Colunistas

Linha de frente feminina contra o COVID-19 | Colunistas

Linha de frente feminina contra o COVID-19 | Colunistas

Compartilhar

Lavínia Prado

5 min210 days ago


No Brasil, data em que escrevo (23/03/20), as secretarias de saúde contabilizam 1.629 infectados com 34 mortos no país, 30 apenas no estado de São Paulo1. Olhando de forma mundial, a pandemia acelera com mais 100.000 novos casos em 4 dias e soma mais 300 mil infectados, de acordo com a OMS2.

Figura 1: Aplicação do teste diagnóstico do coronavírus.

Mundialmente, mulheres ocupam 70% dos cargos nos setores social e de saúde, e a maioria ainda dividem o papel social como mãe, esposa, chefes de seus trabalhos, entre outros títulos3. Com o nome bíblico da Rainha que impediu a morte do povo Hebreu, Ester, só que dessa vez brasileira, foi responsável por liderar o grupo que sequenciou o genoma do coronavírus4.

Figura 2: “É um sentimento de orgulho pela ciência brasileira, por serem mulheres por trás das pesquisas”

Fonte: TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO

 Ester e seu grupo de pesquisadoras, junto com diversas outras mulheres configuram o perfil feminino cada vez mais forte no combate dessa atual pandemia. Grande parte deve se isolar dos filhos, pais e outros membros da família, uma vez que uma porcentagem considerável responsável pela transmissão é assintomática.

As mulheres são maioria na linha de frente contra o Coronavírus no país de origem da pandemia, a China, 90% das enfermeiras e mais da metade dos médicos são do gênero feminino. A jornalista responsável por divulgar esse caso, Sophia Li, no seu perfil do instagram (@sophfei), explicou que por causa da falta de EPI e de suprimentos em Wuhan as mulheres decidiram cortar seus cabelos, algumas chegando a raspá-lo, vestir fraldas para adultos e a ingerir pílulas anticoncepcionais para atrasar o ciclo menstrual, na tentativa de preservar os seus corpos contra o microrganismo.

Figura 3: Enfermeiras em Wuhan

Fonte: @sophfei

Por outro lado, não só positivamente a presença feminina está sendo divulgada, as mulheres são as mais afetadas no Brasil pelo vírus (54%)5, a violência contra a mulher aumentou só na China mais de 3 vezes durante o período de confinamento e muitas das vítimas não sabem como proceder nessa situação.

No outro lado do mundo, no Rio de Janeiro, o funcionamento de centros especializados de atendimento à mulher (CIAM/CEAMs) serão suspensos por 15 dias, restando as delegacias de atendimento à mulher agir com o possível aumento dessa demanda, mostrando o quanto a saúde reflete em todos os indicadores sociais. A saúde mental de mulheres à frente desse inimigo invisível nunca foi tão testada quanto hoje, digna de um filme infelizmente não fictício6.

Figura 4: Imagem Ilustrativa de um protesto por igualdade

Fonte: Google Imagens

Cerca de 42% das mulheres no mundo em idade economicamente ativa estão fora do mercado de trabalho porque estão cuidado de alguém sejam crianças ou idosos; entre os homens, essa fatia é de 6%, a força feminina cresce, mas ainda falta muito, chegamos a quase 70% do total na área da saúde, na área médica são 36% no total, 48% dessas estando abaixo dos 29 anos7.  

As mulheres estão encontrando predomínio em diversas posições sociais, o isolamento social provou-se como um verdadeiro vírus para a saúde mental delas, familiares são obrigados a se afastarem, alguns casos a se unirem, tudo corroborando para o desgaste social, medo e o pânico que estão gradativamente sendo fortalecidos.

Entretanto, a cidadania e a solidariedade emergem também mais fortalecidas, ser cidadão à distância é a regra atual, esse é o maior protagonista dessa história, é ele que vai definir o sucesso da estratégia epidemiológica, facilitar o trabalho dos profissionais da área de saúde e manter a segurança dos grupos de risco (idosos, diabéticos, hipertensos, asmáticos, dentre outros).

Estejamos em busca sempre da sororidade e respeito, seja você médica, enfermeira, nutricionista, fisioterapeuta, dentista, seja você de outra área do mercado, seja você mãe, avó, esposa – seja você um homem, que todos possam aplaudir as guerreiras que se levantaram para esse momento único da história.

“No futuro, não haverá líderes femininas. Haverá apenas líderes.”

Sherly Sandberg, empresária norte-americana.

Autora: Lavínia Prado, Estudante de medicina

Instagram: @lav.artiaga

Compartilhe com seus amigos:
Política de Privacidade. © Copyright, Todos os direitos reservados.