Colunistas

Covid-19 afeta homens e mulheres de maneiras diferentes? | Colunistas

Covid-19 afeta homens e mulheres de maneiras diferentes? | Colunistas

Compartilhar

Priscila Araújo

7 min há 61 dias

No presente texto serão abordados os diversos fatores associados às divergências na maneira que o SARS-CoV-2 age de acordo com o gênero do indivíduo afetado, expondo de maneira clara e eficaz as explicações necessárias para o bom entendimento a respeito do tema em questão. Esclarecendo como o sistema imune, as questões socioculturais e as doenças prévias podem influenciar o modo como o sexo do indivíduo é crucial na determinação de como o novo coronavírus atinge o organismo.

Como o sistema imune pode ser influenciado pelos hormônios de cada gênero?

  Em homens e mulheres existe uma certa diferença quanto aos hormônios que predominam em cada gênero, nos homens há uma maior quantidade de testosterona, enquanto que nas mulheres observa-se uma predominância de estrogênio. Diante da evidente diferença hormonal, gera-se uma distinção em como a imunidade de cada gênero atua diante de infecções diversas, sendo de grande importância citar a principal diferença nesse quesito, no caso, a quantidade de estrogênio de cada sexo, dada a sua importância positiva para o sistema imunológico do organismo.

 

Estrogênio

   O hormônio estrogênio possui como uma de suas características um grande potencial de modulação do sistema imune, além de atuar como anti-inflamatório, regulando tanto células do sistema inato quanto do adaptativo, regulação essa realizada pelos receptores de estrogênio. Esses receptores são capazes de produzir interações com o DNA, de maneira que passam a ser reguladores de genes, o que pode ser usado na intervenção diante de doenças que o organismo venha a adquirir.

  De maneira mais específica, esse tipo de hormônio está relacionado com a produção de interferon do tipo 1, o qual pode controlar algumas partes do sistema imunológico e as citocinas, muito importantes em um processo de inflamação. Além disso, o estrogênio também pode influenciar a produção de anticorpos e, consequentemente, a resposta imune humoral.

  Além disso, vários estudos realizados em camundongos, os quais possuíam a síndrome respiratória aguda grave (Sars), ocasionada pelo coronavírus, demonstraram que o hormônio em questão pode atuar contribuindo para o melhor controle da infecção. Assim, torna-se mais fácil de entender que as diferenças hormonais no que se refere ao sexo de cada indivíduo pode influenciar de maneira massiva diferentes respostas imunológicas do organismo.

Como fatores culturais e sociais podem influenciar a infecção pelo coronavírus?

   Além dos fatores genéticos envolvidos na influência do sexo de cada indivíduo diante da infecção pela COVID-19, alguns fatores socioculturais também podem gerar diferenças na maneira que o SARS-CoV-2 atinge o organismo de homens e mulheres. Dessa forma, tem-se como um bom exemplo disso a China, onde mais de 50% da população masculina é usuária de cigarro, quando a porcentagem de mulheres fumantes é bem menor, cerca de 2%. Assim, no exemplo citado, os homens apresentam mais chances de desenvolver quadros mais graves da doença, em razão do grande número de fumantes nesse grupo, já que a COVID-19 é uma doença que atinge de maneira intensa os pulmões.

   Ademais, observa-se uma forte relutância de uma parte da população masculina em buscar atendimento médico, como comprova um estudo realizado pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos, o qual constatou que as mulheres americanas são 33% mais propícias a procurar um médico do que os homens, demonstrando, consequentemente, que quadros de COVID podem se agravar em alguns pacientes masculino pela demora na busca por atendimento médico.

Doenças anteriores podem estar relacionadas a diferentes formas de infecção pelo coronavírus?

  A taxa de mortalidade dos homens em relação às mulheres, ambos infectados pelo coronavírus, pode ser diretamente afetada por doenças prévias, como a diabetes tipo 1, a qual possui uma maior incidência em homens, além da pressão arterial masculina geralmente ser mais alta que a feminina. Além disso, doenças cardiovasculares, as quais também são mais recorrentes em homens também são consideradas fatores cruciais no desenvolvimento de formas mais graves da infecção pelo SARS-CoV-2.

  No entanto, apesar de possuírem menos suscetibilidade para doenças pulmonares e cardiovasculares, o sistema imune feminino, por ser mais eficaz na eliminação rápida de antígenos, pode contribuir para uma maior incidência de doenças inflamatórias e autoimunes.

Conclusão

Os homens contraem mais COVID do que as mulheres?

Após todo o exposto, pode-se entender que tanto fatores biológicos como o estilo de vida e o comportamento do sexo masculino fazem com esse seja mais propenso a adquirir a infecção pelo coronavírus e evoluir para quadros mais graves da patologia, já que estão mais expostos a doenças pulmonares e cardíacas em virtude de um modelo de vida mais propenso ao consumo de bebidas e cigarro. Além disso, como já falado posteriormente a presença de estrogênio em quantidades maiores nas mulheres, favorece seu sistema imunológico, já os homens, por possuírem grandes quantidades de testosterona, um hormônio com tendência a deprimir o sistema imune, estão mais suscetíveis a infecções mais agravadas.

Ademais, é possível entender que embora o novo coronavírus não escolha gênero, cor ou qualquer tipo de estereótipo para infectar um organismo, o mesmo pode atingir de diferentes formas indivíduos de sexos diferentes, tanto por fatores biológicos quanto por questões comportamentais.

Por fim, é válido ressaltar a importância de ambos os sexos se protegerem e cumprirem todos os protocolos de distanciamento social e uso de máscara, visto que, apesar dos benefícios do estrogênio para o organismo feminino, a COVID-19 ainda é uma doença nova e todos os cuidados devem ser tomados para evitar a contaminação e o possível agravamento dos casos.

 

Autora: Priscila Maria Rodrigues Araújo

Instagram: @priscila_mariap

O texto acima é de total responsabilidade do autor e não representa a visão da sanar sobre o assunto

Gostou do artigo? Quer ter o seu artigo no Sanarmed também? Clique no botão abaixo e participe

REFERÊNCIAS

HOSPITAL SANTA LUCIA. HOMENS ESTÃO MAIS PROPENSOS A CONTRAIR E DESENVOLVER FORMAS GRAVES DE COVID-19. [S. l.], 13 jul. 2020. Disponível em: http://www.santalucia.com.br/noticias/homens-estao-mais-propensos-contrair-e-desenvolver-formas-graves-de-covid-19/. Acesso em: 20 jul. 2021.

MACHADO, Paola. Por que a covid-19 afeta homens e mulheres de maneira diferente? [S. l.], 28 abr. 2020. Disponível em: https://paolamachado.blogosfera.uol.com.br/2020/04/28/por-que-a-covid-19-afeta-homens-e-mulheres-de-maneira-diferente/. Acesso em: 20 jul. 2021.

ORGAZ, C. J. Coronavírus: porque há mais homens que mulheres infectados. [S. l.], 2020. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/internacional-51674894. Acesso em: 20 jul. 2021.

Compartilhe com seus amigos:
Política de Privacidade © Copyright, Todos os direitos reservados.