abreviatura com menção ao ponto de referência utilizado ( Quadro 1 ). Quando os pontos de referência utilizados para mensuração foram marcados na gengiva, foram considerados dimensões do palato duro e, quando os pontos de referência foram marcados nos dentes (cúspides, sulcos ou fossas), foram considerados como dimensões do arco dentário maxilar.

Tabela 2 Estudos que compararam as dimensões do palato duro ou do arco dental maxilar entre gênero e/ou idade  

Autor, ano, país Amostra Instrumentos Mensurações no Gênero M milímetros (mm) Mensurações no Gênero F milímetros (mm) Análise estatística
Mina et al.(12)
Iran
54 sujeitos Modelo digitalizado: La.1M.sv=58,9 La.1M.sv=57,0 N.S. Entre gênero
M=25 F=29
12 a 16 anos -Medidas na imagem 3D com software Co.1M=32,42 Co.1M=30,82
Md. de idade: 14 anos
Patel e Daruwala(13)
Índia
60 sujeitos Modelo digitalizado: La.C.cus=34,97a La.C.cus=33,14a Letras iguais: diferença entre gênero
M=30 F=30 -Medidas na imagem 3D com software La.2M.cdv=58,84b La.2M.cdv=55,99b
18 a 25 anos Co.C=8,47c Co.C=7,86c
Co.2M=42,54d Co.2M=40,87d
Shahid et al.(14)
Paquistão
128 sujeitos Modelo de gesso: Paquímetro digital: Paquímetro digital: Letras iguais: diferença entre gênero
18 a 24 anos -Paquímetro digital La.C.cus=35,99a La.C.cus=34,24a
Modelo digitalizado: La.1PM.cv=43,37b La.1PM.cv=41,99b
-Técnica SM La.2PM.cv=48,97c La.2PM.cv=47,04c
La.1M.cmv=53,97d La.1M.cmv=52,16d
Técnica SM: Técnica SM:
La.C.cus=35,99e La.C.cus=34,26e
La.1PM.cv=43,37f La.1PM.cv=42,00f
La.2PM.cv=48,97g La.2PM.cv=47,04g
La.1M.cmv=53,97h La.1M.cmv=52,15h
Hasegawa et al.(15)
Japão
100 sujeitos da Mongólia: Modelo de gesso: Mongolianos: Mongolianos: Letras iguais: diferença entre gênero
M=50 F=50 -Paquímetro digital La.C.g=26,37a La.C.g= 25,37a
Md de idade: La.1PM.g=30,97b La.1PM.g=29,55b
20,8 anos La.1M.g=40,69c La.1M.g=38,32c
100 sujeitos do Japão La.1M.fc=51,58d La.1M.fc=49,11d
M=50 F=50 Co.1M= 32,32 Co.1M= 31,93
Md de idade: CoB.1M=32,80e CoB.1M=34,73e
20 anos LaB.1PM= 49,35f LaB.1PM=47,47f
Japoneses: Japoneses:
La.C.g=26,45g La.C.g= 22,96g
La.1PM.g=30,12h La.1PM.g=27,38h
La.1M.g =38,68i La1M.g=35,57i
La.1M.fc= 49,85j La.1M.fc=43,54j
Co.1M= 33,97l Co.1M= 30,28l
CoB.1PM=30,82 CoB.1PM=31,32
LaB.1PM: 46,52m LaB.1PM=40,41m
Ahn et al.(16)
Coreia do Sul
66 sujeitos Modelo digitalizado: La.c.cus: La.c.Cus: Letras iguais: diferença
entre gênero
M=16 F=50 -Medidas na imagem 3D com software 6 anos=32,33 6 anos=32,11
6 aos 14 anos 8 anos=34,33 8 anos=33,97
9 anos=32,92 9 anos=33,69
10 anos=33,77 10 anos=35,14
11 anos=33,53
La.C.cus: La.C.cus:
8 anos=34,30
9 anos=39,58 9 anos=35,14
10 anos=38,36a 10 anos=35,78a
11 anos=37,45 11 anos=35,85
12 anos=37,30b 12 anos=35,75b
13 anos=37,24c 13 anos=35,70c
14 anos=37,15d 14 anos=35,58d
Celebi et al.(17)
Turquia
142 sujeitos: Modelo de gesso: La.1PM.sc=35,95 La.1PM.sc=35,56 N.S.
Entre gênero
M=64 F=78 -Paquímetro digital La.1M.fc=46,25 La.1M.fc=45,18
14 a 15 anos
Heikinhei-mo et al.(18)
Finlândia
33 sujeitos: Modelo de gesso: La.C.cus: La.C.cus: Análise
descritiva
M=15 F=18 -Paquímetro digital 7 anos=32,49 7 anos=32,51
Avaliados aos 7, 10, 12, 15 e 32 anos 10 anos=33,89 10 anos=33,52
12 anos=35,76 12 anos=33,73
15 anos=35,85 15 anos=34,16
32 anos=35,41 32 anos=33,88
La.C.g: La.C.g:
7 anos=25,70 7 anos=25,63
10 anos=26,26 10 anos=26,32
12 anos=26,02 12 anos=24,96
