Revisão Sistemática sobre Duração do Sono e Dislipidemia em Adolescentes: Avaliando Inconsistências

Revisão Sistemática sobre Duração do Sono e Dislipidemia em Adolescentes: Avaliando Inconsistências

Autores:

Gabriela de Azevedo Abreu,
Laura Augusta Barufaldi,
Katia Vergetti Bloch,
Moyses Szklo

ARTIGO ORIGINAL

Arquivos Brasileiros de Cardiologia

versão impressa ISSN 0066-782Xversão On-line ISSN 1678-4170

Arq. Bras. Cardiol. vol.105 no.4 São Paulo out. 2015 Epub 25-Set-2015

https://doi.org/10.5935/abc.20150121

Introdução

Embora muitas questões sobre o papel do sono continuem sem resposta, sabe-se que o sono não é apenas uma função fisiológica, mas também desempenha um papel importante na promoção do crescimento, maturação e estado geral de saúde das crianças e adolescentes1, contribuindo significativamente para as funções cognitivas, emocionais e desempenho escolar2. Atualmente, há uma tendência entre a população jovem para ter horas de sono irregulares, com diferenças nos horários de dormir e despertar entre dias úteis e os fins de semana, especialmente à medida que ficam mais velhos2-4.

Há um interesse crescente sobre o impacto do sono e seus distúrbios na regulação de processos inflamatórios e de morbidades, particularmente no contexto de doenças metabólicas e cardiovasculares (DCV) e suas complicações1. Em crianças e adolescentes, estudos transversais5-7 e prospectivos8,9 têm mostrado uma associação entre sobrepeso ou obesidade e poucas horas de sono. Em adultos, há provas que apoiam essa associação, bem como correlações com a resistência à insulina, diabetes e doenças cardiovasculares10-15.

Poucas horas de sono também podem desempenhar um papel na etiologia de um fator de risco importante para DCV, a dislipidemia12,14,15. Fisiologicamente, a redução do sono está associada a alterações hormonais que podem promover o desenvolvimento de um perfil lipídico aterogênico, incluindo aumento dos níveis de cortisol e de grelina e redução de leptina, além de respostas simpatovagais16-18. A fim de obter mais informações sobre a relação entre alterações do metabolismo lipídico e duração do sono, especificamente em adolescentes, realizamos uma revisão sistemática da literatura.

Métodos

Essa revisão sistemática foi baseada nas diretrizes Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-analyses (PRISMA) statement19.

A pesquisa foi realizada nas bases de dados eletrônicas Medline via PubMed20, Lilacs21, Web of Science22, Scopus23 e Adolec24.

A seleção dos descritores utilizados no processo de revisão foi feita através de consulta ao MeSH (PubMed’s Medical Subject Headings). A pesquisa foi realizada em inglês, usando três blocos conceituais: o primeiro com termos relacionados ao sono (sleep); o segundo com termos relacionados à adolescência (adoles*, teen*, student*, youth, young); e o terceiro com termos relacionados a lipídios (lipid*, lipemia*, cholesterol, HDL, LDL, triglyceride*, lipoprotein*, hypercholesterolemia*, hypercholesteremia*, dyslipidemia*, dyslipoproteinemia*, hyperlipidemia*, hyperlipemia*, “high density lipoprotein cholesterol”, “low density lipoprotein cholesterol”). O operador booleano "OR" foi utilizado para a combinação dos descritores dentro de cada bloco e o operador booleano "AND" foi usado para combinar os blocos entre si. A truncagem dos termos foi aplicada quando necessário. Não foram utilizados limites de pesquisa para data, língua, desenho do estudo ou tamanho da amostra. A pesquisa foi feita em agosto de 2014, contemplando os artigos publicados até aquela data. A Tabela 1 apresenta a estratégia de busca utilizada em cada base de dados.

Tabela 1 Estratégia de Pesquisa utilizada para cada base de dados 

Pubmed (sleep*[Title/Abstract] AND (adoles* OR teen* OR student* OR youth OR young[Title/Abstract]) AND (lipid* OR lipemia* OR cholesterol OR HDL OR LDL OR VLDL OR triglyceride* OR lipoprotein* OR hypercholesterolemia* OR hypercholesteremia* OR dyslipidemia* OR dyslipoproteinemia* OR hyperlipidemia* OR hyperlipemia* OR "high density lipoprotein cholesterol" OR "low density lipoprotein cholesterol"[Title/Abstract]))
Lilacs sleep$ and (adoles$ OR teen$ OR student$ OR youth OR young) and (lipid$ OR lipemia$ OR cholesterol OR HDL OR LDL OR VLDL OR triglyceride$ OR lipoprotein$ OR hypercholesterolemia$ OR hypercholesteremia$ OR dyslipidemia$ OR dyslipoproteinemia$ OR hyperlipidemia$ OR hyperlipemia$ OR "high density lipoprotein cholesterol" OR "low density lipoprotein cholesterol")
Adolec sleep$ [Words] and adoles$ OR teen$ OR student$ OR youth OR young [Words] and lipid$ OR lipemia$ OR cholesterol OR HDL OR LDL OR VLDL OR triglyceride$ OR lipoprotein$ OR hypercholesterolemia$ OR hypercholesteremia$ OR dyslipidemia$ OR dyslipoproteinemia$ OR hyperlipidemia$ OR hyperlipemia$ OR "high density lipoprotein cholesterol" OR "low density lipoprotein cholesterol" [Words]
Web of Science (Topic(sleep*) AND Topic(adoles* OR teen* OR student* OR youth OR young) AND Topic(lipid* OR lipemia* OR cholesterol OR hdl OR ldl OR vldl OR triglyceride* OR lipoprotein* OR hypercholesterolemia* OR hypercholesteremia* OR dyslipidemia* OR dyslipoproteinemia* OR hyperlipidemia* OR hyperlipemia* OR "high density lipoprotein cholesterol" OR "low density lipoprotein cholesterol"))
Scopus (TITLE-ABS-KEY(sleep*) AND TITLE-ABS-KEY(adoles* OR teen* OR student* OR youth OR young) AND TITLE-ABS-KEY(lipid* OR lipemia* OR cholesterol OR HDL OR LDL OR VLDL OR triglyceride* OR lipoprotein* OR hypercholesterolemia* OR hypercholesteremia* OR dyslipidemia* OR dyslipoproteinemia* OR hyperlipidemia* OR hyperlipemia* OR "high density lipoprotein cholesterol" OR "low density lipoprotein cholesterol"))

Os critérios para a inclusão de artigos na revisão sistemática foram os seguintes: (a) estudos em adolescentes com mais de 10 anos de idade; (b) estudos que avaliaram a relação entre a duração do sono em horas e quaisquer marcadores de lipídios; (c) artigo de pesquisa original. Foram excluídos artigos com avaliações de qualquer tipo de distúrbio de sono, estudos de revisão e estudos experimentais com animais. Foi decidido não incluir teses, dissertações e monografias. Avaliamos as referências bibliográficas de revisões, revisões sistemáticas e meta-análises encontradas nas bases de dados.

Os artigos foram selecionados por duas epidemiologistas (GAA e LAB), inicialmente com base na leitura do título, e em seguida foi feita a leitura dos resumos. A partir dos resumos selecionados, os artigos completos foram revisados. Em caso de desacordo quanto aos critérios de inclusão, o título e o resumo, ou o artigo completo, foram mantidos para uma avaliação posterior. Em caso de desacordo em relação aos critérios de inclusão, uma terceira pessoa foi consultada.

Os dados de artigos incluídos foram extraídos de forma independente, duplicados (GAA e LAB), utilizando um formulário padrão. Após a extração, os dados foram comparados e discutidos. Extraímos informações sobre autoria, data de publicação, local de estudo, estudo populacional, tipo de estudo, métodos de obtenção da duração do sono e avaliação de perfil lipídico, duração do sono em horas, marcadores de lipídios, medida de associação usada para avaliar a relação entre horas de sono e de perfil lipídico, e variáveis usadas para o ajuste de modelos de regressão.

Utilizamos uma adaptação do Newcastle-Ottawa (NOS) Quality Assessment Scale for Case-Control and Cohort Studies25, do Ottawa Hospital Research Institute, para avaliar a qualidade do estudo longitudinal incluído nessa revisão. Também utilizamos a mesma escala adaptada por Flynn e cols.26 para avaliar a qualidade dos estudos transversais.

Devido à grande heterogeneidade metodológica entre os estudos observados, uma abordagem narrativa, para sintetizar os resultados dos estudos incluídos na presente revisão sistemática, foi considerada a melhor estratégia.

Resultados

O fluxograma mostrando o processo de seleção é apresentado na Figura 1. No fim do processo de avaliação, dos 859 artigos escolhidos após a remoção dos duplicados, 25 s foram submetidos a uma avaliação mais completa. Sete artigos preencheram os critérios de inclusão ao final do processo.

Figura 1 Diagrama de Blocos da seleção de artigos. 

A Tabela 2 apresenta as características relevantes dos estudos selecionados. Dos sete estudos incluídos, apenas um27 é longitudinal. Os outros seis estudos são transversais. Cinco dos sete estudos27-31 incluíram estudantes. Os tamanhos das amostras variaram consideravelmente, de 699 no estudo de Rey-López e cols.30 a 14.267 adolescentes no estudo de Gangwisch e cols.27.

Tabela 2 Principais características dos estudos selecionados 

Referência/ País Desenho do estudo/ Data de coleta População do estudo Idade Método para obtenção da duração do sono Classificação da Exposição (Duração do sono) Método para avaliação do perfil lipídico Resultado (alterações dos lipídios)
Gangwisch e cols.27, 2010/Estados Unidos Longitudinal Estudantes, com representatividade nacional n = 14.257 11-21 anos meninos ≅ 15,8 anos de idade Questionário Contínua Questionário/ “Algum médico (entre a 1a e 3aonda) já falou que você tem colesterol alto?” Variável dicotômica
Onda I: Variável dicotômica 1994-95
Onda II: 1996
Onda III 2001-02 48,7% Homens meninas ≅ 15,9 anos de idade
Kong et al28, 2011/ Hong Kong Transversal/ Fevereiro 2007 - Abril 2008 Estudantes * n = 1.274 12-20 anos de idade Questionário7 <6,5h: 20% Coleta de sangue (CT, TG, HDL, colesterol LDL) Hipercolesterolemia
CT ≥ 5,2 mmol/L
LDL ≥ 2,6 mmol/L
Actigrafia em subgrupo (n = 138) 6,5-8h: 40% HDL <1,0 mmol/L
>8h: 20% Comparação dos quintis extremos TG ≥ 1,7 mmol/L
Narang e cols.29, 2012/ Canadá Transversal/ 2009-2010 Estudante n = 3.372 48,9% Homens ≅ 14,6 anos de idade Questionário37,38 Contínua Coleta de sangue capilar sem jejum (CT e colesterol HDL) CT
Limítrofe: 4,4-5,1 mmol/L:
Alto: ≥ 5,2 mmol/L
Quartis Colesterol não-HDL§
Limítrofe: > 3,10 to 3,75 mmol/L
Alto: > 3,75 mmol/L
Azadbakht e cols31, 2013/ Irã Transversal Dados de CASPIAN III// Estudantes n = 5.528 ≅14,69 (2,45) anos de idade meninos Questionário < 5h Coleta de sangue (CT, TG e LDL) Níveis anormais de lipídios no soro foram definidos como CT, LDL-C e ou TG maior que o nível correspondente ao percentil 95 específico para idade e sexo39
≅ 14,7 (2,38) anos de idade meninas 5 a 8h
> 8h
Berentzen e cols.32, 2014/ Holanda Transversal População geral n n = 1.481 49% Idade média na conclusão do questionário 11,4 (± 0,3) anos Questionário 7,5-9,5 h Coleta de sangue (CT e HDL colesterol) Variável contínua (mM)
49% Homens Idade média no momento do exame médico 12,7 (± 0,4) anos 10-10,5 h (ref. cat.)
11-12,5 h
Rey-Lopez e cols.30, 2014/ Grécia, Alemanha, Bélgica, França, Hungria, Itália, Suécia, Áustria, Espanha Transversal/ 2006-2007 Estudantes n = 699 ≅ 14.8 anos de idade Questionário Variável contínua Coleta de sangue (TG, CT e HDL colesterol) Variável contínua (mg/dL)
52% Homens
Lee e cols. 2014/ República da Coréia33 Transversal/ 2007-2008 População geral n = 1.187 53% ≅ 15 anos de idade Questionário ≤ 5h Coleta de sangue (TG e HDL colesterol) Variável contínua (mg/dL)
Homens 6-7h
8-9h (ref. cat.)
≥ 10h

LDL: Lipoproteína de baixa densidade; HDL: Lipoproteína de alta densidade; CT: Colesterol total; TG: Triglicérides; IMC: Índice de massa corporal.

*número de adolescentes avaliados; o número total de indivíduos avaliados no estudo é 2.053, incluindo crianças e adolescentes;

não fornece dados da média de idade ou distribuição por sexo apenas para o grupo de adolescentes;;

não fornece faixa etária;

§colesterol não-HDL corresponde ao colesterol total menos o colesterol HDL;

//CASPIAN III – Childhood and Adolescence Surveillance and Prevention of Adult Non-communicable disease.

Todos os estudos usaram questionários para obter a duração do sono. A variável "duração do sono" foi usada como contínua em três estudos27,29,30; os outros estudos usaram diferentes categorias para classificar a duração do sono.

