Livros

Manual de Atendimento Pré-Hospitalar

Leia o Livro Completo
Índice
2.4
Índice
1.

CASOS DE EMERGÊNCIAS CLÍNICAS

1.1

CASO 1

1.2

CASO 2

1.3

CASO 3

1.4

CASO 4

1.5

CASO 5

1.6

CASO 6

1.7

CASO 7

1.8

CASO 8

1.9

CASO 9

1.10

CASO 10

1.11

CASO 11

1.12

CASO 12

1.13

CASO 13

1.14

CASO 14

2.

CASOS DE EMERGÊNCIAS TRAUMÁTICAS

2.1

CASO 15

2.2

CASO 16

2.3

CASO 17

2.4

CASO 18

2.5

CASO 19

2.6

CASO 20

2.7

CASO 21

2.8

CASO 22

2.9

CASO 23

2.10

CASO 24

2.11

CASO 25

2.12

CASO 26

2.13

CASO 27

2.14

CASO 28

CENÁRIO DO CASO DE EMERGÊNCIAS TRAUMÁTICAS 18

O solicitante do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), pedestre que não conhece a vítima, relatou ao TARM que há 30 minutos ouviu um forte barulho na rua de sua casa e foi verificar o que havia ocorrido. Ao chegar ao local encontrou um carro com partes de um muro caído sobre ele, e com uma vítima dentro.

AVALIAÇÃO DA CENA DO CASO DE EMERGÊNCIAS TRAUMÁTICAS 18

Ao chegar ao endereço fornecido, a equipe certificou-se de que o ambiente não oferecia risco aos socorristas e ao paciente e que se tratava de um local seguro, sendo, portanto, iniciado o atendimento

AVALIAÇÃO PRIMÁRIA DO CASO DE EMERGÊNCIAS TRAUMÁTICAS 18

A: via aérea pérvia. B: expansão assimétrica, murmúrio vesicular diminuído à ausculta do hemitórax esquerdo, respiração dispneica, SpO2 =92%.

AVALIAÇÃO SECUNDÁRIA DO CASO DE EMERGÊNCIAS TRAUMÁTICAS 18

Sinais vitais: Pressão arterial=130x80mmHg; frequência cardíaca=120bpm; frequência respiratória=27irpm; temperatura axilar=36,5ºC. S: dor de forte intensidade em hemitórax esquerdo. A: nega alergias.

PONTO DE DISCUSSÃO DO CASO DE EMERGÊNCIAS TRAUMÁTICAS 18

1. Qual a importância da identificação do trauma torácico no atendimento pré-hospitalar? 2. Como avaliar a presença de lesão torácica? 3. Quais as principais alterações na avaliação clínica de uma vítima com trauma torácico? 4. Quais as princi

DISCUSSÃO DO CASO DE EMERGÊNCIAS TRAUMÁTICAS 18

O trauma torácico é responsável por cerca de 20 a 25% das causas de morte por trauma. Essa é uma estimativa relevante, uma vez que o tratamento definitivo de 80% a 85% das lesões torácicas não requer abordagem cirúrgica, sendo tratados com intervenções simples como oxigênio suplementar, suporte ventilatório, analgesia e toracostomia com drenagem torácica, por exemplo.

OBJETIVOS DE APRENDIZADO/COMPETÊNCIAS DO CASO DE EMERGÊNCIAS TRAUMÁTICAS 18

• Entender a importância da identificação precoce das lesões torácicas. • Diferenciar as principais lesões decorrentes de trauma torácico. • Identificar os principais sinais e sintomas das lesões que acometem o tórax. • Ter conhecimento das principais medidas utilizadas na atenção pré-hospitalar nos casos de trauma torácico.

SOLUÇÃO DO CENÁRIO DO CASO DE EMERGÊNCIAS TRAUMÁTICAS 18

Hipótese Diagnóstica: fratura de costelas. Procedimentos iniciais: • Administração de O2 com máscara de Venturi. • Monitorização com oximetria de pulso. • Acesso venoso em membro superio

Compartilhe com seus amigos:
Compartilhe com seus amigos:
Política de Privacidade. © Copyright, Todos os direitos reservados.