Coronavírus

Como os Estados Unidos se transformaram em novo epicentro da Covid-19

Como os Estados Unidos se transformaram em novo epicentro da Covid-19

Compartilhar

Sanar Saúde

4 minhá 395 dias

Com mais de 300 mil casos, os Estados Unidos se transformaram no mais novo epicentro da Covid-19, com maior número de infectados no mundo e uma taxa que cresce em índice acelerado, preocupando as autoridades médicas internacionais. 

Para os especialistas, este aumento desordenado se deve à falta de celeridade do governo norte-americano perante as medidas necessárias para a contenção do vírus.

“Nós nos tornamos epicentro do novo coronavírus pelo fato de não nos movermos rapidamente como deveríamos e porque o clima não funciona em nosso favor. As testagens têm aumentado; então, vemos que a Covid-19 se espalhou mais do que pensávamos. As medidas necessárias incluem forte vigilância em saúde pública e aposta nos diagnósticos”, afirma Robert C. Gallo, diretor do Instituto de Virologia Humana da Universidade de Maryland, em entrevista ao Correio Braziliense.

De Quarentena com a Sanar! Juntos para combater a Covid-19

Histórico da Covid-19 nos E.U.A: Como se tornaram o novo Epicentro da Covid-19?

Alertado desde janeiro sobre um possível surto do novo coronavírus – com registros do primeiro caso ocorrido no dia 22 do mesmo mês – o presidente Donald Trump relutou sobre a criação de políticas de isolamento e contenção de infecções. 

Dessa maneira, os Estados Unidos sofreram com um aumento em larga escala dos infectados, pulando de apenas 15 portadores e nenhuma fatalidade nos primeiros 30 dias para 65 mil casos e 1.041 em apenas dois meses.

“Por algum motivo, essas medidas levaram duas ou três semanas para começarem a ser efetivas. Há casos que surgiram agora, mas que a transmissão se deu há algum tempo, antes de as medidas entrarem em vigor, então o número ainda vai subir por algum tempo.”, afirma a epidemiologista Aubree Gordon, da Universidade de Michigan.

Mesmo com sinais claros da potencialidade de se tornar um novo epicentro, incluindo alertas da Organização Mundial de Saúde (OMS) sobre a necessidade de medidas mais enérgicas, o governo estadunidense recomendou a reclusão absoluta da população apenas no dia 13 de março. Duas semanas depois, o país já superava China e Itália com 83.012 contagiados e 1.301 mortes. 

Benefícios do Isolamento Social e a realização de testes

Sem a previsão de uma vacina para a Covid-19, especialistas apontam que o isolamento e distanciamento social são a melhor estratégia para o combate a proliferação do novo coronavírus. Além disso, a realização de testes de forma mais ampla também deve facilitar na diminuição do surto. 

“O atraso nos testes fez com que o estado demorasse para tomar as medidas necessárias, porque as pessoas pensavam que não havia casos aqui. A infecção estava acontecendo sem que a gente a tivesse detectado.”, completa Gordon.

No último dia 26 de março, o presidente Donald Trump anunciou a aprovação de um novo teste que será capaz de efetuar o diagnóstico do vírus em cerca de 5 minutos, tempo mais ágil que as 24 horas dos resultados anteriores.

“Na sexta-feira, a FDA (departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos) autorizou um novo teste desenvolvido pela Abbott Labs que fornece resultados extremamente rápidos, em menos de 5 minutos. Esse é um jogo totalmente novo”, comemorou Trump.

Confira conteúdos voltados para profissionais da saúde!!

Matérias Relacionadas:

Compartilhe com seus amigos:
Política de Privacidade. © Copyright, Todos os direitos reservados.