Livros

Manual de Clínica Médica

Leia o Livro Completo
Índice
5.1

CÓLICA NEFRÉTICA

A cólica renal aguda ou cólica nefrética é um sintoma que cursa com dor intensa, sendo uma das principais procuras por atendimento médico em pronto-socorro. É mais frequente no sexo masculino, em adultos jovens (30 a 40 anos). Apresenta história familiar positiva, tendo relação com alterações anatômicas do trato urinário, como duplicidade pielocalicial, rim em ferradura, rim espôngio-medular e rins policísticos, por exemplo.

QUADRO CLÍNICO E DIAGNÓSTICO DE CÓLICA NEFRÉTICA

Dor lombar intensa, de início súbito, sem posição ou movimento atenuante, com irradiação dependendo da localização do cálculo renal: • Porção superior do ureter: a dor irradia anteriormente. • Extremidade inferior do ureter: a dor pode irradiar-se, no homem, para o testículo ipsilateral e, na mulher, para o lábio vaginal ipsilateral.

TRATAMENTO DE CÓLICA NEFRÉTICA

Se o paciente estiver estável e responder à terapia analgésica, exames de imagem podem ser adiados por duas a três semanas. Já em pacientes cujos cálculos não passem ou os sintomas persistam, necessita-se de exame de imagem. A internação hospitalar é necessária em pacientes que não toleram a ingestão oral ou que tem dor incontrolável ou febre.

CASO CLÍNICO DE CÓLICA NEFRÉTICA

Paciente do sexo masculino, 33 anos, dá entrada em pronto-socorro com dor intensa em região lombar há 5 horas e piora da dor há 2 horas, de início súbito, com irradiação para flanco esquerdo, sem fator atenuante ou agravante. Sinal de Giordano negativo. Concomitantemente, refere urina avermelhada, náuseas, vômitos e história prévia de nefrolitíase. PA: 140/90 mmHg; FC: 100 bpm; FR: 20 ipm; Tax: 37,5° C; SaO2 : 98%.

Compartilhe com seus amigos:
Compartilhe com seus amigos: