Possivel Fenocopia de Brugada Induzida por Hipocalemia em Paciente com Paralisia Periodica Hipocalemica Congenita

Possivel Fenocopia de Brugada Induzida por Hipocalemia em Paciente com Paralisia Periodica Hipocalemica Congenita

Autores:

Daniel D. Anselm,
Natalia Rodriguez Genaro,
Adrian Baranchuk

ARTIGO ORIGINAL

Arquivos Brasileiros de Cardiologia

versão impressa ISSN 0066-782X

Arq. Bras. Cardiol. vol.102 no.1 São Paulo jan. 2014

https://doi.org/10.5935/abc.20130249

Caro Editor,

Lemos com grande interesse o relato de caso de Gazzoni e cols.1 sobre um padrão de Brugada no ECG induzido por hipocalemia. Este trabalho é importante porque contribui para o crescente volume de literatura que descreve fenocópias de Brugada (BrP)2-5.

Resumidamente, as BrP são caracterizadas por padrões de ECG que são idênticos aos padrões ECG de Brugada do tipo 1 ou tipo 2, apesar da ausência de uma verdadeira Síndrome de Brugada congênita (BrS). As BrP são induzidas por várias circunstâncias clínicas, incluindo: hipocalemia, hipercalemia, hipotermia, isquemia miocárdica e embolia pulmonar. Estabelecemos seis categorias etiológicas de BrP2-4, juntamente com uma abordagem sistemática para diagnosticar BrP3, excluindo a disfunção dos canais de sódio no miocárdio. O caso apresentado por Gazzoni e cols.1 possivelmente se qualificaria na categoria (i) condições metabólicas; no entanto, é necessária uma análise mais profunda desse relato de caso.

Especificamente, esse é o primeiro relato de uma possível BrP induzida por hipocalemia em associação com paralisia periódica hipocalêmica (PPH). Pacientes com PPH são conhecidos por terem mutações genicas resultando em anormalidades dos canais de cálcio sensíveis à dihidropiridina ou canais de sódio (SCN4A) em músculos esqueléticos. Pacientes com BrS verdadeira congênita têm mutações nos canais de sódio do miocárdio (SCN5A) e a associação neste paciente é bastante intrigante e permanece especulativa. O padrão de ECG de Brugada tipo 1 "côncavo", observado neste paciente, pode ter sido induzido pela hipocalemia sérica transitória (o que o qualificaria como BrP) ou pode haver uma disfunção congênita nos canais de sódio desse paciente, em ambos os músculos esqueléticos (PPH) e do miocárdio, resultando nas alterações do ECG. Por isso, recomendamos aos autores que um teste provocativo do miocárdio, com um bloqueador dos canais de sódio, como procainamida, ajmalina ou flecainida, seja realizado para descartar a disfunção dos canais de sódio miocárdicos. Além disso, sugerimos também que os futuros relatos usem o termo estabelecido Fenocópia de Brugada para fornecer consistência na literatura e facilitar futuras pesquisas.

Estamos criando um banco de dados de registro internacional no www.burgadaphenocopy.com e convidamos Gazzoni e cols.1 a submeter esse caso junto com futuros casos para o registro, caso eles satisfaçam os critérios de diagnóstico de BrP3. O objetivo desse registro é fornecer acompanhamento a longo prazo e compreensão sobre a fisiopatologia e história natural de pacientes com BrP.

REFERÊNCIAS

1. Gazzoni GF, Borges AP, Bergoli LC, Soares JL, Kalil C, Bartholomay E. Brugada-like electrocardiographic changes induced by hypokalemia. Arq Bras Cardiol. 2013;100(3):e35-7.
2. Baranchuk A, Nguyen T, Ryu MH, Femenía F, Zareba W, Wilde AA, et al. Brugada phenocopy: new terminology and proposed classification. Ann Noninvasive Electrocardiol. 2012;17(4):299-314.
3. Anselm DD, Baranchuk A. Brugada Phenocopy: redefinition and updated classification. Am J Cardiol. 2013;111(3):453.
4. Anselm DD, Baranchuk A. Brugada Phenocopy in the context of pulmonary embolism. Int J Cardiol. Feb 25. [Epub ahead of print].
5. Anselm DD, Baranchuk A. Brugada Phenocopy Emerging as a New Concept. Rev Esp Cardiol. 2013;66(9):755.
Política de Privacidade. © Copyright, Todos os direitos reservados.