The challenges and results of 29 years of publication of Acta Paulista de Enfermagem

The challenges and results of 29 years of publication of Acta Paulista de Enfermagem

Autores:

Janine Schirmer

ARTIGO ORIGINAL

Acta Paulista de Enfermagem

Print version ISSN 0103-2100On-line version ISSN 1982-0194

Acta paul. enferm. vol.29 no.1 São Paulo Jan./Feb. 2016

http://dx.doi.org/10.1590/1982-0194201600001

O Editorial publicado pela Acta Paulista de Enfermagem (APE) em 1988 expressava o propósito de ser uma revista forte e dinâmica para enfermagem brasileira publicar seus manuscritos científicos. Ao longo dos anos, a APE também passou a publicar contribuições à área da saúde. Ao completar 17 anos, a APE assumiu como missão incrementar a publicação de artigos de qualidade científica e favorecer a educação profissional.(1) No início do século XXI, a APE assumiu as demandas da globalização indexada, com destaque para a coleção SciELO e as base de dados do Institute for Scientific Information (ISI), Scimago e Scopus.(2) Além disso, a APE inovou para atender à necessidade premente de publicar exclusivamente na versão digital, com uma alta demanda de submissões, visando alcançar maior audiência, visibilidade, velocidade de divulgação e acesso universal gratuito. A forma digital da APE permitiu proporcionar tanto a publicação ahead of print como a interatividade entre os autores.(3)

Em 2013, o projeto editorial da APE era estar entre as melhores revistas de Enfermagem do mundo. Com este desafio, a APE profissionalizou o escritório editorial e adotou o Scholar One, um sistema de referência internacional, que permite aos autores submeter seus manuscritos online e acompanhar o fluxo da revisão pela editora chefe, [editores] associados e pareceristas ad-hoc. Assim, a diagramação dos artigos passou a ser feita no escritório editorial, adotando a marcação inteligente no formato XML, conforme exigido pelo PubMed Central.(4) A APE também adotou uma política de conscientização e informação sobre propriedade intelectual, adotando procedimentos específicos para coibir a prática do plágio. O objetivo desta política é informar os autores sobre práticas de escrita aceitáveis, definindo, assim, um padrão de qualidade para a publicação de artigos peer-reviewed. Com isso, a APE passou a ser considerada um periódico em ascensão, sob critérios rigorosos de qualidade nas áreas científica, técnica e administrativa.

Assim, a APE, completou 25 anos, com os seguintes critérios de qualidade: i. open access, ii. aplicativo disponível para iPad (em Português e Inglês), iii. apoio da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); iv. corpo editorial composto por pesquisadores brasileiros e do exterior; v. indexação em bases internacionais e nacionais (incluindo Web of Science, ISI, SCOPUS, CUIDEN, CINAHL, SciELO e LILACS) e vi. classificação no índice QUALIS/CAPES (estrato A2), usado para avaliar programas de pós-graduação stricto sensu.(5)

Como Editora-Chefe da APE, tenho o previlégio de fazer um recorte histórico dos Editoriais de minhas antecessoras. Algumas decisões anteriores permitiram que a APE, uma publicação eletrônica técnico-científica da Escola Paulista de Enfermagem (EPE, UNIFESP), viesse a ser um periódico científico em ascensão, com interface de multimídia. Mais uma vez, a APE inovou com uma mudança necessária para continuar procurando estar entre as destacadas revistas nos cenários nacional e internacional e nas áreas da enfermagem e da saúde. Em 2015, a APE foi submetida à avaliação pelo PubMed Central (National Institute of Health, NIH, e National Library of Medicine, NLM) e, depois, pelo MedLine, visando a indexação nesta importante rede de dados da área da saúde no mundo como a disponibilidade nas bases de texto em acesso aberto das ciências biomédicas e da vida. Por fim, a APE aderiu ao Portal RevEnf como uma estratégia para fortalecer os periódicos científicos da enfermagem brasileira.

Janine Schirmer
Editora da Acta Paulista de Enfermagem

REFERÊNCIAS

1. Editorial. Acta Paul Enferm. 2005; 18(2):123-4.
2. Barros AL. A Acta Paulista de Enfermagem no programa SciELO. Acta Paul Enferm. 2007; 20(1):v.
3. Barbosa DA, Belasco A, Vianna LA. Acta Paulista de Enfermagem em suporte digital: registro de um marco na história. Acta Paul Enferm. 2012; 25(1): i.
4. Editorial. Acta Paul Enferm. 2013; 26(1): i.
5. Adami NP. Editorial. Acta Paul Enferm. 2013; 26(4):vi-vi.