Para obter os perfis lipídicos, cinco estudos coletaram sangue venoso28,30-33, um coletou sangue capilar29, e outro utilizou informação auto-relatada27. Cinco estudos mediram o colesterol total28-32 e colesterol HDL28-30,32,33, quatro mediram triglicérides28,30,31,33, e dois avaliaram o colesterol LDL28,31. Quase todos os estudos realizaram o controle por gênero27,28,30,33 e idade27,28,30-33; a circunferência da cintura foi ajustada em dois estudos28,29, a atividade física em quatro27,30,31,33, o estágio de Tanner em dois28,32, escolaridade materna em dois31,32, condição socioeconômica em dois30,31, índice de massa corporal (IMC) de um28, e ingestão calórica em um estudo33.

A avaliação da qualidade metodológica dos sete estudos incluídos é apresentada na Tabela 3. Apenas dois estudos transversais28,31 obtiveram quatro pontos em seis na avaliação do risco de viés. O estudo longitudinal apresentou um risco de viés moderado27.

Tabela 3 Avaliação do risco de viés dos estudos incluídos 

Estudo Kong e cols.28, 2011/ Hong Kong Narang e cols.29, 2012/ Canadá Azadbakht e cols.31, 2013/ Irã Berentzen e cols.32, 2014/ Holanda Rey-López e cols.30, 2014/ Grécia, Alemanha, Bélgica, França, Hungria, Itália, Suécia, Áustria, Espanha Lee e cols.33, 2014/ República da Coréia Gangwisch e cols.27, 2010/ Estados Unidos
Representatividade da amostra 0 0 1 0 0 1 0
Definição da condição apresentada 1 1 1 1 1 1 0
Avaliação da exposição 1 0 0 0 0 0 0
Avaliação do desfecho 2 1 2 2 2 2 0
Taxa de não resposta 0 0 0 0 0 0 0
Representatividade da coorte exposta 0 0 0 0 0 0 1
Demonstração de que desfecho de interesse não estava presente no início do estudo 0 0 0 0 0 0 0
Comparabilidade das coortes 0 0 0 0 0 0 1
Avaliação de desfechos 0 0 0 0 0 0 0
O seguimento aconteceu por tempo suficiente para a ocorrência de desfechos 0 0 0 0 0 0 1
Adequação de seguimento de coortes 0 0 0 0 0 0 1
Total 4/6 2/6 4/6 3/6 3/6 3/6 4/9

Estudos transversais (máximo de 6 pontos) Representatividade da amostra: sim (1); nenhuma (0); não informado (0) Definição da condição apresentada: classificação com base em dois ou mais marcadores lipídicos (1); em apenas um marcador lipídico (0) Avaliação da exposição (duração do sono): combinação de questionário com outro método de avaliação (1); somente questionário (0) Avaliação de Desfechos (perfil lipídico): sangue venoso (2); sangue capilar (1); auto-relatado (0) Taxa de não-resposta: não respondentes descritos (1); não-descritos (0)

Estudos de coorte (máximo de 9 pontos) Avaliação da exposição (duração do sono): combinação de questionário com outro método de avaliação (1); somente questionário (0) Avaliação de Resultados (perfil lipídico): sangue venoso (2); sangue capilar (1); auto-relatado (0) Representatividade da coorte exposta (representativa da média): tratado adequadamente (1); não tratado de forma adequada / não relatado (0) Demonstração de que o desfecho de interesse não estava presente no início do estudo: tratado de forma adequada (1); não tratado de forma adequada / não relatado (0) Comparabilidade das coortes na base do desenho ou análise: tratado adequadamente (1); não tratado de forma adequada / não relatado (0) Avaliação de desfechos (avaliação cega independente ou relacionamento probabilístico): tratado adequadamente (1); não tratado de forma adequada / não relatado (0) O seguimento ocorreu por tempo suficiente para a ocorrência do desfecho: tratado de forma adequada (1); não tratado de forma adequada / não relatado (0) Adequação do seguimento de coortes (seguimento completo ou indivíduos perdidos durante o seguimento constituíram razão improvável para introdução de viés): tratado adequadamente (1); não tratado de forma adequada / não relatado (0)

A Tabela 4 apresenta os principais resultados das associações encontradas e as variáveis de controle utilizadas em cada estudo. Considerando os sete estudos incluídos, somente três encontraram uma associação entre duração do sono e perfil lipídico27,28,33. Dois estudos mostraram que a duração mais curta do sono estava associada com um perfil lipídico pior (colesterol total e colesterol LDL)27,28, e os resultados de um terceiro estudo33 mostraram que a duração prolongada do sono estava associada a níveis elevados de triglicérides. Os outros quatro estudos29-32 não encontraram qualquer associação.

