Sinal do halo invertido

Sinal do halo invertido

Autores:

Edson Marchiori,
Gláucia Zanetti,
Bruno Hochhegger

ARTIGO ORIGINAL

Jornal Brasileiro de Pneumologia

versão impressa ISSN 1806-3713versão On-line ISSN 1806-3756

J. bras. pneumol. vol.41 no.6 São Paulo nov./dez. 2015

http://dx.doi.org/10.1590/s1806-37562015000000235

Figura 1 TC com janela para mediastino evidenciando o sinal do halo invertido no pulmão direito. Observar que o interior do halo apresenta aspecto reticulado. 

Homem de 35 anos chega à emergência com quadro de dor torácica acompanhada de dispneia. Relato de fratura em membro inferior com imobilização por 30 dias.

O paciente apresentava o sinal de halo invertido (SHI) com aspecto reticulado, e o diagnóstico final foi de infarto pulmonar. O SHI observado em TCAR de tórax é definido como uma área arredondada de opacidade em vidro fosco circundada por um anel de consolidação. Esse sinal foi inicialmente descrito como específico de pneumonia em organização (PO). Publicações posteriores o identificaram em um amplo espectro de doenças infecciosas e não infecciosas. No nosso meio, as causas infecciosas mais comuns são a tuberculose, a paracoccidioidomicose e as doenças fúngicas invasivas (aspergilose pulmonar invasiva e mucormicose). Dentre as causas não infecciosas, a mais comum é a PO, tanto em sua forma idiopática como na forma secundária. Outras causas importantes são o infarto pulmonar e a sarcoidose.

Embora considerado um sinal pouco específico, a cuidadosa análise de suas características morfológicas pode estreitar o diagnóstico diferencial, ajudando o médico assistente no diagnostico definitivo. Dois aspectos de imagem devem ser considerados na tentativa de tornar o diagnóstico mais específico: a presença de nódulos compondo a parede e/ou o interior do halo (SHI nodular), assim como o aspecto reticulado no interior do halo (SHI reticulado).

O SHI nodular é observado basicamente em doenças granulomatosas em atividade, particularmente a tuberculose e a sarcoidose. Eventualmente, é visto também em casos de paracoccidioidomicose. A análise histopatológica destes casos revelou que a formação de nódulos é devida à presença de granulomas. Em relação ao SHI reticulado, o estado imunológico do paciente é a informação clínica mais importante para o diagnóstico diferencial. Em pacientes imunodeficientes, a principal hipótese diagnóstica são as doenças fúngicas invasivas. Em pacientes imunocompetentes, o achado do SHI reticulado, em regra. corresponde a infarto pulmonar, em geral secundário a doença tromboembólica. No caso de infarto por doença tromboembólica, a confirmação imediata deve ser obtida através da dosagem de dímero D e de angiotomografia computadorizada.

Deve ser lembrado que esses dois aspectos não são observados na PO, que é a causa mais comum do SHI. Essas considerações são importantes porque o tratamento dessas condições é completamente diferente. O uso de corticoides, que é o tratamento de escolha da PO, pode ter efeitos nocivos em pacientes com doença fúngica invasiva ou com tuberculose em atividade. Embora o diagnóstico final deva ser baseado na correlação com as manifestações clínicas, as características do SHI podem ser bastante úteis no diagnóstico diferencial. Em alguns casos, a biópsia pulmonar pode ser necessária para o diagnóstico final.

REFERÊNCIAS

1. Marchiori E, Zanetti G, Hochhegger B, Irion KL, Carvalho AC, Godoy MC. Reversed halo sign on computed tomography: state-of-the-art review. http://dx.doi.org/10.1007/s00408-012-9392-x
Política de Privacidade. © Copyright, Todos os direitos reservados.