15 anos=25,66 15 anos=24,95
32 anos=24,91 32 anos=24,54
La.1PM.cp: La.1PM.cp:
7 anos=31,42 7 anos=31,25
10 anos=31,67 10 anos=31,83
12 anos=31,44 12 anos=31,04
15 anos=31,68 15 anos=30,99
32 anos=31,04 32 anos=30,81
La.2PM.cp: La.2PM.cp:
7 anos=35,93 7 anos=35,34
10 anos=36,22 10 anos=35,95
12 anos=36,67 12 anos=36,32
15 anos=36,70 15 anos=35,92
32 anos=35,91 32 anos=35,67
La.1M.cmp: La.1M.cmp:
7 anos=40,26 7 anos=39,87
10 anos=41,10 10 anos=40,72
12 anos=41,71 12 anos=41,14
15 anos=41,89 15 anos=40,94
32 anos=41,03 32 anos=40,24
La.1M.cdp La.1M.cdp
7 anos=41,80 7 anos=40,97
10 anos=42,94 10 anos=42,29
12 anos=43,09 12 anos=42,79
15 anos=43,41 15 anos=42,41
32 anos=42,99 32 anos=41,98
La.1M.g: La.1M.g:
7 anos=32,96 7 anos=32,96
10 anos=33,76 10 anos=33,95
12 anos=34,72 12 anos=34,70
15 anos=35,37 15 anos=34,78
32 anos=35,31 32 anos=34,72
Kumar e Nandlal(19)
Índia
Grupo controle:
44 sujeitos
Modelo de gesso: La.1M.cmv La.1M.cmv Análise
descritiva
M=24 -Paquímetro digital 6-8 anos= 48,15 6-8 anos= 46,40
- 10 sujeitos de 6 a 8 anos -Paquímetro analógico com acessório para medir a altura palatina (palatal depth gauge) 10-12 anos= 51,21 10-12 anos= 52,89
- 14 sujeitos de 10 a 12 anos Co.1M Co.1M
F=20 6-8 anos= 26,18 6-8 anos= 24,40
- 7 sujeitos de 6 a 8 anos. 10-12 anos= 30,89 10-12 anos= 30,77
- 13 sujeitos de 10 a 12 anos Pr.1M Pr.1M
6-8 anos= 13,68 6-8 anos= 12,9
10-12 anos= 15,78 10-12 anos= 15,93
Rastegar-Lari et al.(20)
Kuwait
143 sujeitos: Modelo de gesso: La.C.cus=34,91 La.C.cus=33,63 Letras iguais: diferença entre gênero
M=69 F=74 -Paquímetro digital La.1PM.sd=38,4 La.1PM.sd=36,63
13 a 14 anos La.1M.cmv=52,39 La.1M.cmv=50,31
La.1M.fc=48,44 La.1M.fc=46,11
La.1M.g=36,08 La.1M.g=34,95
Co.1PM=28,43a Co.1PM=27,45a
Ribeiro et al.(21)
Brasil
19 sujeitos: Modelo digitalizado: Não realizou comparação entre os gêneros Letras iguais: diferença significativa entre o Tempo 1 e Tempo 2
M=7 F=12 -Medidas na imagem 3D com software La.C.cus:
Tempo 1: Tempo 1=30,94a
6 a 8,6 anos Tempo 2=34,15a
Tempo 2: La.1M.fc:
10,10 a 14,2 anos. Tempo 1=46,15b
Tempo 2=48,31b
Al-Khatib et al.(22)
Malásia
252 sujeitos: Modelo digitalizado: La.C.cus La.C.cus Análise descritiva para idades
M=126 F=126 -Medidas na imagem 3D com software 13-14 anos=35,4 13-14 anos= 34,1 Letras iguais: diferença
entre gênero
3 faixas etárias: 15-17 anos= 35,4 15-17 anos= 34,3
13-14 anos 18-30 anos= 35,2
La.1PM.cv
18-30 anos= 34,1
La.1PM.cv
15-17 anos 13-14 anos= 42,9 13-14 anos= 41,6
18-30 anos 15-17 anos=43,4 15-17 anos= 42,3
18-30 anos= 43,6 18-30 anos= 42,0
La.2PM.cv La.2PM.cv
13-14 anos= 49,4 13-14 anos= 47,0
15-17 anos= 49,7 15-17 anos= 47,6
18-30 anos= 49,1 18-30 anos= 47,1
La.1M.cmv La.1M.cmv
13-14 anos= 54,1 13-14 anos= 51,5
15-17 anos= 54,8 15-17 anos= 52,4
18-30 anos= 54,3 18-30 anos= 51,9
La.C.cus=35,30a La.C.cus=34,10a
La.1PM.cv=43,30b La.1PM.cv=42,00b
La.2PM.cv=49,4c La.2PM.cv= 47,2c
La.1M.cmv=54,4d La.1M.cmv=51,9d
Louly et al.(23)
Brasil
66 sujeitos Modelo de gesso: La.C.cus: La.C.cus: Letras iguais: diferença
entre gênero
M=29 F=37 -Paquímetro digital 9 anos=27,99 9 anos=27,04
9 a 12 anos -Compasso tridimensional Korkhaus 10 anos=26,72 10 anos=26,73
11 anos=26,56 11 anos=26,91
12 anos=26,51 12 anos=25,78
La.1PM.sc: La.1PM.sc
9 anos=36,89 9 anos=35,89
10 anos=35,28 10 anos=36,06
11 anos=35,57 11 anos=36,14
12 anos=36,48 12 anos=36,47
La.1M.fc: La.1M.fc:
9 anos=48,06 9 anos= 45,74
10 anos=46,69 10 anos=48,05
11 anos=47,14 11 anos=48,47
12 anos=48,93 12 anos=47,61
L2M.fc: L2M.fc:
10 anos=50,70 10 anos=52,16
11 anos=52,02 11 anos=52,98
12 anos=53,44 12 anos=53,56
Pr.Max.o:
9 anos=11,0
Pr.Max.o:
9 anos: 9,40
10 anos=11,71a 10 anos: 9,72a
11 anos=11,0 11 anos: 10,84
12 anos=12,20 12 anos: 10,87
Co.1M: Co.1M:
9 anos=40,00 9 anos=38,40
10 anos=39,00 10 anos=39,36
11 anos=39,05 11 anos=39,76
12 anos: 40,45 12 anos=39,87
Co.C: Co.C:
9 anos=14,50 9 anos=13,30
10 anos=13,57 10 anos=14,09
11 anos=14,27 11 anos=14,63
12 anos=15,37 12 anos=15,12
Co.1M-Co.C: Co.1M-Co.C:
9 anos=25,5 9 anos=25,10
10 anos=24,42 10 anos=25,27
11 anos=24,77 11 anos=25,13
12 anos=25,08 12 anos=24,75
Lombardo et al.(24)
Itália e Espanha
58 sujeitos europeus do sul: Modelo digitalizado: La.C.g=27,1 La.C.g=26,6 N.S.
Entre gênero
M=21 F=37 -Medidas na imagem 2D com software La.1M.g=36,7 La.1M.g=36,9
19 a 70 anos La.2M.g=42,2 La.2M.g=42,4
Co.C.g= 6,9 Co.C.g=6,6
Co.1M.g=29,3 Co.1M.g=28,9
Co.2M.g=38,5 Co.2M.g=42,1
Slaj et al.(25)
Croácia
43 sujeitos Modelo digitalizado: La.C.v= 37,51 La.C.v=36,38 Análise
descritiva
Classe I de Angle: -Medidas na imagem 3D com Software La.1M.v=56,22 La.1M.v=54,37
M=19 F=24 Co.C=9,50 Co.C=8,59
15 e 18 anos Co.1M =32,48 Co.1M =30,96
Arslan et al.(26)
Turquia
65 sujeitos Modelo de gesso: La.C.cus=31,97 La.C.cus=31,29 Letras iguais: diferença
entre gênero
M=29 F=36 - Paquímetro digital La.1PM.sc=35,55a La.1PM.sc=34,43a
Md de idade: La.1M.fc=45,84b La.1M.fc=44,15b
M= 9,44 anos Co.1M=28,16 Co.1M=26,88
F=9,74 anos
Tsai e Tan(27)
China
150 crianças Taiwanesas: Foto do modelo: La.2m.g.D=14,66a La.2m.g.D=14,18a Letras iguais: diferença
entre gênero
M=78 F=72 La.2m.g.E=15,42b La.2m.g.E=14,68b
4 a 5 anos - Medidas realizadas com Software Pr.2m.g=10,77 Pr.2m.g=10,67
La.2m.cmp=34,73c La.2m.cmp=33,18c
Hsu(28)
Taiwan
Grupo controle Largura:
Imagem da face oclusal do modelo copiada e impressa
La.1M.fc=49,81 La.1M.fc=48,73 Análise
descritiva
M= 30 Profundidade:
Modelo cortado ao nível da fossa central dos 1os molares e base distal copiada e impressa
La.1PM.sd= 32,91 La.1PM.sd= 32,09
12,8 a 18,3 anos - Medidas em folhas impressas com paquímetro digital Pr.1M.fc= 20,66 Pr.1M.fc= 20,99
(Md. 14,3)
F=30
12,9 a 19,1 anos
(Md.14,4)
Bishara et al.(29)
Estados Unidos
Dois grupos: Modelos dentários: La.anterior,g: La.anterior.g: Letras iguais:
6 semanas a 2 anos - Paquímetro analógico
(Dial caliper)
6 semanas=26,3a 6 semanas: 25,3l diferença
significativa entre idades
M=33 F=28 1 ano=28,6a,b 1 ano: 27,3l,m diferença
entre gênero
em todas as
idades
Avaliações com 6 semanas, 1 e 2 anos 2 anos=30,5b 2 anos: 29,3m
3 a 45 anos La.posterior.g: La.posterior.g:
M=15 F=15 6 semanas: 27,4c 6 semanas=26,9n
Avaliações aos 3, 5, 8, 13, 26 e 45 anos 1 anos=30,1c,d 1 ano=29,1n,o
2 anos=32,7d 2 anos=30,8o
La.c.cus ou La.C.cus: La.c.cus ou La.C.cus:
3 anos=28,8e 3 anos=27,4p
5 anos=30,3e,f 5 anos=28,4p,q
8 anos=32,5f,g 8 anos=30,7q,r
13 anos=35,1g 13 anos=33,1r
26 anos=34,0 26 anos=32,3s
45 anos=33,7 45 anos=31,9s
La.2m.cmv ou La.1M.cmv: La.2m.cmv ou La.1M.cmv:
3 anos=40,9h 3 anos=39,3t
5 anos= 43,5h,i 5 anos=40,8t,u
8 anos=51,0i,j 8 anos=48,1u,v
13 anos=53,4j 13 anos=50,1v,x
26 anos=53,6 26 anos=48,3x
45 anos= 53,4 45 anos=48,4

Legenda: M=gênero masculino; F=gênero feminino; Md=média; 3D=tridimensional; 2D=bidimensional; NS= não significativo

Quadro 1 Descrição das mensurações realizadas nos artigos, uniformização da nomenclatura e abreviação para extração dos dados  

Autor
ano
Descrição das mensurações realizadas no arco dentário
maxilar conforme os artigos selecionados
Nomenclatura padronizada e abreviações
utilizadas nesta Revisão
Mina et al. (12) 1. Largura intermolar: distância entre os sulcos vestibulares dos 1 o molares permanentes.
2. Profundida molar: distância entre o ponto de contato dos incisivos centrais e a linha que conecta os 1o molares permanentes.
1. Largura 1o molar maxilar entre os sulcos vestibulares (La.1M.sv).
2. Comprimento 1o molar: Co.1M.
Patel e Daruwala(13) 1. Largura intercanina: distância entre as cúspides dos caninos.
2. Largura inter 2o molar: distância entre as cúspides distovestibulares dos 2os molares.
3. Profundidade canina: distância entre o ponto de contato dos incisivos centrais e a linha que conecta as cúspides dos caninos.
4. Profundida 2o molar: distância entre o ponto de contato dos incisivos centrais e a linha que conecta as cúspides distovestibulares dos 2os molares.
1. Largura canina maxilar entre as cúspides (La.C.cus).
2. Largura 2o molar maxilar entre as cúspides distovestibulares (La.2M.cdv).
3. Comprimento canino maxilar (Co.C).
4. Comprimento 2o molar maxilar (Co.2M).
Shahid et al. (14)
1. Largura intercanina: distância entre as cúspides dos caninos.
2. Largura inter 1o pré-molar: distância entre as cúspides vestibulares dos 1os pré-molares.
3. Largura inter 2o pré-molar: distância entre as cúspides vestibulares dos 2os pré-molares.
4. Largura inter 1o molar: distância entre as cúspides mesiovestibulares dos 1os molares.
1. Largura canina maxilar entre as cúspides (La.C.cus).
2. Largura 1o pré-molar maxilar entre as cúspides vestibulares (La.1PM.cv).
3. Largura 2o pré-molar maxilar entre as cúspides vestibulares (La.2PM.cv).
4. Largura 1o molar maxilar entre as cúspides mesiovestibulares (La.1M.cmv).
Hasegawa et al.(15) 1. Intercanino lingual: distância entre os caninos na interseção da margem gengival e o longo eixo do dente.
2. Interpremolar lingual: distância entre os 1os pré-molares na interseção da margem gengival e o longo eixo do dente.
3. Intermolar lingual: distância entre os 1os molares no nível gengival do sulco lingual.
4. Intermolar central: distância entre as fossas centrais dos 1os molares.
5. Comprimento do arco coronal: medida entre o ponto mais anterior da gengiva na área de contato mesial dos incisivos centrais e o ponto mais distal dos 1os molares.
6. Comprimento do arco basal: medida entre o ponto distal dos 1os molares e o ponto mais anterior do arco basal.
7. Largura do arco basal: medida entre o ponto mais côncavo do osso basal na área dos 1os pré-molares.
1. Largura canina entre os pontos ao nível gengival (La.C.g).
2. Largura 1o pré-molar entre os pontos ao nível gengival (La.1PM.g).
3. Largura 1o molar entre os pontos ao nível gengival (La.1M.g).
4. Largura 1o molar maxilar entre as fossas centrais (La.1M.fc).
5. Comprimento 1o molar (Co.1M).
6. Comprimento do arco basal (CoB.1M).
7. Largura basal (LaB.1PM).
Ahn et al.(16) 1. Largura intercanino: distância entre as cúspides das coroas dos caninos decíduos ou permanentes. 1. Largura canina maxilar entre as cúspides dos caninos decíduos (La.c.cus).
2. Largura canina maxilar entre as cúspides dos caninos permanentes (La.C.cus).
Celebi et al.(17) 1. Largura interpremolar: distância entre os sulcos centrais dos 1os pré-molares.
2. Largura intermolar: distância entre as fossas centrais dos 1os molares.
1. Largura 1o pré-molar maxilar entre os sulcos centrais (La.1PM.sc).
2. Largura 1o molar maxilar entre as fossas centrais (La.1M.fc).
Heikinheimo et al.(18) 1. Largura intercanina:
a) distância entre as cúspides dos caninos;
b) distância entre os caninos medidas através da interseção da margem gengival com o longo eixo do dente.
2. Largura Interbicúspide 1o pré-molar: distância entre as cúspides linguais dos 1os pré-molares;
3. Largura Interbicúspide 2o pré-molar: distância entre as cúspides linguais dos 2os pré-molares.
4. Largura Intermolar:
a) distância entre as cúspides mesiolinguais;
b) distância entre a cúspide distolinguais;
c) distância da margem gengival ao nível das cúspides mesiolinguais.
1. Largura canina maxilar:
a) entre as cúspides (La.C.cus).
b) ao nível gengival (La.C.g).
2. Largura 1o pré-molar maxilar entre as cúspides palatinas (La.1PM.cp).
3. Largura 2o pré-molar maxilar entre as cúspides palatinas (La.2PM.cp).
4. Largura 1o molar maxilar (La.1M):
a) entre as cúspides mesiopalatinas (La.1M.cmp);
b) entre as cúspides distopalatinas (La.1M.cdp);
c) entre os pontos ao nível gengival (La.1M.g).
Kumar e Nandlal(19) 1. Largura intermolar: máxima distância retilínea entre as pontas das cúspides mesiovestibulares dos 1os molares.
2. Comprimento do arco maxilar: distância da linha que conecta os 1os molares até superfície labial dos incisivos centrais.
3. Profundidade do palato: da linha correspondente à distância intermolar até o palato.
1. Largura 1o molar maxilar entre as cúspides mesiovestibulares (La.1M.cmv).
2. Comprimento 1o molar (Co.1M).
3. Profundidade 1o molar maxilar (Pr.1M).
Rastegar-Lari et al.(20) 1. Largura entre os caninos: distância entre as cúspides dos caninos.
2. Largura entre os 1os pré-molares: distância entre o término distal do sulco dos 1os pré-molares.
3. Largura entre os 1os molares:
a) distância entre as cúspides mesiovestibulares dos 1os molares;
b) distância entre as fossas centrais oclusais dos 1os molares;
c) distância entre o ponto médio das faces linguais dos 1os molares.
4. Comprimento do arco: do ponto de contato entre os incisivos centrais até a linha que conecta o ponto mesial dos 1os pré-molares.
1. Largura canina maxilar entre as cúspides (La.C.cus).
2. Largura 1o pré-molar maxilar entre os sulcos distais (La.1PM.sd).
3. Largura 1o molar maxilar (La.1M):
a) entre as cúspides mesiovestibulares (La.1M.cmv);
b) entre as fossas centrais (La.1M.fc);
c) ao nível gengival (La.1M.g).
4. Comprimento 1o pré-molar maxilar (Co.1PM).
Ribeiro et al.(21) 1. Largura intercanina: distância entre as cúspides dos caninos.
2. Largura intermolar: distância entre o ponto médio das cúspides mesiopalatais, disto-palatais, mesiovestibulares e distovestibulares.
1. Largura canina maxilar entre as cúspides (La.C.cus).
2. Largura 1º molar maxilar entre as fossas centrais (La.1M.fc).
Al-Khatib et al.(22) 1. Distância intercanina: distância entre as cúspides dos caninos.
2. Distância inter 1o pré-molar: distância entre as cúspides vestibulares dos 1os pré-molares.
3. Distância inter 2o pré-molar: distância entre as cúspides vestibulares dos 2os pré-molares.
4. Distância intermolar: distância entre as cúspides mesiovestibulares dos 1os molares.
1. Largura canina maxilar entre as cúspides (La.C.cus).
2. Largura 1o pré-molar maxilar entre as cúspides vestibulares (La.1PM.cv).
3. Largura 2o pré-molar maxilar entre as cúspides vestibulares (La.2PM.cv).
4. Largura 1o molar maxilar entre as cúspides mesiovestibulares (La.1M.cmv).
Louly et al.(23) 1. Largura intercanina: distância entre as cúspides dos caninos.
2. Largura inter 1o pré-molar: distância entre os sulcos centrais dos 1os pré-molares.
3. Largura inter 1o molar: distância entre os sulcos centrais dos 1os molares.
4. Largura inter 2o molar: distância entre os sulcos centrais dos 2os molares.
5. Profundidade maxilar: da linha que conecta o plano oclusal até a maior profundidade do palato.
6. Comprimento total do arco: distância perpendicular a partir da linha que une os incisivos centrais e o ponto superior da rafe palatina até a linha que mede a profundidade ao nível dos 1os molares.
7. Comprimento do seguimento anterior do arco: distância perpendicular da linha que conecta os incisivos centrais até a linha que conecta as distais dos caninos.
8. Comprimento do seguimento posterior do arco: diferença entre o comprimento total da arcada e o comprimento do segmento anterior.
1. Largura canina maxilar entre as cúspides (La.C.cus).
2. Largura 1o pré-molar maxilar entre os sulcos centrais (La.1PM.sc).
3. Largura 1o molar maxilar entre as fossas centrais (La.1M.fc).
4. Largura 2o molar maxilar entre as fossas centrais (La.2M.fc).
5. Profundidade maxilar máxima ao nível do plano oclusal (Pr.Max.o).
6. Comprimento 1o molar maxilar (Co.1M).
7. Comprimento canino maxilar (Co.C).
8. Diferença entre o comprimento 1o molar maxilar e o comprimento canino maxilar (Co.1M-Co.C).
Lombardo et al.(24) 1. Diâmetro intercanino: distância entre os pontos mais proeminentes no eixo central da superfície lingual da coroa dos caninos.
2. Diâmetro intermolar ao nível dos 1os molares: distância entre os pontos mais proeminentes da superfície lingual dos 1os molares no centro da coroa clínica.
3. Diâmetro intermolar ao nível dos 2os molares: distância entre os pontos mais proeminentes da superfície lingual dos 2os molares no centro da coroa clínica.
4. Profundidade canina: é a distância do ponto entre os incisivos centrais e a linha que conecta os pontos mais proeminentes no eixo central da superfície lingual da coroa dos caninos.
5. Profundidade 1o molar: é a distância do ponto entre os incisivos centrais e a linha que conecta os 1os molares.
6. Profundidade 2o molar: é a distância do ponto entre os incisivos centrais e a linha que conecta os 2os molares.
1. Largura canina entre os pontos ao nível gengival (La.C.g).
2. Largura 1o molar entre os pontos ao nível gengival (La.1M.g).
3. Largura 2o molar entre os pontos ao nível gengival (La.2M.g).
4. Comprimento canino gengival (Co.C.g).
5. Comprimento 1o molar gengival (Co.1M.g).
6. Comprimento 2o molar gengival (Co.2M.g).
Slaj et al.(25) 1. Largura canina: distância entre os pontos clínicos dos braquetes dos caninos.
2. Largura intermolar: distância entre os pontos clínicos dos braquetes dos 1os molares.
3. Profundidade canina: distância desde a linha que conecta os pontos clínicos do braquetes dos caninos até o ponto entre os incisivos centrais.
4. Profundidade molar: distância desde a linha que conecta os pontos clínicos do braquetes dos 1os molares até o ponto entre os incisivos centrais.
1.Largura canina maxilar entre as vestibulares (La.C.v).
2. Largura 1o molar maxilar entre as vestibulares (La.1M.v).
3. Comprimento canino maxilar (Co.C).
4. Comprimento 1o molar maxilar (Co.1M).
Arslan et al.(26) 1. Largura canina maxilar: distância entre as cúspides dos caninos.
2. Largura pré-molar maxilar: distância entre os sulcos centrais dos 1os pré-molares.
3. Largura molar maxilar: distância entre os pontos das fossas centrais dos 1os molares.
4. Profundidade do arco maxilar: distância perpendicular desde a superfície labial dos incisivos centrais até a linha entre as fossas centrais dos 1 os molares.
1. Largura canina maxilar entre as cúspides (La.C.cus).
2. Largura 1o pré-molar entre os sulcos centrais (La.1PM.sc).
3. Largura 1o molar maxilar entre as fossas centrais (La.1M.fc).
4. Comprimento 1o molar maxilar (Co.1M).
Tsai e Tan(27) 1. Largura palatal do lado direito: distância entre o ponto cervical do 2 o molar decíduo direito ao ponto da linha perpendicular na rafe palatina.
2. Largura palatal do lado esquerdo: distância entre o ponto cervical do 2 o molar decíduo esquerdo ao ponto da linha perpendicular na rafe palatina.
3. Profundidade do palato: distância entre o ponto da rafe palatina até a linha que conecta os 2os molares decíduos ao nível gengival.
4. Largura do arco dental. Distância entre as cúspides mesiopalatinas dos 2os molares decíduos superiores.
1. Largura 2o molar decíduo do ponto ao nível gengival do lado direito (La.2m.g.D)
2. Largura 2o molar decíduo do ponto ao nível gengival do lado esquerdo (La.2m.g.E)
3. Profundidade palatina gengival (Pro.2m.g).
4. Largura 2o molar decíduo entre as cúspides mesiopalatinas (La.2m.cmp).
Hsu(28) 1. Largura intermolar superior: distância entre as fossas centrais dos 1 os molares superiores.
2. Largura inter pré-molar superior: distância entre os sulcos distais dos 1os pré-molares superiores.
3. Profundidade do palato: distância da parte mais profunda do palato até a linha que conecta as fossas centrais dos 1os molares superiores.
1. Largura 1o molar maxilar entre as fossas centrais (La.1M.fc).
2. Largura 1o pré-molar maxilar entre os sulcos distrais (La.1PM.sd).
3. Profundidade 1o molar maxilar (Pr.1M).
Bishara et al.(29) 6 semanas a 2 anos
1. Largura do arco maxilar anterior: distância entre os pontos dos sulcos laterais ao nível da crista alveolar.
2. Largura do arco maxilar posterior: distância entre os pontos da margem posterior da gengiva ao nível da crista alveolar.
3 a 45 anos
1. Largura intercanina: distância entre as pontas das cúspides dos caninos.
2. Largura intermolar decíduo: distância entre as pontas das cúspides mesiovestibulares dos 2os molares decíduos (3 a 5 anos).
3. Largura intermolar permanente: distância entre as pontas das cúspides mesiovestibulares dos 1os molares permanentes para todas as idades subsequentes.
1.Largura maxilar anterior entre os pontos ao nível gengival (La.anterior.g).
2. Largura maxilar posterior entre os pontos ao nível gengival (La.posterior.g)
1. Largura canina maxilar entre as cúspides (La.C.cus).
2. Largura 2o molar decíduo entre as cúspides mesiovestibulares (La.2m.cmv).
3. Largura 1o molar permanente entre as cúspides mesiovestibulares (La.1M.cmv).

