Sedimentando o presente, visando o futuro

Sedimentando o presente, visando o futuro

Autores:

Rogerio Souza

ARTIGO ORIGINAL

Jornal Brasileiro de Pneumologia

versão impressa ISSN 1806-3713versão On-line ISSN 1806-3756

J. bras. pneumol. vol.42 no.6 São Paulo nov./dez. 2016

http://dx.doi.org/10.1590/s1806-37562016000600002

A literatura científica tem apresentado mudanças substanciais ao longo das últimas décadas. Há uma progressiva migração para o modelo baseado em plataforma on-line exclusiva, mesmo de periódicos tradicionais; além do aspecto relacionado aos custos, tal migração dá também maior velocidade à exposição dos artigos aceitos. Em paralelo, com o aparecimento de um número cada vez maior de periódicos, sem dúvida maior se torna o portfólio para a publicação de um manuscrito; todavia, a maioria absoluta desses novos periódicos é baseada no modelo de submissão paga, o que acaba por criar outro tipo de barreira no processo editorial, particularmente para pesquisadores emergentes, cujas fontes de financiamento são mais limitadas.

Dentro deste cenário, mas respeitando os objetivos fundamentais do JBP,1 várias decisões editoriais foram tomadas, tendo a atuação do corpo de editores associados fundamental importância. Essa atuação deu maior representatividade a áreas antes pouco expostas no JBP; um exemplo disso é que, dentre os artigos mais citados nos últimos dois anos, há dois artigos da área de fisiologia dos músculos respiratórios,2,3 um da área de circulação pulmonar4 e dois relacionados ao tabagismo. 5,6 Essas áreas vieram se somar às áreas já sedimentadas no JBP, como a área de doenças obstrutivas e mesmo a tisiologia. Também substancial foi o crescimento no número de artigos relacionados a procedimentos invasivos7,8 e à área de cirurgia torácica,9 mostrando a expansão clara da representatividade do JBP. Em paralelo, os artigos de revisão buscaram temas de interesse mais geral do leitor do JBP, como sono,10 fibrose pulmonar idiopática11 e imagem,12 associando-se às seções de educação continuada em metodologia científica e em imagem no objetivo de tornar o JBP uma ferramenta acessível de atualização para todos com interesse na área da medicina respiratória.

Ao mesmo tempo, foi possível reduzir o tempo médio entre a submissão e a decisão final dos manuscritos, cabendo aqui um agradecimento sincero a todos os revisores que contribuem para que tornemos nosso processo de avaliação e publicação mais ágil, ainda que gratuito. Foi a participação direta dos revisores que permitiu tal avanço. Há de se reconhecer, contudo, que ainda há muito para melhorar; várias decisões no processo precisam de maior agilidade. Só assim o JBP poderá se tornar ainda mais atrativo para os pesquisadores, como forma de expor seus resultados de forma abrangente e rápida.

Não haveria sentido nessas mudanças se elas não fossem acompanhadas de um maior reconhecimento internacional do conteúdo publicado no JBP. Felizmente, o observado nos permite dizer que foi isso o que aconteceu até o momento. O fator de impacto publicado no Journal Citation Reports da Thomson Reuters se estabilizou, com leve melhora, estando agora em 1,019. Isso mostra que os efeitos da suspensão temporária de 201413 começam a ser superados. Reforçando essa impressão foi a evolução do índice de citações/documento (dois anos) do Scimago Jornal Rank , que é de 1,282, evidenciando um crescimento de 15% em relação ao ano anterior. Esses números, embora tenham espaço para um crescimento substancial, colocam o JBP como o principal jornal na área de medicina respiratória na América Latina; ainda, como uma importante revista de divulgação para a pós-graduação brasileira, uma vez que continuam nos posicionando em bom estrato no sistema Qualis da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior.

Todavia, há a necessidade de maior consolidação desse processo. Há vários grupos muito relevantes de pesquisa em nosso país que ainda não têm participação significativa no JBP e que poderiam enriquecer muito a representatividade do Jornal. Há também a oportunidade de atualização de várias das diretrizes da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia, que também têm um fundamental papel na exposição de qualquer periódico científico. São oportunidades a explorar ao longo dos próximos anos.

