Outros

Desenvolvimento Infantil|Colunistas

Desenvolvimento Infantil|Colunistas

Compartilhar

Calebe L. de Brito

8 min há 47 dias

O que é desenvolvimento?

O termo desenvolvimento está relacionado a uma evolução dinâmica do ser humano, como um processo de construção desde a concepção, que é resultante da interação entre a influência biológica com o contexto do indivíduo.

Desenvolvimento X Crescimento

Tanto um quanto o outro compreendem os diversos âmbitos dos primeiros anos de vida do indivíduo, desde aspectos emocionais até genéticos e ambientais. Porém, enquanto o desenvolvimento possui um caráter mais qualitativo, o crescimento possui um caráter mais quantitativo.

O crescimento se revela nas alterações das células, seja na forma, no tamanho ou na função e pode ser avaliado, por exemplo, pela evolução da relação do peso e da altura. Já o desenvolvimento está mais relacionado aos aspectos que  levam à ganhos funcionais da criança enquanto indivíduo que possui e adquire habilidades neuropsicomotoras e pode ser acompanhado pelo que chamamos de “marcos do desenvolvimento”.

Desenvolvimento das Habilidades e Maturação do SN

O desenvolvimento do bebê segue conforme há a maturação do seu sistema nervoso através da mielinização (permite aquisição de movimentos mais coordenados e complexos nas estruturas) das diversas estruturas de modo que o lactente, quando nascido a termo, tenha ao nascimento a mielinização do tronco cerebral dorsal e pedúnculos cerebelares. Assim, o neonato apresenta um padrão motor imaturo, hipotonia paravertebral e predomínio de movimentos reflexos.  Com o passar do tempo, o bebê adquire novas habilidades à medida que segue a mielinização, no primeiro mês mieliniza a substância branca cerebelar e no terceiro mês, além de completar a mielinização da região, ainda podemos observar progresso parcial na substância branca subcortical do córtex parietal. Por isso, com o passar do tempo (ao final dos 2 primeiros meses), o bebê abandona certos reflexos e o tônus flexor (encolhido) para adotar uma nova postura e um padrão de extensão conforme o amadurecimento ocorre em sentido crânio caudal. Dessa forma, ao fim do 3° trimestre o bebê já passa a assumir uma postura mais ortostática.

OBS: Além do amadurecimento em sentido crânio-caudal, ele também se desenvolve em sentido próximodistal.

No que tange à audição, ela já está em bom desenvolvimento desde o 5° mês de gestação e pode ser avaliada pelo “exame de emissões otoacústicas evocadas”. As habilidades sociais também começam a mostrar-se cedo, já a partir da 4° semana podemos começar a observar que o bebê apresenta uma espécie de sorriso social em resposta a estímulos. Já no âmbito da linguagem, começa lentamente pela mímica facial e choro nos primeiros meses e amadurecem mais entre 9 e 10 meses na forma de balbucios semelhantes à linguagem do meio em que o bebê vive.

Neurodesenvolvimento e Avaliação

Basicamente o neurodesenvolvimento se apresenta em 3 grandes faces: motora, da linguagem e das habilidades sociais.

A face motora do desenvolvimento se apresenta através da evolução de um simples reflexo até habilidades motoras finas com o passar do tempo e com a maturação do sistema nervoso da criança. Ela deve possuir simetria seja no que tange a força ou na amplitude dos movimentos. Através dele podemos entender o surgimento de uma mão dominante (normalmente após os 15 primeiros meses de vida) e como isso pode estar relacionado, em períodos anteriores aos 15 meses, com um déficit motor contralateral à mão que aparentemente se demonstra como dominante. Da mesma forma podemos perceber como adquire habilidades motoras finas à medida que desenvolve o grafismo melhorando sua pegada no “lápis” (como o movimento de pinça).

No que tange a linguagem, poderemos observar tanto os aspectos verbais quanto os não verbais. Assim, nos dois primeiros anos de vida a criança apresenta um grande desenvolvimento das suas habilidades linguísticas seja na forma de palavras, gestos ou mesmo expressões corporais. Isso pode ser observado desde o choro no primeiro mês até a possibilidade de falar pelo menos 15 palavras no primeiro semestre do primeiro ano de vida. Posteriormente, o indivíduo passa a desenvolver certas habilidades como a linguagem figurada.

