Livros

Manual de Atendimento Pré-Hospitalar

Leia o Livro Completo
Índice
1.1
Índice
1.

CASOS DE EMERGÊNCIAS CLÍNICAS

1.1

CASO 1

1.2

CASO 2

1.3

CASO 3

1.4

CASO 4

1.5

CASO 5

1.6

CASO 6

1.7

CASO 7

1.8

CASO 8

1.9

CASO 9

1.10

CASO 10

1.11

CASO 11

1.12

CASO 12

1.13

CASO 13

1.14

CASO 14

2.

CASOS DE EMERGÊNCIAS TRAUMÁTICAS

2.1

CASO 15

2.2

CASO 16

2.3

CASO 17

2.4

CASO 18

2.5

CASO 19

2.6

CASO 20

2.7

CASO 21

2.8

CASO 22

2.9

CASO 23

2.10

CASO 24

2.11

CASO 25

2.12

CASO 26

2.13

CASO 27

2.14

CASO 28

CENÁRIO DO CASO DE EMERGÊNCIAS 1

O solicitante do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), colega de trabalho da vítima, relatou à TARM que um jovem de 22 anos, bombeiro militar, foi atacado por um enxame de abelhas africanas. O acidente ocorreu quando se encontrava realizando um exercício de treinamento na região rural do município. No momento da solicitação, a vítima apresentava quadro de urticária, prurido pelo corpo e desconforto torácico associado à dispneia intensa de início súbito. Foi encaminhada, pelo médico, a Unidade de Suporte Avançado (USA).

AVALIAÇÃO DA CENA DO CASO DE EMERGÊNCIAS 1

Ao chegar ao endereço fornecido, a equipe certificou-se de que o ambiente não oferecia risco aos socorristas e ao paciente e que se tratava de um local seguro, sendo, portanto, iniciado o atendimento.

AVALIAÇÃO SECUNDÁRIA DO CASO DE EMERGÊNCIAS 1

Sinais Vitais: pressão arterial = 80x60mmHg; frequência cardíaca = 150 bpm; frequência respiratória = 35 irpm; temperatura axilar = 36,5ºC; SpO2 = 90% (em ar ambiente).

PONTOS DE DISCUSSÃO DO CASO DE EMERGÊNCIAS 1

1. Quais são as prioridades na avaliação inicial desse paciente? 2. Quais os principais diagnósticos diferenciais? 3. Qual a conduta terapêutica mais apropriada ao caso?

DISCUSSÃO DO CASO DE EMERGÊNCIAS 1

A anafilaxia pode ser caracterizada como uma reação sistêmica aguda grave, que acomete vários órgãos e sistemas simultaneamente, sendo provocada pela atividade farmacológica de mediadores liberados após ativação de mastócitos e basófilos. A intensidade da liberação dessas substâncias e a sensibilidade individual determinam a repercussão clínica do fenômeno. Anafilaxia é habitualmente classificada como uma reação imunológica, geralmente mediada por IgE, mas também pode ocorrer por outros mecanismos

OBJETIVOS DE APRENDIZADO/COMPETÊNCIAS/ DO CASO DE EMERGÊNCIAS 1

• Identificar as manifestações clínicas sugestivas de uma anafilaxia; • Reconhecer sinais de alerta de gravidade; • Compreender o manejo inicial de um paciente em crise de anafilaxia no pré-hospitalar

PONTOS IMPORTANTES DO CASO DE EMERGÊNCIAS 1

1. A anafilaxia pode ser caracterizada como uma reação sistêmica aguda grave, cujo quadro clínico compreende manifestações cutâneas e comprometimento variável dos aparelhos respiratório, cardiovascular, sistema nervoso e trato gastrintestinal.

SOLUÇÃO DO CENÁRIODO CASO DE EMERGÊNCIAS 1

Hipótese Diagnóstica: anafilaxia/síndrome de envenenamento. Procedimentos: Vítima foi prontamente atendida pelo médico da unidade de urgência, foi medicado com adrenalina subcutânea e glicocorticoide, por via venosa, sendo em seguida transferido para o hospital de referência.

Compartilhe com seus amigos:
Compartilhe com seus amigos:
Política de Privacidade. © Copyright, Todos os direitos reservados.