Coronavírus

COVID-19: vacinas da Moderna e Pfizer têm 80% de eficácia após 1ª dose

COVID-19: vacinas da Moderna e Pfizer têm 80% de eficácia após 1ª dose

Compartilhar

As vacinas da Moderna e Pfizer/BioNTech são extremamente eficazes no controle da COVID-19 já após a aplicação da primeira dose. O resultado foi apontado por um estudo do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês), principal órgão de saúde dos Estados Unidos.

Os dados preliminares mostraram que, em “condições de vida normal”, o risco de infecção caiu 80% após eles receberem a primeira dose de uma das duas vacinas. Com a aplicação das duas doses, a efetividade da vacina na proteção contra a infecção chegou a 90%.

Este estudo mostra que nossos esforços para uma vacinação nacional estão funcionando”, disse em nota a diretora do CDC, Rochelle Walensky, como noticiou o G1. Além dos dois imunizantes, os Estados Unidos também estão aplicando em sua população a vacina de dose única da Janssen, que não entrou no estudo.

Segundo o CDC, este é o primeiro de vários estudos conduzidos nos EUA sobre a eficiência de vacinas contra a Covid-19. 

Sobre COVID-19, leia também:

Como foi o estudo com vacinas da Moderna e Pfizer

Os cientistas do CDC analisaram, entre 14 de dezembro de 2020 e 13 de março de 2021, 3.950 voluntários com alto risco de exposição por trabalharem na linha de frente do combate ao novo coronavírus.

Neste período, 62,8% dos participantes receberam duas doses da vacina. Os demais (12,1%) receberam apenas a primeira injeção. Nenhum deles tinha sido contaminado previamente.

Semanalmente, todos os voluntários realizaram testes de PCR, com amostras coletadas por eles mesmos e enviadas a central de testes. Isso permitia o mapeamento de casos assintomáticos também.

Eles também eram questionados sobre a presença de sintomas característicos da doença, incluindo febre, calafrios, tosse, falta de ar, dor de garganta, diarreia, dores musculares ou perda do olfato ou paladar.

Queda na infecção e proteção contra variantes

Os resultados mostraram que houve 0,19 infecções diárias a cada mil pessoas. Entre as não vacinadas, a taxa foi de 1,38.

Além disso, 58% das infecções foram detectadas antes que as pessoas apresentassem sintomas da doença e apenas 10,2% dos infectados foram assintomáticos.

O estudo também sugere que as vacinas protegem contra novas variantes e indica que a probabilidade de transmissão da doença por pessoas vacinadas é rara.

RNA mensageiro

Tanto a vacina da Pfzer/BioNTech como a da Moderna usam a tecnologia chamada de RNA mensageiro, que consiste em transportar para o organismo uma cópia de parte do código genético do vírus e estimula a produção de anticorpos.

Isso significa que se a pessoa vacina for infectada pelo novo coronavírus, o corpo dela já terá um exército de anticorpos prontos para neutralizar o vírus. Neste post, explicamos em detalhes como essa tecnologia funciona.

“Nossas descobertas indicam que as vacinas de mRNA contra a Covid-19 são eficazes na prevenção de infecção pelo SARS-Cov-2, entre os adultos trabalhando em condições do mundo real”, escreveram os cientistas do CDC. “A vacinação contra a Covid-19 é recomendada para todos aqueles que puderem.”

Veja mais sobre vacinas no vídeo abaixo:

Quer as principais notícias da Sanar no seu celular todos os dias? Então faça parte do canal Sanar News no Telegram agora mesmo!

Compartilhe com seus amigos: