Livros

Manual de Atendimento Pré-Hospitalar

Leia o Livro Completo
Índice
2.14
Índice
1.

CASOS DE EMERGÊNCIAS CLÍNICAS

1.1

CASO 1

1.2

CASO 2

1.3

CASO 3

1.4

CASO 4

1.5

CASO 5

1.6

CASO 6

1.7

CASO 7

1.8

CASO 8

1.9

CASO 9

1.10

CASO 10

1.11

CASO 11

1.12

CASO 12

1.13

CASO 13

1.14

CASO 14

2.

CASOS DE EMERGÊNCIAS TRAUMÁTICAS

2.1

CASO 15

2.2

CASO 16

2.3

CASO 17

2.4

CASO 18

2.5

CASO 19

2.6

CASO 20

2.7

CASO 21

2.8

CASO 22

2.9

CASO 23

2.10

CASO 24

2.11

CASO 25

2.12

CASO 26

2.13

CASO 27

2.14

CASO 28

CENÁRIO DE EMERGÊNCIAS TRAUMÁTICAS 28

Paciente masculino, 32 anos, politraumatizado, entubado, com amputação cirúrgica em MIE, em uso de sedoanalgesia e droga vasoativa. Aparelho pulmonar apresenta murmúrio vesicular presente bilateral e universalmente, sem ruídos adventícios, em uso de ventilação mecânica com os seguintes parâmetros: modo assistido-controlado, frequência respiratória=16 irpm, volume=450ml, PEEP=5 e FiO2 =100%. Foi permitida transferência após avaliação do cirurgião vascular. Pupilas estão mióticas, não fotorreagentes. Pele está vermelha e quente.

AVALIAÇÃO PRIMÁRIA DE EMERGÊNCIAS TRAUMÁTICAS 28

A: paciente em uso de intubação orotraqueal (IOT). B: expansibilidade torácica simétrica, murmúrio vesicular presente e simétrico à ausculta, respiração normopneica (FR=16irpm), SpO2 =100%. C: pulso cheio, forte, simétrico, regular, mucosas normocoradas. D: GCS = 3, pupilas mióticas e não fotorreativas.

AVALIAÇÃO SECUNDÁRIA DE EMERGÊNCIAS TRAUMÁTICAS 28

Pressão arterial=190x150 mmHg; frequência cardíaca=130 bpm; frequência respiratória=16irpm; temperatura axilar=36,5ºC.

PONTO DE DISCUSSÃO DE EMERGÊNCIAS TRAUMÁTICAS 28

1. Qual é a definição de transporte inter-hospitalar? 2. O que são unidades solicitante e executante? 3. Quais são as atribuições das Centrais de Regulação nesses casos? 4. Quais são as atribuições do serviço médico solicitante, equipe de transporte e equipe médica receptora? 5. Quais informações acerca do paciente transportado devem ser repassadas entre a unidade solicitante e a executante?

DISCUSSÃO DE EMERGÊNCIAS TRAUMÁTICAS 28

Transporte inter-hospitalar é definido como a transferência de pacientes entre unidades hospitalares ou não hospitalares que sejam referências no atendimento, no diagnóstico e/ou na terapêutica de urgência

OBJETIVOS DE APRENDIZADO/COMPETÊNCIAS DE EMERGÊNCIAS TRAUMÁTICAS 28

• Compreender a definição e o objetivo do transporte inter-hospitalar. • Diferenciar unidade solicitante e unidade executante no transporte inter-hospitalar. • Reconhecer as devidas atribuições do serviço solicitante, da Central de Regulação, da equipe de transporte e do serviço receptor durante a realização de um transporte inter-hospitalar. • Reconhecer as principais informações acerca do paciente transportado que devem ser transmitidas entre o serviço solicitante e o serviço receptor.

PONTOS IMPORTANTES DE EMERGÊNCIAS TRAUMÁTICAS 28

1. Transporte inter-hospitalar é a transferência de pacientes entre unidades hospitalares ou não hospitalares referências no atendimento de urgências, de diagnóstico ou de terapêutica ou mesmo outras unidades de saúde que atuam na estabilização de pacientes graves, seja de caráter público ou privado. 2. Pode haver dois tipos de transferênci

SOLUÇÃO DO CENÁRIO DE EMERGÊNCIAS TRAUMÁTICAS 28

Procedimentos: feita oxigenoterapia com ventilação mecânica. O paciente permaneceu estável durante todo o transporte inter-hospitalar, sem haver alterações ou intercorrências nos parâmetros cardiovasculares e respiratórios. Desfecho: estado inalterado à chegada ao hospita

Compartilhe com seus amigos:
Compartilhe com seus amigos:
Política de Privacidade. © Copyright, Todos os direitos reservados.