A uniformização das denominações das medidas do palato duro no Quadro 1 foi realizada devido à falta de padronização no emprego das nomenclaturas das medidas realizadas nos 18 estudos. Verificou-se que cinco estudos denominaram as medidas do plano sagital do arco como profundidade(12,13,24-26), enquanto outros quatro as denominam de comprimento(15,19,20,23). Já em quatro estudos a medida denominada de ‘profundidade’ se relacionou ao plano vertical(19,23,27,28). Em vista disso, optou-se por padronizar as medidas do plano sagital como ‘comprimento’ e as do plano vertical como ‘profundidade’. As medidas do plano transversal foram denominadas de ‘largura’ ( Quadro 1 ).

Todos os estudos incluídos realizaram as medidas tendo por base os modelos de gesso do arco dental maxilar. As medidas foram realizadas diretamente nos modelos com paquímetro digital ou analógico(14,15,17-19,20,23,26,29), paquímetro analógico com acessório para medir a altura palatina(19)ou com compasso tridimensional de Korkhaus(23); em modelos digitalizados, em fotos e copiadoras, sendo mensurados a partir de softwares(12-14,16,21,22,24,25,27); e em cópias impressas dos modelos com mensurações realizadas com paquímetro digital(28).

Quanto aos pontos de referência utilizados na obtenção das medidas, a maioria utilizou algum ponto anatômico do dente (dimensões do arco dentário maxilar) e apenas seis estudos(15,18,20,24,27,29) realizaram pelo menos uma medida tendo por base algum ponto no rebordo gengival, o que possibilitou a obtenção das dimensões do palato duro. Todos os estudos consideraram o plano transversal na realização das medidas, nove também realizaram medidas no plano sagital(12,13,15,19,20,23-26) e quatro no plano vertical(19,23,27,28).

Análise das dimensões do palato duro ou do arco dentário maxilar de acordo com o gênero e a idade

Os 18 estudos incluídos nesta revisão, foram publicados entre 1997 e 2016. Treze apresentaram delineamento transversal(12-15,17,19,20,22-25,27,28) e cinco, longitudinal(16,18,21,26,29). Destes, 11 apresentaram as dimensões do palato duro ou do arco dentário maxilar conforme o gênero(12-15,17,20,24-28), seis conforme idade e gênero(16,18,19,22,23,29) e somente um estudo apresentou as dimensões do palato duro conforme a faixa etária(21) ( Tabela 2 ).

Algumas constatações puderam ser realizadas ao analisar as informações destinadas à comparação das dimensões do palato duro e do arco dentário maxilar com relação ao gênero ( Tabela 2 ). Um estudo realizou a comparação entre gênero na fase de dentição decídua (crianças de 4 a 5 anos)(27) e verificou que os meninos chineses apresentaram maior largura maxilar, bem como largura maxilar direita e esquerda ao nível dos segundos molares decíduos maiores do que as meninas, não sendo verificada diferença na profundidade do palato duro.

Outra pesquisa foi realizada com uma amostra que apresenta média de idade nove anos para ambos os gêneros(26), sendo evidenciada largura maxilar significativamente maior nos meninos ao nível dos primeiros pré-molares e molares, não sendo observada diferença entre o gênero na largura maxilar entre os caninos e no comprimento maxilar anteroposterior até os primeiros molares. No período de dentição mista, um dos estudos encontrou palato duro significativamente maior nos meninos somente aos dez anos(23).

Ao analisar o conjunto dos estudos descritos na Tabela 2 , verificou-se que praticamente todas as médias das medidas realizadas no plano transversal (largura), independentemente do ponto de referência utilizado, foram maiores no gênero masculino. Quanto aos estudos que realizaram análise estatística para comparação dos valores relacionados ao plano transversal (largura) entre gênero na fase de dentição permanente, verificou-se que cinco (13-15,22,29) encontraram diferença significativa entre gênero, enquanto outros quatro(12,17,20,24) não evidenciaram diferença.

Das doze pesquisas realizadas com sujeitos em fase de dentição permanente abordando comparação entre gênero(12-15,17,18,20,22,24,25,28,29), seis realizaram pelo menos uma medida do arco dentário maxilar no plano sagital (comprimento)(12,13,15,20,24,25). Destes, cinco compararam a diferença no comprimento maxilar entre gênero(12,13,15,20,24).

Em relação aos resultados encontrados nestes cinco trabalhos, Hasegawa et al.(15) verificaram comprimento basal do palato duro até o nível dos primeiros molares significativamente maior em mulheres mongolianas e comprimento anteroposterior maxilar significativamente maior nos japoneses do gênero masculino. Dois estudos evidenciaram comprimento maxilar significativamente maior no gênero masculino (13,20), enquanto outros dois(12,24) não encontraram diferença.

Nas aferições do plano vertical (profundidade) na fase de dentição permanente, apenas uma pesquisa realizou a medida da profundidade maxilar ao nível dos primeiros molares, sendo as médias muito semelhantes entre os gêneros (28).

Com relação às dimensões do palato duro ou do arco dentário maxilar de acordo com as idades, pôde-se verificar que a maioria dos estudos realizou apenas análise descritiva dos resultados(18,19,22) ou estatística analítica para comparação entre os gêneros nas diferentes idades(16,23). A comparação estatística entre as medidas nas diferentes idades foi considerada apenas em dois trabalhos(21,29).

No estudo longitudinal de Ribeiro et al.(21), verificou-se que as larguras do arco dentário maxilar entre os caninos e primeiros molares na faixa etária de 10 a 14 anos foram significativamente maiores em relação às crianças de seis a oito anos. A diferença entre os dois períodos foi igual a 3,21 mm na largura entre os caninos e de 2,16 mm na largura entre os primeiros molares(21).

