Anatomia de órgãos e sistemas

Estômago

Estômago

Compartilhar

SanarFlix

5 minhá 631 dias

INTRODUÇÃO:

O estômago é a parte mais larga do trato alimentar, e se encontra entre o esôfago e o duodeno. Ele está situado no abdome superior, estendendo-se do quadrante superior esquerdo para baixo, para a frente e para a direita, disposto no hipocôndrio esquerdo, epigástrio e região umbilical. Ele ocupa um recesso abaixo do diafragma e da parede abdominal anterior que é delimitado pelas vísceras abdominais superiores em cada lado.

É especializado para o acúmulo do alimento ingerido, que ele prepara química e mecanicamente para a digestão e passagem para o duodeno. O estômago mistura os alimentos e atua como reservatório; sua principal função é a digestão enzimática. O suco gástrico converte gradualmente a massa de alimento em uma mistura semilíquida, o quimo, que passa rapidamente para o duodeno. O estômago vazio tem calibre apenas ligeiramente maior que o do intestino grosso; entretanto, é capaz de se expandir muito e pode conter 2 a 3 litros de alimento.

IRRIGAÇÃO ARTERIAL:

O suprimento arterial para o estômago advém predominantemente do tronco celíaco, embora existam anastomoses intramurais com vasos de outras origens nas duas extremidades do estômago. A artéria gástrica esquerda se origina diretamente do tronco celíaco. A artéria esplênica dá origem às artérias gástricas curtas e à artéria gastromental esquerda, e pode ocasionalmente dar origem a uma artéria gástrica posterior. A artéria hepática dá origem à artéria gástrica direita e à artéria gastroduodenal, a qual por sua vez dá origem à artéria gastro-omental direita.

  • Artéria gástrica esquerda

A artéria gástrica esquerda é o menor ramo do tronco celíaco. Ela ascende à esquerda da linha mediana e atravessa logo acima da extremidade inferior ou abaixo do nível da origem do pilar esquerdo do diafragma, abaixo do peritônio da parede posterior superior da bolsa omental. Aqui ela se encontra adjacente a artéria frênica inferior esquerda e medial ou anterior a glândula suprarrenal esquerda. Segue adiante para a porção superior do omento menor, adjacente a extremidade superior da curvatura menor, e se volta anteroinferiormente para seguir ao longo da curvatura menor entre os dois folhetos peritoneais do omento menor.

No ponto mais alto de seu trajeto, ela dá origem a um ou mais ramos esofágicos. Em seu curso ao longo da curvatura menor, a artéria gástrica esquerda origina múltiplos ramos que seguem por sobre as superfícies anterior e posterior do estômago e se anastomosam com a artéria gástrica direita na região da incisura angular.

SAIBA MAIS: A artéria gástrica esquerda raramente se origina a partir da artéria hepática comum ou de seus ramos. A mais recorrente dessas raras variações tem sua origem a partir da artéria hepática esquerda. Outras variações possuem a mesma origem que a artéria hepática comum.

  • Artérias gástricas curtas

Apresentam-se em quantidade variável, comumente entre cinco e sete. Elas se originam a partir da artéria esplênica ou de suas divisões, ou da artéria gastro-omental esquerda proximal, e passam entre as camadas do ligamento gastroesplênico para suprir o óstio cárdico e o fundo gástrico. Elas se anastomosam com ramos das artérias gástrica esquerda e gastro-omental esquerda. Uma artéria gástrica esquerda acessória pode se originar com estes vasos a partir da artéria esplênica distal.

  • Artéria gastro-omental esquerda

A artéria gastro-omental é o maior ramo da artéria esplênica. Origina-se próximo ao hilo esplênico e segue, anteroinferiormente entre as camadas do ligamento gastroesplênico, para a parte superior do omento gastrocólico. Encontra-se entre as camadas de peritônio próximas a curvatura maior, seguindo inferiormente para se anastomosar com a artéria gastro-omental direita.

  • Artéria gástrica posterior

Uma distinta artéria gástrica posterior pode estar presente. Quando existente, ela se origina a partir da artéria esplênica em sua seção intermediária, posterior ao corpo do estômago. Ela ascende posterior ao peritônio do bolsa omental em direção ao fundo e atinge a superfície posterior do estômago na prega gastrofrênica.

  • Artéria gástrica direita

A artéria gástrica direita se origina a partir da artéria hepática própria. Segue entre as camadas peritoneais do omento menor logo acima da extremidade medial da curvatura menor, passa superiormente ao longo da curvatura menor, originando múltiplos ramos sobre as superfícies anterior e posterior do estômago, e se anastomosa com a artéria gástrica esquerda. A origem da artéria gástrica direita frequentemente varia; as origens alternativas mais comuns são a partir das artérias hepática comum, hepática esquerda, gastroduodenal ou supraduodenal.

  • Artéria gastroduodenal

A artéria gastroduodenal se origina a partir da artéria hepática comum, posterior e superiormente à primeira parte do duodeno. Nela, originam-se as artérias gastro-omental direita e pancreaticoduodenal superior, na margem inferior da primeira parte do duodeno.

  • Artéria gastro-omental direita

A artéria gastro-omental direita se origina a partir da artéria gastroduodenal posterior à primeira parte do duodeno, anteriormente à cabeça do pâncreas. Passa inferiormente em direção a linha mediana, entre as camadas do omento gastrocólico, que é inferior ao piloro, segue lateralmente ao longo da curvatura maior e termina se anastomosando com a artéria gastro-omental esquerda.

A artéria gastro-omental direita origina ramos gástricos, que sobem sobre as superfícies anterior e posterior do antro e da parte inferior do corpo do estômago; ramos omentais, que descem para o omento maior; e ramos que contribuem para o suprimento da face inferior da primeira parte do duodeno.

Compartilhe com seus amigos:
Política de Privacidade. © Copyright, Todos os direitos reservados.
3
EM ALTA