InfectologiaInternato

Caso clínico: Histoplasmose

Paciente de 47 anos, sexo masculino, agricultor, deu entrada na UPA com história de tosse seca e febre (não mensurada) há 3 meses.

Paciente relata ainda que vem cursando com astenia intensa e cefaleia de intensidade 6/10, pulsátil e holocraniana, a qual melhorava com analgésicos ( não soube especificar o nome) e piorava quando tinha quadros intensos de tosse. Relata ainda que evoluiu no último mês com dispneia aos esforços extra-habituais e dor torácica de intensidade 8/10 impedindo-o de realizar suas atividades rotineiras.

Paciente relata que mora na zona rural, onde trabalha como agricultor e afirma criar muitos pássaros.

Nega DM, HAS, HIV, hepatites e tuberculose. Nega fazer uso de medicamentos. Nega alergias e cirurgias prévias. Nega histórico familiar de tuberculose e câncer.

Exame Físico

Paciente apresenta-se lúcido no tempo e espaço, em regular estado geral, emagrecido, desidratado e descorado.

PA: 110x80mmHg   FC: 82 ppm  FR: 22ipm  Tax: 37,2ºC

Pele com turgor e elasticidade alterados.

Linfonodos não palpáveis.

Aparelho cardiovascular: sem alterações.

Aparelho respiratório: tórax atípico, boa expansibilidade, FTV presente, murmúrio vesicular reduzido difusamente.

Abdome e sistema nervoso: nada digno de nota.

Exames Laboratoriais

 TGO: 142   TGP: 53  Ureia: 59   Bilirrubina direta: 1,9    Bilirrubina indireta: 0,9   Na: 148  K: 6,6  Cl: 100

Hemograma com leucocitose de 13.000 às custas de granulócitos e linfopenia de 1500.

Raio-X de tórax evidenciando um disseminado micronodular nos pulmões.

Bacterioscopia e cultura de material de biópsia e escarro foram negativas para BK e as culturas das amostras de escarro e do lavado broncoalveolar revelaram a presença de Histoplasma capsulatum.

Conduta

Foi iniciado tratamento com Anfotericina B, 1mg/kg, IV,  1 dose/dia
durante 14 dias e depois substituído por Itraconazol, 200 mg, VO, 2 vezes ao
dia, durante 12 meses. 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar