Pneumologia

Japão faz 1º transplante de pulmão de doador vivo para paciente com COVID-19

Japão faz 1º transplante de pulmão de doador vivo para paciente com COVID-19

Compartilhar

Sanar

4 minhá 24 dias

Médicos do Hospital Universitário de Quioto, no Japão, realizaram um procedimento inédito no mundo: um transplante de pulmão de doadores vivos para uma paciente com grave lesão no órgão causada pela COVID-19.

Sobre COVID-19, leia também:

A transplantada, uma mulher, recebeu a doação de parte do pulmão do marido e do filho. Por cerca de 11 horas, uma equipe de 30 especialistas conduziu o procedimento cirúrgico, realizado na última quarta-feira (07/04).

Segundo os médicos, o quadro dos três é estável e a paciente deve permanecer dois meses no hospital para a completa recuperação.  

O Hospital Universitário já havia realizado dezenas de transplantes de tecido pulmonar em pacientes que foram seriamente afetados pelo SARS-CoV-2. Porém, os doadores eram pessoas com morte cerebral nos Estados Unidos, na Europa e na China.

Esperança para novos pacientes

A dependência de doadores com morte cerebral restringe os benefícios de um procedimento como este, já que esses casos são raros. Assim, doadores vivos são considerados uma opção mais viável para atender aos pacientes que precisam de transplante.

Segundo o G1, o cirurgião torácico que comandou a operação, Hiroshi Date, celebrou o resultado positivo, já que o tratamento dá esperança para médicos e pacientes. “Demonstramos que agora temos a opção”.

Como foi o transplante de pulmão

A paciente, identificada apenas como uma moradora da região oeste de Kansai,  contraiu COVID-19 no final de 2020 e desenvolveu um quadro grave, com sério comprometimento dos pulmões.

Até a realização do transplante, ela passou três meses vinculada a uma máquina de suporte de vida que funciona como pulmão artificial, a ECMO – Oxigenação por Membrana Extracorpórea (neste post explicamos melhor o funcionamento do equipamento).

A paciente se livrou do coronavírus, mas seus pulmões deixaram de ser funcionais. O transplante era a única opção para que ela continuasse a viver, segundo relato da universidade. Os médicos disseram que ela poderá ter uma vida normal em três meses.

Como a COVID-19 afeta o pulmão

COVID-19 é uma doença sistêmica que compromete os sistemas respiratório, cardiovascular e neurológico do infectado, além de causar dados ao fígado, rins, trato intestinal, pele e até mesmo disfunção erétil

Um estudo realizado por pesquisadores da Universidade Northwestern, nos Estados Unidos, demonstrou que pneumonias causadas pela COVID-19 têm comportamento diferente das inflamações de pulmões mais comuns.

Enquanto a doença causada por bactérias ou outros vírus, como a Influenza, podem se espalhar rapidamente por grandes regiões do pulmão, as inflamações provocadas pelo SARS-CoV-2 lesionam partes menos, mas em maior número.

Além disso, essas lesões permanecem no órgão por muito tempo, daí a gravidade da doença. O estudo foi detalhado em artigo na revista Nature e divulgado pelo Uol.  

*Com informações do Uol e a EFE Brasil

Quer as principais notícias da Sanar no seu celular todos os dias? Então faça parte do canal Sanar News no Telegram agora mesmo!

Compartilhe com seus amigos:
Política de Privacidade. © Copyright, Todos os direitos reservados.