Potencial de criação de Pirarucu, Arapaima gigas,em cativeiro

Potencial de criação de Pirarucu, Arapaima gigas,em cativeiro

Autores:

Emir Palmeira IMBIRIBA

ARTIGO ORIGINAL

Acta Amazonica

Print version ISSN 0044-5967On-line version ISSN 1809-4392

Acta Amaz. vol.31 no.2 Manaus Apr./June 2001

https://doi.org/10.1590/1809-43922001312316

RESUMO

O presente trabalho tem como objetivo analisar alguns aspectos do manejo da criação do pirarucu, nos itens relativos à reprodução, alevinagem, alimentação, crescimento rusticidade e aspectos econômicos. Mesmo havendo medidas de proteção, a pesca é predatória e com graves prejuízos aos estoques naturais. O cultivo é viável, em razão do extraordinário desenvolvimento ponderal, chegando a alcançar em torno de 10 kg, com apenas um ano de criação. Desova naturalmente a partir do quinto ano de idade, com peso em torno de 40 a 45 kg e de forma parcelada. Excetuando-se o período de reprodução, não apresenta caracteres sexuais secundários extragenitais. No ambiente natural, a idade e o período da primeira maturação sexual, não estão perfeitamente definidos. Usa-se a densidade de um indivíduo para cada 200m2 de área inundada, quando são utilizados os açudes como locais de reprodução. O processo empregado na obtenção de alevinos dessa espécie consiste na captura no próprio açude onde ocorre a reprodução. O arraçoamento dos alevinos deve ser feito em quantidade equivalente a 8-10% do seu peso vivo de carne de peixe. Embora sejam ictiófagos, os alevinos dessa espécie apresentam excelentes taxas de sobrevivência chegando a 100%, devido não fazerem canibalismo. Além da respiração branquial, os pirarucus utilizam a bexiga vascularizada como órgão de respiração acessória. A produção de pirarucu na bacia amazônica baseia-se na captura em ambientes naturais. Em sistema extensivo de criação, foram obtidas 199,7 toneladas de pirarucu, no ano de 1962, nos açudes do Nordeste brasileiro.

Palavras-Chave: Amazônia; pesca; piscicultura; Arapaima; pirarucu; Production Potential of Pirarucu; Arapaima gigas; in Captivity

ABSTRACT

This paper aims to analyse aspects of production system and management of "pirarucu", in regard to reproduction, fry survival, feeding, growth, rusticity and economics. Despite the animal protection act, fishing of pirarucu is predatory and cause serious damages to its natural stocks. Because of its extraordinary ponderal development, 10kg on its first year of age, culture of pirarucu is deemed viable. The spawning occurs naturally in captivity at age 5, live weight around 40 to 45 kg and it is partially made. Outside the reproduction period, the species does not show secondary extragenital characters. Age and the period of the first sexual maturation are not well defined in nature. Density shall be one individual for each 200 m2 of flooded area, when dams are utilized as reproduction places. Fingerlings are usually captured on the same dam where reproduction occurs. Fingerlings are fed on quantities equivalent to 8-10% of its live weight. Despite its carnivore feeding habit, fingerling pirarucu are not cannibal and show survival rates up to 100%. Pirarucu is a branquial breather, but utilizes its vascularized swin bladders as accessory breathing organ. "Pirarucu" production on the Amazon basin relies on its capture in the wild. In extensive production system the species can reach 199,7 tons obtained, in 1962, in northeast Brazilian dams.

Key words: amazon; fishing; pisciculture; Arapaina; pirarucu

Texto disponível apenas em PDF
Política de Privacidade. © Copyright, Todos os direitos reservados.