Por fim, Bishara et al.(29) avaliaram longitudinalmente sujeitos do nascimento até os 45 anos de idade através de medidas no plano transversal (largura). Pôde-se observar que, das seis semanas de vida até os dois anos, ou seja, período dos roletes gengivais até a dentição decídua, houve um aumento de 4,2 mm na média da largura anterior do palato duro nos meninos e de 4,0 mm nas meninas, bem como um aumento de 5,3 mm na largura posterior do palato duro dos meninos e de 3,9 mm no das meninas. Dos três anos até os 13 anos, a largura do arco maxilar anterior e posterior aumentaram gradativamente, inclusive com significância estatística entre as idades. Dos três aos cinco anos, a média da largura entre os caninos aumentou 1,5 mm nos meninos e 1,0 nas meninas e, dos oito aos 13 anos, aumentou 2,6 mm e 2,4 mm nos meninos e meninas, respectivamente. Já a média da largura entre os segundos molares decíduos dos três aos cinco anos aumentou 2,6 mm nos meninos e 1,5 mm nas meninas. Por sua vez, a média entre os primeiros molares permanentes aumentou 2,4 mm dos oito aos 13 anos nos meninos e 2,0 mm nas meninas. Também foi possível observar que no gênero feminino, dos 26 para os 45 anos, houve um decréscimo na largura entre os caninos e, dos 13 para os 26 anos, na largura entre os primeiros molares. Neste estudo, todas as médias das medidas realizadas nas diferentes idades estudadas foram significativamente maiores no gênero masculino(29).

Avaliação da qualidade e do risco de viés

A pontuação referente à análise da qualidade interna e controle de viés realizada por meio da escala “Newcastle - Ottawa Quality ” ( Tabela 3 ) variou entre três e cinco para os estudos com delineamento transversal (máximo 10 pontos) e entre quatro e cinco nos estudos com delineamento longitudinal (máximo 9 pontos). Considerando que uma maior pontuação representa melhor qualidade e menor risco de viés, os estudos analisados nesta revisão sistemática mostraram-se com qualidade de baixa a intermediária.

Tabela 3 Qualidade interna e controle do risco de viés conforme Escala “ Newcastle - Ottawa Quality”  

Autor Desenho Seleção Comparabilidade Resultado Total
Mina et al.(12) Transversal ★★ 4 (10)
Patel e Daruwala(13) Transversal 3 (10)
Shahid et al.(14) Transversal ★★ 4 (10)
Hasegawa et al.(15) Transversal ★★★ 5 (10)
Ahn et al.(16) Longitudinal ★★ ★★ 5 (9)
Celebi et al.(17) Transversal ★★★ 5 (10)
Heikinheimo et al.(18) Longitudinal ★★★ 5 (9)
Kumar e Nandlal(19) Transversal ★★ 4 (10)
Rastegar-Lari et al.(20) Transversal ★★★ 5 (10)
Ribeiro et al.(21) Longitudinal ★★ 4 (9)
Al-Khatib et al.(22) Transversal ★★★ 5 (10)
Louly et al.(23) Transversal ★★★ 5 (10)
Lombardo et al.(24) Transversal ★★ 4 (10)
Slaj et al.(25) Transversal 3 (10)
Arslan et al.(26) Longitudinal ★★ 4 (9)
Tsai e Tan(27) Transversal 3 (10)
Hsu(28) Transversal 3 (10)
Bishara et al.(29) Longitudinal ★★ ★★ 5 (9)

Legenda: ★=um ponto; ★★=dois pontos; ★★★=três pontos

CONCLUSÃO

As médias das aferições da largura do palato duro e do arco dentário maxilar foram maiores no gênero masculino na maioria dos estudos, sendo que a maioria dos artigos selecionados encontraram alguma diferença significativa entre os gêneros.

Nos estudos que verificaram a influência da idade nas dimensões do palato duro ou do arco dentário maxilar, observou-se que dois apresentaram diferença estatística entre as medidas realizadas de acordo com as idades ou faixas etárias, sugerindo influência da idade sobre as dimensões transversais do arco dentário maxilar.

Analisando conjuntamente os resultados, pôde-se verificar, como esperado, que as médias dos valores de referência encontrados aumentaram gradativamente desde o nascimento até aproximadamente as idades entre 12 e 15 anos, período correspondente à dentição permanente. Observou-se que existem alguns valores de referência, expressos em média, oriundos de amostras de conveniência, o que limita a extrapolação destes resultados para outras populações. Além disso, predominam valores relacionados às mensurações no plano transversal, carecendo de valores relacionados ao plano vertical e sagital.

Constatou-se que todos os estudos tiveram por base modelos de gesso, sendo as medidas realizadas diretamente nos modelos, em modelos digitalizados ou em imagens impressas. Os instrumentos utilizados para obtenção das medidas foram paquímetros, compasso tridimensional e softwares.

Os parâmetros de referências encontrados para análise quantitativa do palato duro segundo gênero e idade, especialmente na população brasileira, ainda são escassos. Além disso, há carência de estudos que consideram pontos de referência tendo por base o rebordo gengival, bem como o plano vertical e sagital para obtenção das medidas do palato duro. Com isso, há necessidade de estudos adicionais que abordem avaliação quantitativa do palato duro segundo o gênero e idade em amostras representativas da população brasileira para que o uso da avalição quantitativa do palato duro como coadjuvante da avaliação antroposcópica seja factível na prática clínica.