O JBP pode se tornar também uma plataforma para a discussão de caminhos e de alternativas na medicina respiratória. Há espaço para iniciarmos o debate de vários aspectos que envolvem desde a formação do pneumologista como o futuro da pesquisa na área respiratória. Currículo ideal, fontes de fomento, estrutura mínima de um programa de pós-graduação na área respiratória, estímulos ao jovem pesquisador, retenção de profissionais no ambiente universitário e defesa profissional: todos são temas relevantes para o futuro da medicina respiratória que podem ser expostos no JBP sob a forma de debates entre expoentes de cada uma das respectivas áreas.

Se existe ainda uma necessidade grande de aprimorarmos processos e sedimentarmos o crescimento contínuo do JBP, não podemos perder de vista as oportunidades de dar ao JBP um papel ainda mais abrangente para levar o leitor à reflexão, não apenas sobre ciência, principio fundamental da existência do jornal, mas também sobre políticas de saúde, formação profissional e educação médica. Fica, desde já, o convite ao leitor para dar, junto com o JBP, mais esse passo.

REFERÊNCIAS

1. Souza R. The next 40 years. J Bras Pneumol. 2015;41(5):404.
2. Caruso P, Albuquerque AL, Santana PV, Cardenas LZ, Ferreira JG, Prina E, et al. Diagnostic methods to assess inspiratory and expiratory muscle strength. J Bras Pneumol. 2015;41(2):110-23.
3. Marques TB, Neves Jde C, Portes LA, Salge JM, Zanoteli E, Reed UC. Air stacking: effects on pulmonary function in patients with spinal muscular atrophy and in patients with congenital muscular dystrophy. J Bras Pneumol. 2014;40(5):528-34.
4. Gavilanes F, Alves Jr JL, Fernandes C, Prada LF, Jardim CV, Morinaga LT, et al. Left ventricular dysfunction in patients with suspected pulmonary arterial hypertension. J Bras Pneumol. 2014;40(6):609-16.
5. Knorst MM, Benedetto IG, Hoffmeister MC, Gazzana MB. The electronic cigarette: the new cigarette of the 21st century? J Bras Pneumol. 2014;40(5):564-72.
6. Stelmach R, Fernandes FL, Carvalho-Pinto RM, Athanazio RA, Rached SZ, Prado GF, et al. Comparison between objective measures of smoking and self-reported smoking status in patients with asthma or COPD: are our patients telling us the truth? J Bras Pneumol. 2015;41(2):124-32.
7. Perazzo A, Gatto P, Barlascini C, Ferrari-Bravo M, Nicolini A. Can ultrasound guidance reduce the risk of pneumothorax following thoracentesis? J Bras Pneumol. 2014;40(1):6-12.
8. Ortakoylu MG, Iliaz S, Bahadir A, Aslan A, Iliaz R, Ozgul MA, et al. Diagnostic value of endobronchial ultrasound-guided transbronchial needle aspiration in various lung diseases J Bras Pneumol. 2015;41(5):410-4.
9. Marchetti-Filho MA, Leão LE, Costa-Junior Ada S. The role of intercostal nerve preservation in acute pain control after thoracotomy. J Bras Pneumol. 2014;40(2):164-70.
10. Beltrami FG, Nguyen XL, Pichereau C, Maury E, Fleury B, Fagondes S. Sleep in the intensive care unit. J Bras Pneumol. 2015;41(6):539-46.
11. Baddini-Martinez J, Baldi BG, Costa CH, Jezler S, Lima MS, Rufino R. Update on diagnosis and treatment of idiopathic pulmonary fibrosis. J Bras Pneumol. 2015;41(5):454-66.
12. Hochhegger B, Alves GR, Irion KL, Fritscher CC, Fritscher LG, Concatto NH, et al. PET/CT imaging in lung cancer: indications and findings. J Bras Pneumol. 2015;41(3):264-74.
13. Souza R. 2015--another step along the road in a 40-year journey. J Bras Pneumol. 2015;41(1):1-2.
Política de Privacidade. © Copyright, Todos os direitos reservados.