Internato

Um caso clínico AVC | Acidente Vascular Cerebral

Um caso clínico AVC | Acidente Vascular Cerebral

Compartilhar


ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL: manejo e condutas
Área de conhecimento: emergências neurológicas

Identificação do paciente

J.F.C, 67 anos, masculino, advogado com antecedentes de HAS e DM II (uso irregular de Losartana e Metformina).

Queixa principal

Vem trazido por familiares ao setor de emergência do HGRS com queixa de um quadro súbito de fraqueza ao lado direito do corpo e dificuldade para falar que iniciou há cerca de 30 minutos do momento da admissão.

Baixe 40 Casos Clínicos gratuitos na Revista SanarMED

Exame físico

Regular estado geral, hidratado, anictérico, afebril.

Dados Vitais: PR: 125bpm, ritmo irregular; FR 18 ipm; TA 180/100mmhg; HGT: 200

Aparelho Respiratório: murmúrios vesiculares bem distribuídos, sem ruídos adventícios

Aparelho Cardiovascular: bulhas arrítmicas, normofonéticas em 2 tempos, sem sopros

Abdome: flácido, indolor.

Exame neurológico: vigil, Afasia global, pupilas isofotoreativas, força muscular 0/5 em hemicorpo direito.

NHISS: 18

Exames complementares

DII Imagem exame caso clínico avc
fonte:http://pt.my-ekg.com/arritmias-cardiacas/fibrilacao-atrial.html


Imagem exame caso clínico avc
fonte:https://www.fcm.unicamp.br/drpixel/conteudo/acm-hiperdensa-avc-isquemico

Discussão do Caso Clínico AVC

Pontos para a discussão

  1. Qual a principal hipótese diagnóstica para o caso?
  2. Como deve ser realizado o atendimento inicial deste paciente?
  3. Qual principal exame a ser solicitado neste caso?
  4. Algum tratamento específico deve ser realizado neste caso? Quais contraindicações?
  5. Quais outros exames de investigação devem ser realizados ainda durante o internamento e qual a provável terapia de prevenção secundária escolhida?

A principal hipótese para esse paciente é de um Acidente Vascular Cerebral, condição definida como um déficit neurológico, geralmente focal, de início abrupto ou progressão rápida. Nesse caso o AVC é do tipo isquêmico, que corresponde a cerca de 80% dos casos e está muito associado a trombose e cardioembolismo. Os principais fatores de risco associados são: hipertensão arterial sistêmica, diabetes mellitus tipo 2, dislipidemia, obesidade, tabagismo, história familiar e idade maior que 60 anos.

O primeiro passo nesses casos é reconhecer que se trata de um caso de emergência neurológica, o AVC. Após o reconhecimento é necessário monitorizar e estabilizar esse paciente utilizando o mnemônico ABCD.
A: avaliar via área e necessidade de sucção para evitar broncoaspiração; avaliar necessidade de intubação;
B: avaliar saturação de oxigênio, se < 94% oferecer O2 de baixo fluxo;
C: inicialmente não devemos tratar a hipertensão devido ao mecanismo de compensação do hipofluxo cerebral, podendo ser tolerado níveis de até 220×120 mmHg;
D: exame neurológico direcionado, HGT, aplicar a escala NIHSS;

É fundamental uma história direcionada com tempo do início dos sintomas, progressão do quadro, investigar patologias, fatores de risco, medicações em uso e alergias. A apresentação clínica do paciente com AVC pode ser muito variável, já que os sintomas dependem região acometida. No quadro abaixo estão os sintomas mais comuns de acordo com a artéria acometida (lembrando que a mais afetada é a artéria cerebral média).
tabela sobre caso clínico AVC

O exame de neuroimagem é fundamental, sendo a TC de crânio sem contraste o exame de escolha nesses casos devido a facilidade e baixo custo. Deve ser feita imediatamente, principalmente para diferenciar o AVC isquêmico do hemorrágico e assim definir a conduta em cada caso.

Entretanto, devemos lembrar que frequentemente a TC do AVCI não manifesta alterações na fase aguda e o diagnóstico é feito pela exclusão de AVCH. Em alguns casos a artéria cerebral média hiperdensa pode ser um sinal precoce do AVCI (imagem 2), indicando que há uma obstrução do fluxo sanguíneo. O AVCH é dividido em Hemorragia Intraparenquimatosa (HIP) ou Hemorragia Subaracnoidea (HSA), podendo ser diferenciados pela TC.

