Livros

Manual de Atendimento Pré-Hospitalar

Leia o Livro Completo
Índice
2.7
Índice
1.

CASOS DE EMERGÊNCIAS CLÍNICAS

1.1

CASO 1

1.2

CASO 2

1.3

CASO 3

1.4

CASO 4

1.5

CASO 5

1.6

CASO 6

1.7

CASO 7

1.8

CASO 8

1.9

CASO 9

1.10

CASO 10

1.11

CASO 11

1.12

CASO 12

1.13

CASO 13

1.14

CASO 14

2.

CASOS DE EMERGÊNCIAS TRAUMÁTICAS

2.1

CASO 15

2.2

CASO 16

2.3

CASO 17

2.4

CASO 18

2.5

CASO 19

2.6

CASO 20

2.7

CASO 21

2.8

CASO 22

2.9

CASO 23

2.10

CASO 24

2.11

CASO 25

2.12

CASO 26

2.13

CASO 27

2.14

CASO 28

CENÁRIO DE EMERGÊNCIAS TRAUMÁTICAS 21

O solicitante do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), vizinho da vítima, relatou ao TARM, que o paciente masculino, de 19 anos, encontra-se com ferimento por arma branca (faca) em abdome há pelo menos 30 minutos. Ao médico regulador, foi relatado que o paciente estava consciente, apresentando sangramento profuso no ferimento abdominal, do qual se podia visualizar presença de alças intestinais pelo orifício da facada, e também manifestava dor nos locais do ferimento. O TARM direcionou então a ocorrência para o médico regulador, que enviou a Unidade de Saúde Avançada.

AVALIAÇÃO DA CENA DE EMERGÊNCIAS TRAUMÁTICAS 21

Ao chegar ao endereço fornecido, a equipe certificou-se de que o ambiente não oferecia risco aos socorristas e ao paciente e que se tratava de um local seguro, sendo, portanto, iniciado o atendimento.

AVALIAÇÃO PRIMÁRIA DE EMERGÊNCIAS TRAUMÁTICAS 21

A: vias aéreas pérvias.

AVALIAÇÃO SECUNDÁRIA DE EMERGÊNCIAS TRAUMÁTICAS 21

Sinais vitais: 120bpm (ritmo cardíaco regular); PA: 80x40 mmHg; FR: 25irpm; temperatura: 36,5ºC. S: refere dor no local das lesões, sem perda de consciência ou vômitos. A: nega alergias. M: sem medicações em uso. P: nega comorbidades, cirurgias/intervenções prévias. L: última refeição há 7 horas. E: paciente encontra-se deitado em via pública, próximo a sua residência, sem sinal do agressor no local

PONTO DE DISCUSSÃO DE EMERGÊNCIAS TRAUMÁTICAS 21

1. Como se dá o traumatismo abdominal aberto e quais estruturas podem ser lesionadas? 2. Quais as medidas a serem realizadas na avaliação primária do paciente? 3. Quais são as prioridades na abordagem desse paciente? 4. O que fazer diante da presença de evisceração?

DISCUSSÃO DE EMERGÊNCIAS TRAUMÁTICAS 21

O paciente descrito no caso apresenta trauma abdominal aberto do tipo perfurante no quadrante inferior esquerdo com presença de evisceração de alças intestinais.

OBJETIVOS DE APRENDIZADO/COMPETÊNCIAS DE EMERGÊNCIAS TRAUMÁTICAS 21

• Compreender os tipos de traumas abdominais e os mecanismos envolvidos em cada um deles; • Reconhecer as principais manifestações em um paciente vítima de trauma abdominal aberto; • Saber os pontos importantes da avaliação primária e secundária num paciente vítima de traumatismo abdominal aberto; • Conhecer as principais medidas a serem tomadas na abordagem pré-hospitalar do paciente com trauma abdominal aberto.

PONTOS IMPORTANTES DE EMERGÊNCIAS TRAUMÁTICAS 21

1. Traumas abdominais podem ser do tipo aberto ou fechado. No trauma contuso de abdome, as vísceras são submetidas a movimentos de aceleração, desaceleração, compressão e cisalhamento nas diversas direções. No trauma há criação de solução de continuidade na parede abdominal causando lesões no peritônio, órgãos internos e vasos sanguíneos;

PONTOS IMPORTANTES DE EMERGÊNCIAS TRAUMÁTICAS 21

Hipótese Diagnóstica: trauma abdominal aberto. Procedimentos: paciente apresentava sangramento de grande monta, sendo realizado acesso venoso periférico e infusão de 1500 ml de ringer lactato. Foi feita a limpeza do ferimento com soro fisiológico e aplicado curativo compressivo na região da ferida durante o transporte para o hospital terciário de referência.

Compartilhe com seus amigos:
Compartilhe com seus amigos:
Política de Privacidade. © Copyright, Todos os direitos reservados.