Uma associação tomográfica incomum: toxicidade pulmonar por amiodarona e adenocarcinoma

Uma associação tomográfica incomum: toxicidade pulmonar por amiodarona e adenocarcinoma

Autores:

Arthur Soares Souza Jr,
Gláucia Zanetti,
Edson Marchiori

ARTIGO ORIGINAL

Jornal Brasileiro de Pneumologia

versão impressa ISSN 1806-3713versão On-line ISSN 1806-3756

J. bras. pneumol. vol.42 no.6 São Paulo nov./dez. 2016

http://dx.doi.org/10.1590/s1806-37562016000000168

Mulher de 73 anos de idade, fumante, com dispneia progressiva. Apresentava história de taquiarritmia ventricular tratada com amiodarona. A radiografia de tórax demonstrou opacificação difusa do hemitórax esquerdo. A TC de tórax mostrou derrame pleural à esquerda e pulmão colapsado, com alta densidade, contendo uma massa arredondada hipodensa (setas). Havia ainda pequeno derrame pleural à direita e hiperdensidade hepática (o fígado era mais denso do que o coração; Figura 1). A biópsia percutânea aspirativa por agulha fina da massa revelou adenocarcinoma. Os achados histopatológicos do parênquima pulmonar denso foram compatíveis com toxicidade pulmonar induzida por amiodarona (TPA). A paciente faleceu um mês após o exame. A amiodarona associa-se a uma ampla gama de efeitos adversos, incluindo TPA.1-3 O diagnóstico de TPA pode ser sugerido com base na combinação de achados clínicos, radiológicos e patológicos e é confirmado por melhora após a interrupção da terapia com amiodarona.3 O elevado teor de iodo da medicação permite a detecção de depósitos de amiodarona no pulmão por meio de TC na forma de opacidades parenquimatosas com alta atenuação. A associação de consolidações pulmonares densas com alta densidade hepática é característica da impregnação por amiodarona.2,3 No caso aqui descrito, o parênquima pulmonar denso causado pela impregnação por amiodarona permitiu a identificação tomográfica do tumor.

Figura 1 Imagens de TC de tórax nos planos axial (em A), coronal (em B) e sagital (em C) mostrando derrame pleural à esquerda e pulmão colapsado, com alta densidade, contendo uma massa arredondada hipodensa (setas). Observa-se ainda pequeno derrame pleural à direita e hiperdensidade hepática (o fígado é mais denso do que o coração). 

REFERÊNCIAS

1. Hudzik B, Polonski L. Amiodarone-induced pulmonary toxicity. CMAJ. 2012;184(15):E819.
2. Hochhegger B, Soares Souza A Jr, Zanetti G, Marchiori E. An enlarged heart with hyperdense consolidation. Neth J Med. 2013;71(6):317, 321.
3. Jarand J, Lee A, Leigh R. Amiodaronoma: an unusual form of amiodarone-induced pulmonary toxicity. CMAJ. 2007;176(10):1411-3.
Termos de Uso | Política de Privacidade. © Copyright, Todos os direitos reservados.