Em geral a HIP apresenta-se como uma imagem hiperatenuante no parênquima encefálico com limites bem definidos, podendo causar complicações estruturais como distorção dos ventrículos adjacentes e desvio da linha média (imagem 3). Já a HSA apresenta-se como imagem hiperatenuante dentro das cisternas e sulcos cerebrais (imagem 4).

imagem exame caso clínico AVC
fonte:https://www.fcm.unicamp.br/drpixel/conteudo/acm-hiperdensa-avc-isquemico


imagem exame caso clínico AVC
fonte:Soares et al.  (2004).. Arquivos de Neuro-Psiquiatria, 62(3a), 682-688.



Imagem exame caso clínico AVC

fonte:Soares et al.  (2004).. Arquivos de Neuro-Psiquiatria, 62(3a), 682-688.

Além do exame de imagem devem ser solicitados exames complementares que irão auxiliar na definição da etiologia e acompanhamento clínico. Os principais exames são: ECG, hemograma, ureia, creatinina, sódio, potássio, TP com RNI e TTPa, marcadores de necrose miocárdica.

O tratamento indicado nos casos de AVC isquêmico é a trombólise. Entretanto é necessário que o tempo entre o início do quadro e o tratamento seja de até 4 horas e meia e as contraindicações devem ser checadas uma a uma:

Tabela 2 caso clínico AVC
fonte:Martins, HS, Brandão, RA, Velasco, IT. Emergências Clínicas – Abordagem Prática – USP. Manole, 12ª edição, 2018;

Nos pacientes candidatos à trombólise devemos fazer o controle pressórico e manter PA abaixo de 185×110. Para esse controle é usado um anti-hipertensivo e como primeira opção temos o labetalol 10-20 mg EV em 1-2 min, manter 2-8 mg/min em BIC e segunda opção o nitroprussiato – BIC iniciar com 0,1-0,3 ug/kg/min, aumentar a cada 5 min, que na prática é o mais utilizado devido a disponibilidade.

A trombólise é feita com alteplase (rt-PA) IV (0,9mg/kg, dose máxima de 90 mg em 1h) e o paciente deve ser avaliando continuamente principalmente através do NIHSS. A terapia de suporte clínico deve ser feita com dieta zero, mantendo glicemia capilar < 180 mg/dL, cabeceira a 0° e repouso absoluto, hidratação basal com cristaloide e temperatura < 37,8º C.

Nos pacientes que não são indicados à trombólise a conduta preconizada é: controle pressórico (< 220×120 mmHg), iniciar imediatamente anticoagulação com ácido acetilsalicílico (AAS) 300 mg VO 1x/dia por 15 dias e após manter 100 mg VO 1x/dia, investigar e tratar causa.

Nesse paciente a provável causa é a formação de um êmbolo cardíaco que obstruiu a artéria cerebral média como mostra o exame de imagem. A provável causa do êmbolo é a fibrilação atrial, devido aos achados típicos do eletrocardiograma: intervalos R-R irregulares, ausência de ondas P e ondas f, além de se tratar de um paciente hipertenso e diabético, fatores de risco muito importantes nessas patologias.

Nesses casos de AVC cardioembólico resultante de fibrilação atrial, é recomendada a anticoagulação a longo prazo com varfarina.

Pontos importantes

  • Devemos sempre suspeitar de AVC em casos de déficit neurológico focal, súbito ou com progressão rápida.
  • A TC de crânio sem contraste deve ser solicitada imediatamente para diagnóstico diferencial de AVC hemorrágico ou isquêmico.
  • Uma das principais causas de AVCI é o cardioembolismo secundário à fibrilação atrial.
  • A artéria mais acometida é a cerebral média, associada principalmente a déficit motor com predomínio braquiofacial, déficit sensitivo e afasia.
  • O principal tratamento no AVCI é a trombólise com alteplase, realizada nos pacientes sem contra-indicações e com início dos sintomas menos que 4 horas e meia.

Autores: LIET – Liga de Emergência e Trauma (UNEB)

Confira o vídeo:

REFERÊNCIAS:

  • 2018 Guidelines for the Early Management of Patients With Acute Ischemic Stroke: A Guideline for Healthcare Professionals From the American Heart Association/American Stroke Association;
  • Martins, HS, Brandão, RA, Velasco, IT. Emergências Clínicas – Abordagem Prática – USP. Manole, 12ª edição, 2018;
  • Oliveira, CQ, Souza, CMM, Moura, CGG. Yellowbook: Fluxos e condutas da medicina interna. SANAR, 1ª ed, 2017;
  • Toy, Patlan. Casos Clínicos de Medicina Interna, ArtMed, 4ª ed, 2014.

Posts Relacionados

Compartilhe com seus amigos:
Política de Privacidade. © Copyright, Todos os direitos reservados.