Tabela 4 Principais resultados dos estudos incluídos 

  Total Homem Mulher Variáveis de Controle investigadas
Colesterol total        
Gangwisch e cols.27, 2010 OR (IC 95%) OR (IC 95%) OR (IC 95%) Idade/ Sexo/ Raça/ Grupo Étnico / Álcool/ fumo/ Atividade física/ Sedentarismo/ Estresse/ peso corporal
Por hora: 0,87 (0,79-0,96) Por hora: 0,91 (0,79-1,05) Por hora: 0,85 (0,75-0,96)
Kong e cols.28, 2011 β* = -0,160 (p-valor = 0,023) --- --- Idade/ sexo/ IMC/ circunferência da cintura/ estágios de Tanner (2-3 e 4-5)
Azadbakht e cols.31, 2013 --- OR (IC 95%) OR (IC 95%) Idade/ nível socioeconômico / escolaridade dos pais/ histórico familiar de doenças crônicas/ Sedentarismo/ IMC
< 5h = 1 <5h = 1
5–8h = 4,00 (0,54–29,94) 5–8h = 1,07 (0,31–3,73)
> 8h = 5,63 (0,76–41,56) >8h = 1,14 (0,33–3,85)
Berentzen e cols.32, 2014 --- β (IC 95%) β (IC 95%) Idade no preenchimento do questionário / idade no exame médico / altura/ escolaridade da mãe/puberdade e tempo de tela
7,5–9,5 h = -0,15 (-0,35; 0,04) 7,5–9,5 h = -0,01 (-0,22; 0,21)
10–10,5 h = 1 10–10,5 h = 1
11–12,5 h = -0,06 (-0,17; 0,05) 11–12,5 h = -0,06 (-0,16; 0,05)
Colesterol LDL        
Kong e cols.28, 2011 β* = -0,122 --- ---  
(p-valor = 0,042)
Azadbakht e cols.31, 2013 --- OR (IC 95%) OR (IC 95%)  
< 5h = 1 < 5h = 1
5–8h = 1,04 (0,30-3,61) 5–8h = 1,36 (0,26–5,05)
> 8h = 0,97 (0,28–3,30) > 8h = 0,76 (0,20–2,89)
Colesterol HDL        
Kong e cols.28, 2011 β* = -0,056 (p-valor = 0,061) --- ---  
Berentzen e cols.31, 2014 --- β (IC 95%) β(IC 95%)  
7,5–9,5 h = 0,03 (-0,07; 0,12) 7,5–9,5 h = 0.07 (-0,03; 0,17)
10–10,5 h = 1 10–10,5 h = 1
11–12,5 h = 0,02 (-0,04; 0,07) 11–12,5 h = < 0,01 (-0,05; 0,05)
Lee e cols.33, 2014 OR (IC 95%) --- ---  
≤ 5 h = 0,79 (0,40 - 1,53)
6-7 h = 0,86 (0,50 - 1,49)
8-9 h = 1
≥ 10 h = 1,03 (0,44 - 2,40)
TG        
Kong e cols.28, 2011 β* = 0,060 --- ---  
(p = 0,115)
Azadbakht e cols.31, 2013 --- OR (IC 95%) OR (IC 95%)  
< 5h = 1 < 5h = 1
5–8h = 1,09 (0,41–2,92) 5–8h = 0,53 (0,22–1,30)
> 8h = 1,16 (0,44–3,09) > 8h = 0,53 (0,22–1,30)
Rey-López e cols.30, 2014 β (IC 95%) --- --- Idade/ sexo/ nível socioeconômico/ Atividade física
Dias de semana: 0,26 (-2,57; 3,09)
Finais de semana: 0,69 (-1,50; 2,88)
Lee e cols.33, 2014 OR (IC 95%) --- --- Idade/ sexo/ renda familiar/ ingestão calórica/ atividade física
≤ 5 h= 1,05 (0,55-2,00)
6-7 h= 1,20 (0,79-1,83)
8-9 h= 1
≥ 10 h = 2,17 (1,14-4,13)
Não-HDL        
Narang e cols.29, 2012 OR (IC 95%) --- --- Circunferência da cintura/nutrição/ atividade física/sexo/Histórico familiar de doenças cardiovasculares prematuras em parentes de primeiro grau /escore de distúrbio do sono
Por hora 1,03 (0,93-1,13)
Primeiro quartil (referência) x último quartil 0,92 (0,70-1,22)
CT/HDL-c        
Rey-López e cols.30, 2014 β (IC 95%) --- ---  
Dias de semana: -0,001 (-0,05; 0,05)
Finais de semana: 0,009 (-0,03; 0,05)
Berentzen e cols.31, 2014 --- β(IC 95%) β(IC 95%)  
7,5–9,5 h = -0,22 (-0,51; 0,08) 7,5–9,5 h = -0,18 (-0,44; 0,08)
10–10,5 h = 1 10–10,5 h = 1
11–12,5 h = -0,14 (-0,31; 0,02) 11–12,5 h = -0,04 (-0,17; 0,09)

OR: Odds ratio; IC: Intervalo de confiança; DP: Desvio padrão; LDL: Lipoproteína de baixa densidade; HDL: Lipoproteína de alta densidade; CT: Colesterol total; TG: Triglicérides; IMC: Índice de massa corporal; RP; Razão de prevalência.

*β coeficiente de regressão do modelo de regressão múltipla para comparar os grupos com maior e menor (referência) quintil das variáveis lipídicas em relação à duração do sono (grupo com 20% dos indivíduos com menor duração do sono vs. grupo com 20% de indivíduos com duração do sono mais longa);

Colesterol não-HDL corresponde ao colesterol total menos o colesterol HDL.

Em quatro estudos27,29,31,33 a odds ratio foi relatada, enquanto que os outros estudos28,30,32 mostraram os coeficientes β a partir da análise de regressão.

Discussão

A presente revisão sistemática mostrou falta de evidências consistentes em relação à associação entre a duração do sono e o perfil lipídico em adolescentes. Foram encontrados poucos estudos e alguns apresentaram limitações metodológicas. Houve grande heterogeneidade na classificação e na forma de análise da duração do sono e dos marcadores do metabolismo lipídico, o que provavelmente contribuiu para a inconsistência dos resultados observados.

No que diz respeito à heterogeneidade entre os estudos, essa revisão sistemática incluiu estudos que avaliaram o resultado utilizando diferentes métodos (auto-relato27, amostra de sangue capilar29, amostra de sangue venoso28,30-33) ou com diferentes intervalos de tempo entre a medida de exposição e o desfecho32.

Gangwisch e cols.27 não excluíram adolescentes com dislipidemia basal, assim, a incidência de dislipidemia nos adolescentes não pôde ser determinada. Além disso, como o resultado estabelecido foi auto-relatado, e o diagnóstico de dislipidemia depende do acesso a cuidados médicos, um viés pode ter ocorrido se os adolescentes de diferentes níveis socioeconômicos tiverem diferentes hábitos de sono.

Todos os estudos incluídos nessa revisão sistemática obtiveram informações sobre duração do sono com base em questionários, um método frequentemente utilizado em pesquisas do sono devido à sua fácil aplicação e baixo custo. No entanto, a validade das informações obtidas por meio de questionários é motivo de preocupação, especialmente quando as ferramentas não são submetidas a um processo de validação. Os adolescentes podem relatar somente as horas de sono e de despertar socialmente desejáveis34. Embora todos os estudos utilizem questionários, a avaliação da duração do sono também foi heterogênea: um estudo perguntou aos pais sobre a duração do sono dos adolescentes31, um segundo usou categorias pré-definidas de tempo para dormir e acordar32 e outros perguntaram sobre a duração do sono através de uma questão aberta27-30,33.

A actigrafia – baseada no monitoramento de atividades – foi estabelecida como um método válido e confiável para avaliar os padrões de sono-vigília em crianças, adolescentes e adultos35,36. Métodos objetivos para a quantificação da duração do sono em um estudo de base populacional são difíceis de executar, particularmente em estudos com amostras relativamente grandes. Kong e cols.28 utilizaram actigrafia em apenas 7%, aproximadamente, de sua amostra de estudo (138 de 2.053), e demonstraram uma correlação razoável entre a actigrafia e os auto-relatos dos adolescentes (coeficiente de correlação intra-classe = 0,72, 95% IC: 0,61 -0,80).

Nos estudos incluídos nessa revisão, a duração do sono foi medida de duas maneiras diferentes, como variável contínua27,29,30 ou variável categórica28,31-33. A falta de consenso sobre o melhor ponto de corte para definir a duração do sono curta faz com que seja difícil comparar os diferentes estudos, o que seria mais fácil caso a duração do sono fosse utilizada como uma variável contínua.

A presente revisão sistemática incluiu um estudo longitudinal com limitações importantes e os estudos transversais apresentaram associações em direções distintas. Não foi possível avaliar o viés de publicação, devido ao pequeno número de estudos identificados. Em resumo, ainda é incerto se existe uma associação entre a duração do sono e o perfil lipídico em adolescentes. A heterogeneidade na forma como as durações do sono foram classificadas e analisadas, bem como o uso de diferentes analitos dos perfis lipídios, podem ter contribuído para a inconsistência dos resultados. Mais estudos devem ser realizados sobre essa questão para clarificar a natureza dessa associação e os mecanismos biológicos envolvidos. Esses estudos futuros devem ser longitudinais, usar a duração do sono como uma variável contínua e considerar o papel de potenciais fatores de confusão ou modificadores de efeito. Cuidados devem ser tomados para evitar o excesso de ajustes, incluindo variáveis que possam ser intermediárias na relação entre a duração do sono e dislipidemia, como o IMC e o consumo de alimentos.