Problemas do desenvolvimento relacionados à essa etapa seriam a dislexia

Já as habilidades sociais aparecem muito atreladas à linguagem como consequência da necessidade de interagir com as pessoas do convívio e de se comunicar e interpretar coisas para além da linguagem. Assim a criança passa a desenvolver certas habilidades como atenção compartilhada e a imitação.

Podemos avaliar o rastreio do olhar social desde o primeiro mês que é quando a criança prefere olhar para os rostos do que para os objetos.

Dentre os problemas que podemos encontrar no desenvolvimento das habilidades sociais cabe citar o transtorno do espectro autista.

Avaliação

Dentre as escalas desenvolvidas para avaliar o desenvolvimento cabe citar  o teste de Gesell, o teste de triagem de Denver II e a escala de desenvolvimento infantil de Bayley.

Para avaliar o desenvolvimento motor, costuma-se utilizar o teste de Denver como principal teste de triagem para compreendermos em cada etapa e faixa etária o que costuma-se esperar da habilidade motora. Porém, ele não apenas nos auxilia a avaliar a habilidade motora (fina e grossa) mas também a linguagem e habilidade social.

Marcos do Desenvolvimento

Trecho retirado do tratado de Pediatria da SBP:

  • 2 meses: Observa um rosto; segue objetos ultrapassando a linha média; reage ao som; vocaliza (emite sons diferentes do choro); eleva a cabeça e os ombros na cama na posição prona e sorri.
  • 4 meses: Observa sua própria mão; segue com o olhar até 180°; grita; senta com apoio, sustenta a cabeça; agarra um brinquedo que é colocado em sua mão.
  • 6 meses: Tenta alcançar um brinquedo; procura objetos fora do alcance; volta-se para o som; rola no leito; inicia uma interação.
  • 9 meses: Transmite objetos de uma mão para a outra; pinça polegar-dedo; balbucia; senta sem apoio; estranhamento (prefere pessoas de seu convívio); brinca de esconde-achou.
  • 12 meses: Bate palmas, acena; combina sílabas; fica em pé; pinça completa (polpa a polpa); segura o copo ou a mamadeira.
  • 15 meses: Primeiras palavras; primeiros passos; é ativa(o) e curiosa(o).
  • 18 meses: Anda; rabisca; obedece ordens; nomeia objetos.
  • 24 meses: Sobe escadas; corre; formula frases simples (“dá água”, “quer papar”); retira uma vestimenta; tenta impor sua vontade.
Retirado de https://www.sanarflix.com.br

Autor: Calebe Lima de Brito

Instagram: @medicaletter

Referências:

  • PAPALIA, D. Desenvolvimento Humano, 12a Ed, ArtMed, Porto Alegre, 2013.
  • MINISTÉRIO DA SAÚDE. Diretrizes de estimulação precoce: crianças de zero a 3 anos com atraso no desenvolvimento neuropsicomotor. Brasília, 2016.
  • SZYF, M. How early life experience is written into DNA. TEDxBratislava, 2016. YEHUDA, R. Et al. Transgenerational Effects of Posttraumatic Stress Disorder in Babies of Mothers Exposed to the World Trade Center Attacks during Pregnancy. The Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism, Volume 90, Issue 7, 2005.
  • Tratado de Pediatria: Sociedade Brasileira de Pediatria. 4. Ed. Barueri, SP: Manole, 2017. NELSON. Tratado de Pediatria – Richard E. Behrman, Hal B. Jenson, Robert Kliegman. 20ª Edição. Elsevier. 2017.
  • Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Saúde da criança: crescimento e desenvolvimento. Cadernos de Atenção Básica, nº 33. Brasília: Ministério da Saúde, 2012.
  • Sociedade Brasileira de Pediatria. Departamento Científico de Pediatria do Crescimento e Desenvolvimento.
  • Caderneta de Saúde da Criança Instrumento e Promoção do Desenvolvimento: como avaliar e intervir em crianças. 2017.

O texto acima é de total responsabilidade do autor e não representa a visão da sanar sobre o assunto

Gostou do artigo? Quer ter o seu artigo no Sanarmed também? Clique no botão abaixo e participe

Compartilhe com seus amigos: