Livros

Manual de Atendimento Pré-Hospitalar

Leia o Livro Completo
Índice
2.11
Índice
1.

CASOS DE EMERGÊNCIAS CLÍNICAS

1.1

CASO 1

1.2

CASO 2

1.3

CASO 3

1.4

CASO 4

1.5

CASO 5

1.6

CASO 6

1.7

CASO 7

1.8

CASO 8

1.9

CASO 9

1.10

CASO 10

1.11

CASO 11

1.12

CASO 12

1.13

CASO 13

1.14

CASO 14

2.

CASOS DE EMERGÊNCIAS TRAUMÁTICAS

2.1

CASO 15

2.2

CASO 16

2.3

CASO 17

2.4

CASO 18

2.5

CASO 19

2.6

CASO 20

2.7

CASO 21

2.8

CASO 22

2.9

CASO 23

2.10

CASO 24

2.11

CASO 25

2.12

CASO 26

2.13

CASO 27

2.14

CASO 28

CENÁRIO DE EMERGÊNCIAS TRAUMÁTICAS 25

O solicitante do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), popular que estava na cena, relatou à TARM que o paciente masculino, 28 anos, encontrava-se em via pública, após colisão moto-carro. Ao falar com o médico regulador, o solicitante refere que o paciente estava consciente, mas com lesões em membro inferior direito e no ombro esquerdo. Relata também que este fazia uso de capacete no momento do acidente, mas que parecia ter bebido. Foi encaminhada, pelo médico, Unidade de Suporte Básico (USB).

AVALIAÇÃO DA CENA DE EMERGÊNCIAS TRAUMÁTICAS 25

Ao chegar ao endereço fornecido, a equipe certificou-se de que o ambiente não oferecia risco aos socorristas e ao paciente e que se tratava de um local seguro, sendo, portanto, iniciado o atendimento.

AVALIAÇÃO PRIMÁRIA DE EMERGÊNCIAS TRAUMÁTICAS 25

A: via aérea pérvia. B: respiração normal, frequência respiratória 19 ipm, SpO2 =96%. C: pulso cheio, simétrico, regular, mucosas ressecadas, sem palidez

AVALIAÇÃO SECUNDÁRIA DE EMERGÊNCIAS TRAUMÁTICAS 25

Pressão arterial=120x70mmHg; frequência cardíaca=93bpm; frequência respiratória=19irpm. S: nega lombalgia e cervicalgia, refere dor em membro inferior. A: nega alergias. M: não está em uso de nenhuma medicação. P: sem comorbidades

PONTO DE DISCUSSÃO DE EMERGÊNCIAS TRAUMÁTICAS 25

1. Qual o provável diagnóstico? 2. Quando suspeitar e quais os achados clínicos? 3. Como conduzir um paciente com fratura exposta de extremidades no pré-hospitalar? 4. Quais os diagnósticos diferenciais prováveis? 5. O que é importante saber?

DISCUSSÃO DE EMERGÊNCIAS TRAUMÁTICAS 25

s fraturas são classificadas em fechadas e expostas. Nas fraturas fechadas não ocorre a comunicação dos fragmentos ósseos ou do seu hematoma com o meio ambiente ou com uma cavidade contaminada. Já nas fraturas expostas, há uma comunicação dos fragmentos ósseos ou do seu hematoma com o meio ambiente ou com uma cavidade contaminada. Podem ser classificadas ainda de acordo com o padrão, sendo para isso necessário fazer uma radiografia. Na fratura, a velocidade do

DIAGNÓSTICOS DIFERENCIAIS DE EMERGÊNCIAS TRAUMÁTICAS 25

A suspeita é geralmente levantada durante a anamnese clínica,

OBJETIVOS DE APRENDIZADO/COMPET DE EMERGÊNCIAS TRAUMÁTICAS 25ÊNCIAS

• Saber identificar as fraturas expostas de extremidades. • Compreender o manejo inicial de um paciente desse tipo de trauma. • Dar prioridade e rapidez ao atendimento dessa emergência. • Saber conduzir o paciente com fratura exposta de extremidades no atendimento pré-hospitalar.

PONTOS IMPORTANTES DE EMERGÊNCIAS TRAUMÁTICAS 25

1. Sempre tentar identificar a cinemática do trauma e possíveis complicações. 2. Priorizar o controle da hemorragia e avaliar e reavaliar os sinais vitais do paciente

SOLUÇÃO DO CENÁRIO DE EMERGÊNCIAS TRAUMÁTICAS 25

Hipótese Diagnóstica: fratura exposta de extremidades. Procedimentos: imobilização do MID, curativo acolchoado, oximetria. Desfecho: o paciente foi imobilizado, e feito monitorização com oximetria de pulso, sendo realizada a regulação com a central de atendimento, que direcionou o transporte rápido para o hospital de referência.

Compartilhe com seus amigos:
Compartilhe com seus amigos:
Política de Privacidade. © Copyright, Todos os direitos reservados.