Medicina e Tecnologia

Como educar pacientes em saúde através da internet | Colunistas

Como educar pacientes em saúde através da internet | Colunistas

Compartilhar

Ingride Cruz

4 min há 537 dias

3 dicas para o profissional do futuro.

Quando se fala em tecnologias na saúde pensamos em inovações disruptivas, robôs cirurgiões e aparelhos que beiram a ficção científica. E estas ideias podem parecer utópicas e distantes para alguns, mas a realidade é que tais inovações estão presentes no Brasil e impactam diariamente a área médica. Para além de recursos destinados aos profissionais, a internet é o principal meio tecnológico utilizado por pacientes.

O uso da internet como ferramenta de busca de informações pré ou pós consultas é um hábito comum na sociedade brasileira e em todo o mundo. No Brasil, 61% da população tem acesso à internet, são 150 milhões de pessoas que procuram informações sobre saúde na internet, desde tratamentos para doenças, causas e sintomas, informações sobre medicamentos até indicações de especialistas (MORETTI, 2012).

A influência das informações em saúde disponibilizadas online deixou de ser um debate e passou a ser utilizada como ferramenta de informação para muitos pacientes. A reluta de profissionais da saúde em adotar a internet como uma ferramenta e agirem como guias na utilização da internet para educar a população em saúde é grave e talvez uma questão de saúde pública, ao se ausentar na educação em saúde do público em geral.

O grande volume de informações disponíveis na web não necessariamente implica qualidade. Quando se trata de conhecimentos específicos da área médica, os recursos são escassos e limitados, seja pela ausência de conteúdo produzido por profissionais qualificados em determinado tópico ou pela academicidade que impede a compreensão do assunto pelo cidadão médio. Este GAP entre alta demanda de informações em saúde pelo público médio e baixa oferta de conteúdo confiável de médicos e especialistas acaba criando terreno fértil para informações equivocadas, mesmo que bem intencionadas.

Com a área da saúde sofrendo mudanças constantes, o profissional do futuro é diferenciado pelo manejo destas novas ferramentas que participam ativamente na construção da relação médico-paciente enquanto fonte de informação e educação. Pensando nisso, aqui estão 3 dicas para você se preparar para ser um bom médico no século 21:

1- Eduque-se

De maneira geral as faculdades de medicina se esforçam para acompanhar a mudança tecnológica, mas nem todas chegaram lá. Apenas alguns de nós tem o privilégio de participar de discussões sobre telemedicina, relação médico-paciente no século XXI, informática médica e afins, neste contexto a busca pessoal por material sobre estes assuntos é fundamental.

2- Conheça suas fontes

Antes de educar pacientes em saúde através da internet, saiba para onde direcioná-los. Os recursos disponíveis na internet são variados, mas poucos são confiáveis, procure sempre sites de grande porte, com profissionais capacitados que produzam conteúdo e com fortes fontes bibliográficas.

3- Produza conteúdo

Considerando a alta demanda por informações em saúde e a oferta mínima e de baixa qualidade presente na internet, a produção de conteúdo por profissionais habilitados tirando dúvidas sobre sua área de atuação tende a ser extremamente benéfica. Há de se considerar as recomendações tanto de ética médica quanto do CFM no que se refere a presença online de profissionais de saúde, no entanto muito pode ser feito seguindo estas bases.

O Profissional do futuro está constantemente se aperfeiçoando e acompanhando as inovações da área. Não sabe por onde começar? Aqui estão 10 conselhos para o médico do futuro

Autor: Ingride Cruz

Instagram: @Cruzingride


O texto acima é de total responsabilidade do autor e não representa a visão da sanar sobre o assunto

Gostou do artigo? Quer ter o seu artigo no Sanarmed também? Clique no botão abaixo e participe

Compartilhe com seus amigos:
Política de Privacidade. © Copyright, Todos os direitos reservados.