Devido à sua forte associação com doença cardiovascular em adultos, é importante identificar e modificar fatores associados com o perfil lipídico15 em adolescentes. Se a duração do sono curta é responsável por um perfil lipídico desfavorável, as intervenções que melhoram a qualidade e a duração do sono podem contribuir para diminuir o risco cardiovascular em longo prazo.

REFERÊNCIAS

1. Kim J, Hakim F, Kheirandish-Gozal L, Gozal D. Inflammatory pathways in children with insufficient or disordered sleep. Respir Physiol Neurobiol. 2011;178(3):465-74.
2. National Sleep Foundation. Adolescente sleep needs and patterns: research report. Washington, DC; 2000.
3. Dahl R, Carskadon M. Sleep and its disorders in adolescence. In: Ferber R, Kryger MH (eds.). Principles and practices of sleep medicine in the child. Philadelphia: Saunders; 1995. p. 19-27.
4. Iglowstein I, Jenni OG, Molinari L, Largo RH. Sleep duration from infancy to adolescence: reference values and generational trends. Pediatrics. 2003;111(2):302-7.
5. Gupta NK, Mueller WH, Chan W, Meininger JC. Is obesity associated with poor sleep quality in adolescents? Am J Hum Biol. 2002;14(6):762-8.
6. Chaput JP, Brunet M, Tremblay A. Relationship between short sleeping hours and childhood overweight/obesity: results from the 'Quebec en Forme' Project. Int J Obes. 2006;30(7):1080-5.
7. Chen MY, Wang EK, Jeng YJ. Adequate sleep among adolescents is positively associated with health status and health-related behaviors. BMC Public Health. 2006;6:59-66.
8. Agras WS, Hammer LD, McNicholas F, Kraemer HC. Risk factors for childhood overweight: a prospective study from birth to 9.5 years. J Pediatr. 2004;145(1):20-5.
9. Reilly JJ, Armstrong J, Dorosty AR, Emmett PM, Ness A, Rogers I, et al. Early life risk factors for obesity in childhood: cohort study. BMJ. 2005;330(7504):1357.
10. Van Cauter E, Holmback U, Knutson K, Leproult R, Miller A, Nedeltcheva A, et al. Impact of sleep and sleep loss on neuroendocrine and metabolic function. Horm Res. 2007;67 Suppl 1:2-9.
11. Taheri S. The link between short sleep duration and obesity: we should recommend more sleep to prevent obesity. Arch Child. 2006;91(11):881-4.
12. Bjorvatn B, Sagen IM, Oyane N, Waage S, Fetveit A, Pallesen S, et al. The association between sleep duration, body mass index and metabolic measures in the Hordaland Health Study. J Sleep Res. 2007;16(1):66-76.
13. Choi KM, Lee JS, Park HS, Baik SH, Choi DS, Kim SM. Relationship between sleep duration and the metabolic syndrome: Korean National Health and Nutrition Survey 2001. Int J Obes. 2008;32(7):1091-7.
14. Williams CJ, Hu FB, Patel SR, Mantzoros CS. Sleep duration and snoring in relation to biomarkers of cardiovascular disease risk among women with type 2 diabetes. Diabetes Care. 2007;30(5):1233-40.
15. Kaneita Y, Uchiyama M, Yoshiike N, Ohida T. Associations of usual sleep duration with serum lipid and lipoprotein levels. Sleep. 2008;31(5):645-52.
16. Taheri S, Lin L, Austin D, Young T, Mignot E. Short sleep duration is associated with reduced leptin, elevated ghrelin, and increased body mass index. PLoS Med. 2004;1(3):e62.
17. Spiegel K, Leproult R, L'hermite-Balériaux M, Copinschi G, Penev PD, Van Cauter E. Leptin levels are dependent on sleep duration: relationships with sympathovagal balance, carbohydrate regulation, cortisol, and thyrotropin. J Clin Endocrinol Metab. 2004;89(11):5762-71.
18. Mullington JM, Chan JL, Van Dongen HP, Szuba MP, Samaras J, Price NJ, et al. Sleep loss reduces diurnal rhythm amplitude of leptin in healthy men. J Neuroendocrinol. 2003;15(9):851-4.
19. Moher D, Liberati A, Tetzlaff J, Altman DG, Altman D, Antes G, et al; PRISMA Group. Preferred reporting items for systematic reviews and meta-analyses: the PRISMA statement. Ann Intern Med. 2015;151(4):264-9.
20. U.S. National Library of Medicine. Home Pubmed. [Internet]. [Acessed in 2015 Jan 8]. Available from: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed
21. BIREME. Biblioteca Virtual em Saúde (BVS). Lilacs. [Internet]. [Acesso em 2015 Maio 10]. Disponível em: http://www.lilacs.bvsalud.org.
22. Thomson Reuters. Web of Science.[ Internet]. [Accessed in 2015 Jun 12]. Available from: http://www.apps.webofknowledge.ez67.periodicos.capes.gov.br/wos.
23. ELSEVIER. Scopus. [Internet]. [Accessed in 2015 Jun 10]. Available from: http://www.scopus.com.ez67.periodicos.capes.gov.br
24. BIREME. Biblioteca Virtual em Saúde (BVS). Adolec. [Internet]. [Acesso em 2015 maio 10]. Disponível em http://www.adolec.org.br
25. Wells G, Shea B, O'Connell D, Peterson J, Welch V, Losos M, et al. The Newcastle-Ottawa Scale (NOS) for assessing the quality of nonrandomized studies in meta-analyses: Ottawa Hospital Research Institute. [Accessed in 2010 Jun 20]. Available from: http://www.ohri.ca/programs/clinical_epidemiology/oxford.asp.
26. Flynn D, Knoedler MA, Hess EP, Murad MH, Erwin PJ, Montori VM, et al. Engaging patients in health care decisions in the emergency department through shared decision-making: a systematic review. Acad Emerg Med. 2015;19(8):959-67.
27. Gangwisch JE, Malaspina D, Babiss LA, Opler MG, Posner K, Shen S, et al. Short sleep duration as a risk factor for hypercholesterolemia: analyses of the National Longitudinal Study of Adolescent Health. Sleep. 2010;33(7):956-61.
28. Kong AP, Wing YK, Choi KC, Li AM, Ko GT, Ma RC, et al. Associations of sleep duration with obesity and serum lipid profile in children and adolescents. Sleep Med. 2011;12(7):659-65.
29. Narang I, Manlhiot C, Davies-Shaw J, Gibson D, Chahal N, Stearne K, et al. Sleep disturbance and cardiovascular risk in adolescents. CMAJ. 2012;184(17):E913-20.
30. Rey-Lopez JP, de Carvalho HB, de Moraes AC, Ruiz JR, Sjostrom M, Marcos A, et al. Sleep time and cardiovascular risk factors in adolescents: The HELENA (Healthy Lifestyle in Europe by Nutrition in Adolescence) study. Sleep Med. 2014;15(1):104-10.
31. Azadbakht L, Kelishadi R, Khodarahmi M, Qorbani M, Heshmat R, Motlagh ME, et al. The association of sleep duration and cardiometabolic risk factors in a national sample of children and adolescents: The CASPIAN III Study. Nutrition. 2013;29(9):1133-41.
32. Berentzen NE, Smit HA, Bekkers MB, Brunekreef B, Koppelman GH, De Jongste JC, et al. Time in bed, sleep quality and associations with cardiometabolic markers in children: the Prevention and Incidence of Asthma and Mite Allergy birth cohort study. J Sleep Res. 2014;23(1):3-12.
33. Lee JA, Park HS. Relation between sleep duration, overweight, and metabolic syndrome in Korean adolescents. Nutr Metab Cardiovasc Dis. 2014;24(1):65-71.
34. Wolfson AR, Carskadon MA, Acebo C, Seifer R, Fallone G, Labyak SE, et al. Evidence for the validity of a sleep habits survey for adolescents. Sleep. 2003;26(2):213-6.
35. Sadeh A, Sharkey KM, Carskadon MA. Activity-based sleep-wake identification: an empirical test of methodological issues. Sleep. 1994;17(3):201-7.
36. Acebo C, Sadeh A, Seifer R, Tzischinsky O, Wolfson AR, Hafer A, et al. Estimating sleep patterns with activity monitoring in children and adolescents: how many nights are necessary for reliable measures? Sleep. 1999;22(1):95-103.
37. Buysse DJ, Reynolds CF, Monk TH, Berman SR, Kupfer DJ. The Pittsburgh Sleep Quality Index: a new instrument for psychiatric practice and research. Psychiatry Res. 1989;28(2):193-213.
38. Perry CL, Sellers DE, Johnson C, Pedersen S, Bachman KJ, Parcel GS, et al. The Child and Adolescent Trial for Cardiovascular Health (CATCH): intervention, implementation, and feasibility for elementary schools in the United States. Health Educ Behav. 1997;24(6):716-35.
39. Lipid Research Clinics. Population studies data book. Volume 1. NIH Publication No.80-1527. Washington, DC; US Department of Health and Human Services; 1980.
Política de Privacidade. © Copyright, Todos os direitos reservados.