REFERÊNCIAS

1 Felício CM, Folha GA, Ferreira CL, Medeiros AP. Expanded protocol of orofacial myofunctional evaluation with scores: validity and reliability. Int J Pediatr Otorhinolaryngol. 2010;74(11):1230-9. . PMid:20800294.
2 Marchesan IQ, Berretin-Félix G, Genaro KF. MBGR protocol of orofacial myofunctional evaluation with scores. Int J Orofacial Myology. 2012;38:38-77. PMid:23362752.
3 Maria CM. Silva AMTd, Busanello-Stella AR, Bolzan GdP, Berwig LC. Avaliação da profundidade do palato duro: correlação entre o método quantitativo e qualitativo. Rev CEFAC. 2013;15(5):1292-9. .
4 Freitas F, Bastos E, Primo L, Freitas V. Evaluation of the palate dimensions of patients with perennial allergic rhinitis. Int J Paediatr Dent. 2001;11(5):365-71. . PMid:11572268.
5 Ghasempour M, Mohammadzadeh I, Garakani S. Palatal arch diameters of patients with allergic rhinitis. Iran J Allergy Asthma Immunol. 2009;8(1):63-4. PMid:19279362.
6 Berwig LC, Silva AM, Côrrea EC, Moraes AB, Montenegro MM, Ritzel RA. Hard palate dimensions in nasal and mouth breathers from different etiologies. J Soc Bras Fonoaudiol. 2011;23(4):308-14. . PMid:22231050.
7 Berwig LC, Montenegro MM, Ritzel RA, Silva AMT, Corrêa ECR, Mezzomo CL. Influence of the respiratory mode and nonnutritive sucking habits in the palate dimensions. Braz J Oral Sci. 2011;10(1):42-9.
8 Berwig LC, Silva AMT, Côrrea ECR, Moraes AB, Montenegro MM, Ritzel RA. Análise quantitativa do palato duro em diferentes tipologias faciais de respiradores nasais e orais. Rev CEFAC. 2012;14(4):616-25. .
9 Costa TLS, Silva HJ, Cunha DA. Análise qualitativa inter-observadores e avaliação morfométrica do palato duro. Rev CEFAC. 2005;7(3):326-35.
10 Wells G, Shea B, O’Connell D, Peterson J, Welch V, Losos M, et al. The Newcastle-Ottawa Scale (NOS) for assessing the quality of nonrandomised studies in meta analyses [Internet]. Ottawa: University of Ottawa, 2001 [citado em 2006 Nov 2]. Disponível em: http://www.ohri.ca/programs/clinical_epidemiology/oxford.htm
11 Herzog R, Álvarez-Pasquin MJ, Díaz C, Del Barrio JL, Estrada JM, Gil Á. Are healthcare workers’ intentions to vaccinate related to their knowledge, beliefs and attitudes? A systematic review. BMC Public Health. 2013;13(1):154. . PMid:23421987.
12 Mina M, Borzabadi-Farahani A, Tehranchi A, Nouri M, Younessian F. Mathematical beta function formulation for maxillary arch form prediction in normal occlusion population. Odontology. 2016;105(2):229-36. . PMid:27167385.
13 Patel MN, Daruwala NR. Appraisal of dental arch dimension in Gujarati males and females. Adv Hum Biol. 2015;5(3):61-7.
14 Shahid F, Alam MK, Khamis MF, Honda Y, Sugita Y, Maeda H. Geomorphometrics of tooth size and arch dimension analysis by conventional digital caliper and digital stereomicroscope to establish standard norms for the pakistani population. J Hard Tissue Biol. 2015;24(2):155-68. .
15 Hasegawa Y, Amarsaikhan B, Chinvipas N, Tsukada SI, Terada K, Uzuka S, et al. Comparison of mesiodistal tooth crown diameters and arch dimensions between modern Mongolians and Japanese. Odontology. 2014;102(2):167-75. . PMid:24026430.
16 Ahn JS, Park MS, Cha HS, Song HC, Park YS. Three-dimensional interpretation of intercanine width change in children: a 9-year longitudinal study. Am J Orthod Dentofacial Orthop. 2012;142(3):323-32. . PMid:22920698.
17 Celebi AA, Tan E, Gelgor IE. Determination and application of Pont’s Index in Turkish Population. Sci World J. 2012;2012:1-5. . PMid:22654616.
18 Heikinheimo K, Nystrom M, Heikinheimo T, Pirttiniemi P, Pirinen S. Dental arch width, overbite, and overjet in a Finnish population with normal occlusion between the ages of 7 and 32 years. Eur J Orthod. 2012;34(4):418-26. . PMid:21357654.
19 Kumar SS, Nandlal B. Effects of asthma and inhalation corticosteroids on the dental arch morphology in children. J Indian Soc Pedod Prev Dent. 2012;30(3):242-9. . PMid:23263429.
20 Rastegar-Lari T, Al-Azemi R, Thalib L, Artun J. Dental arch dimensions of adolescent Kuwaitis with untreated ideal occlusion: variation and validity of proposed expansion indexes. Am J Orthod Dentofacial Orthop. 2012;142(5):635-44. . PMid:23116504.
21 Ribeiro JS, Ambrosio AR, Santos-Pinto A, Shimizu IA, Shimizu RH. Evaluation of transverse changes in the dental arches according to growth pattern: a longitudinal study. Dental Press J Orthod. 2012;17(1):66-73. .
22 Al-Khatib AR, Rajion ZA, Masudi SM, Hassan R, Anderson PJ, Townsend GC. Tooth size and dental arch dimensions: a stereophotogrammetric study in Southeast Asian Malays. Orthod Craniofac Res. 2011;14(4):243-53. . PMid:22008304.
23 Louly F, Nouer PRA, Janson G, Pinzan A. Dental arch dimensions in the mixed dentition: a study of Brazilian children from 9 to 12 years of age. J Appl Oral Sci. 2011;19(2):169-74. . PMid:21552719.
24 Lombardo L, Saba L, Scuzzo G, Takemoto K, Oteo L, Palma JC, et al. A new concept of anatomic lingual arch form. Am J Orthod Dentofacial Orthop. 2010;138(3):260.e1-13, discussion 260-1. . PMid:20816292.
25 Slaj M, Spalj S, Pavlin D, Illes D, Slaj M. Dental archforms in dentoalveolar Class I, II and III. Angle Orthod. 2010;80(5):919-24. . PMid:20578864.
26 Arslan SG, Kama JD, Sahin S, Hamamci O. Longitudinal changes in dental arches from mixed to permanent dentition in a Turkish population. Am J Orthod Dentofacial Orthop. 2007;132(5):15-21. . PMid:18005825.
27 Tsai HH, Tan CT. Morphology of the palatal vault of primary dentition in transverse view. Angle Orthod. 2004;74(6):774-9. PMid:15673140.
28 Hsu BS. The nature of arch width difference and palatal depth of the anterior open bite. Am J Orthod Dentofacial Orthop. 1998;113(3):344-50. . PMid:9517728.
29 Bishara SE, Jakobsen JR, Treder J, Nowak A. Arch width changes from 6 weeks to 45 years of age. Am J Orthod Dentofacial Orthop. 1997;111(4):401-9. . PMid:9109585.