Colunistas

Doenças relacionadas aos hábitos de vida: colesterol alto | Colunistas

Doenças relacionadas aos hábitos de vida: colesterol alto | Colunistas

Compartilhar

Introdução

O processo de saúde-doença já foi muito questionado ao longo do tempo, apresentando, muitas vezes, uma determinação social e histórica. Atualmente, a Organização Mundial da Saúde (OMS) estabelece o termo “saúde” como um estado completo de bem-estar físico, mental e social, e não apenas a ausência de doença. Da mesma forma, “doença” não é mais entendida apenas pela fisiopatologia, pois quem estabelece seu grau, estado e intensidade são os valores e sentimentos expressos pela pessoa adoecida. Portanto, seu conceito é tão subjetivo quanto o de saúde.

É impossível falar de saúde (e tudo que ela implica) sem mencionar de estilo de vida. Mas afinal, o que seria isso?  Basicamente, são comportamentos adotados por um indivíduo que impactam, positivo ou negativamente, na sua saúde. Então se você pratica ou não atividade física, se você controla ou não seu peso corporal, quais são seus hábitos alimentares (Você faz sua própria comida? Consome muito fast food, fritura, açúcar?): tudo isso pode contribuir para o desenvolvimento de doenças, ou para uma velhice cheia de saúde. 

A grande problemática é que está ficando cada vez mais comum (só olhar à sua volta) desenvolvermos comportamentos destrutivos, como estilo de vida sedentário, hábitos alimentares inadequados (poucas frutas, muita gordura), tabagismo, consumo de drogas ilícitas, bebidas alcóolicas, obesidade e comportamentos sexuais de risco. 

É claro que existem doenças que surgem independente do nosso estilo de vida (doenças congênitas, sindrômicas, hereditárias…), mas pasmem, a grande maioria pode ser EVITÁVEL se você apenas melhorar seus hábitos de vida. Vamos falar um pouco de uma doença cada vez mais frequente na população relacionado ao estilo de vida, que é o colesterol alto?

Hipercolesterolemia (Colesterol alto no sangue)

A primeira coisa que eu quero que você saiba é que o colesterol é um tipo de gordura PRIMORDIAL para o funcionamento do corpo humano. Ele faz parte da estrutura das células do cérebro, nervos, músculos, coração… até mesmo na formação de ácidos biliares. Mas, como tudo na vida, a diferença entre o remédio e o veneno está na dose: em excesso, pode causar infarto e acidente vascular encefálico (AVE). Como isso acontece? 

Grande parte do colesterol é fabricado no organismo, principalmente pelo fígado. Os outros 30% vem de fontes alimentares como carne vermelha, manteiga, queijos e pele de aves. Só que esse colesterol todo não circula livremente no sangue, ele precisa se ligar a lipoproteínas (LDL, HDL, Quilomícrons e VLDL). É o popular “colesterol bom” (HDL) e “colesterol ruim” (LDL). Por que essa denominação?

lipoproteinas | Atenção básica

Bom, o excesso de LDL está associado a doenças vasculares porque se deposita – sem dar sintomas – na parede interna das artérias e gradualmente vai formando uma placa: ateroma. Esses ateromas vão obstruindo gradualmente as artérias e podem acabar causando infarto agudo do miocárdio e AVE, enquanto o excesso de HDL protege dessas doenças. 

ANM – Academia Nacional de Medicina

→ Colesterol alto na infância e adolescência: 

Metade das crianças e adolescentes com nível elevado de lipídios no sangue mantém essa condição na fase adulta, por isso é importante intervir logo no início, com alimentação balanceada em gordura, proteína e carboidratos, somado com atividade física para manutenção do peso corporal (a recomendação para a faixa dos 5 aos 17 anos é de 60 minutos por dia, com exercícios mais intensos 3 vezes na semana). 

→Colesterol alto em mulheres grávidas:

A gravidez em mulheres saudáveis cursa com alterações progressivas no metabolismo lipídico à medida que a gestação avança. Essas são essenciais para o crescimento e o desenvolvimento fetal e ocorrem devido à alterações fisiológicas no sistema hormonal. A maioria das gestantes apresenta aumento de triglicerídeos no terceiro trimestre, das lipoproteínas de alta densidade na segunda metade da gestação e das lipoproteínas de densidade intermediária e baixa em todos os trimestres, sendo que, no final da gestação, o colesterol total pode aumentar de 25 à 50%. Mas, se a grávida já tinha níveis altos antes de engravidar, ou histórico familiar, é preciso ter um cuidado redobrado adotando imediatamente uma dieta especial. Os remédios para colesterol não são indicados durante a gravidez, pelos riscos que representam para o bebê. 

Conclusão:

O colesterol é um tipo de lipídeo utilizado pelo organismo para criar partes importantes das células e para fabricar determinados líquidos digestivos. O organismo precisa de colesterol. Quais são os diferentes tipos de colesterol? 

  • Colesterol LDL (colesterol ruim)
  • Colesterol HDL (colesterol bom)

Porém, ter uma quantidade excessiva de colesterol no sangue (colesterol alto) por muito tempo pode causar problemas de saúde. 

  • Com o passar do tempo, o colesterol alto causa o bloqueio de artérias
  • Artérias bloqueadas podem causar ataque cardíaco, acidente vascular encefálico, entre outras doenças (como as vasculares)
  • É possível tratar colesterol alto ao praticar mais atividade física, modificar a alimentação e, se necessário, tomar medicamentos

Autora: Júlia Mendonça

Instagram: @med.facilitada

O texto acima é de total responsabilidade do autor e não representa a visão da sanar sobre o assunto

Gostou do artigo? Quer ter o seu artigo no Sanarmed também? Clique no botão abaixo e participe

Referências utilizadas:

https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/84165/188889.pdf?sequence

https://www.portal.cardiol.br/post/inatividade-durante-pandemia-agrava-fatores-de-risco-para-doen%C3%A7as-cardiovasculares-na-adolesc%C3%AAncia

https://bvsms.saude.gov.br/bvs/dicas/260_qualidade_de_vida.html

https://cdn.publisher.gn1.link/rbm.org.br/pdf/v56a06.pdf

https://www.msdmanuals.com/pt-br/casa/fatos-rápidos-distúrbios-hormonais-e-metabólicos/distúrbios-relacionados-ao-colesterol/colesterol-alto

Compartilhe com seus amigos: