Colunistas

Introdução à neuroanatomia | Colunistas

Introdução à neuroanatomia | Colunistas

Compartilhar
Imagem de perfil de Carolina Cardoso

O estudo da anatomia sempre parece ser um pouco complicado, principalmente quando falamos sobre a anatomia do sistema nervoso. Realmente, a neuroanatomia é um pouco complexa, mas não precisa ser difícil. Para isso, podemos dividir o assunto em pequenas partes, para que a gente aprenda cada coisa de uma vez. Dessa forma, fica tudo mais fácil e muito mais legal de estudar sobre esse sistema tão importante e essencial para o nosso corpo. Nesse primeiro texto, será abordado um pouco sobre planos anatômicos e sobre a divisão anatômica do sistema nervoso, compreendendo, assim, o que o compõe.

Planos anatômicos

Os planos anatômicos nada mais são do que a perspectiva que temos em relação a anatomia. Eles são empregados em todas as partes do nosso corpo, mas são muito usados na anatomia do sistema nervoso. Lembrando que tal sistema é composto por diversas estruturas, mas o importante para nós, como médicos, é saber correlacionar tais estruturas com o exame de neuroimagem que nos é apresentado pelo paciente. Temos basicamente os planos mediano e sagital, frontal/coronal, e o plano transversal/axial.

Mediano e sagital

O plano mediano é uma linha imaginária que “corta” verticalmente o corpo, dividindo este igualmente em metades direita e esquerda. Já o plano sagital, é como se fosse o medial mas não divide em lados iguais, são quaisquer linhas verticais paralelas a esse plano medial.

Frontal/coronal

O plano frontal ou coronal também divide o corpo em uma linha vertical, mas ao invés da divisão ser em direita e esquerda, ela é feita na parte anterior e posterior.

Transversal/axial

O plano transversal ou axial é um plano horizontal, em que a linha imaginária divide o corpo em partes superior e inferior.

Figura 1: imagens de ressonância magnética do crânio que ilustram as posições anatômicas
Fonte: Biomedicina padrão, 2018. Disponível em:

Divisão anatômica do sistema nervoso

Podemos fazer essa divisão em duas partes principais: o Sistema Nervoso Central (SNC) e o Sistema Nervoso Periférico (SNP). O SNC é aquela parte do sistema protegida por estruturas ósseas, ou seja, pelo esqueleto axial e pela coluna vertebral. Já o SNP possui elementos que “saem” do SNC para se comunicarem com outras partes do corpo, até às regiões periféricas. E o que compõe esses sistemas?

 Sistema nervoso central

O SNC é dividido em encéfalo e medula espinhal. O encéfalo ainda tem sua divisão em cérebro, cerebelo e tronco encefálico. O cérebro é a junção do telencéfalo com o diencéfalo, e o tronco encefálico é composto pelo mesencéfalo, ponte e bulbo. Após o bulbo, já temos a medula espinhal, que se inicia a partir da primeira vértebra. Para facilitar o aprendizado, você pode observar a imagem a seguir:

   Figura 2: Divisão anatômica do sistema nervoso central
     Fonte: Aula de anatomia, [201-?]. Disponível em:     

Sistema nervoso periférico

O SNP possui os nervos, que são estruturas de tecido nervoso que se ramificam a partir do SNC. Temos dois tipos: nervos cranianos e nervos espinhais. Os cranianos são aqueles que vão sair do encéfalo, dois pares deles do cérebro e o restante do tronco encefálico, totalizando 12 pares de nervos cranianos. Já os espinhais são aqueles que têm sua origem na medula, totalizando 31 pares de nervos espinhais. É importante lembrar que esses nervos que partem da medula irão gerar outros, quando teremos a formação dos plexos, mas isso é um assunto para outro texto!

Além disso, há uma outra parte do sistema nervoso, que é o sistema nervoso autônomo (SNA). Esse sistema é uma parte do SNP que possui os gânglios, onde teremos a junção de neurônios chamadas sinapses. Ainda dentro do SNA, podemos ter o sistema nervoso autônomo simpático (SNAS) e o sistema nervoso autônomo parassimpático (SNAP). Mas calma!! Esse é um tema que será aprofundado em outros textos, agora o importante é saber que o SNA é um componente do SNP!

           Figura 3: Divisão do sistema nervoso com base em critérios anatômicos e funcionais
        Fonte: Aula de anatomia, [201-?]. Disponível em: <https://www.auladeanatomia.com/novosite/pt/sistemas/sistema-nervoso/>

Conclusão

Esse artigo trouxe apenas uma introdução, como o nome do texto já diz. Todas as estruturas que vimos na divisão anatômica do sistema nervoso serão estudadas separadamente em outros artigos, assim como todos os componentes importantes para o estudo da neuroanatomia. Como já foi dito, se estudarmos pequenas partes de cada vez, iremos conseguir entender esse assunto por completo, de uma forma muito mais fácil e prazerosa!!

Autora: Carolina Cardoso

Instagram: @_carolccr

O texto acima é de total responsabilidade do autor e não representa a visão da sanar sobre o assunto.

Referências

MACHADO, A.B.M. Neuroanatomia Funcional. 3 ed. São Paulo: Atheneu, 2014.

NETTER, F. H. Atlas de Anatomia Humana. 4 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008.

Sistema Nervoso. https://www.auladeanatomia.com/novosite/pt/sistemas/sistema-nervoso/

Planos e termos de referência utilizados na descrição anatômica. https://www.biomedicinapadrao.com.br/2018/10/planos-e-termos-de-referencia.html