Livros

Manual de Clínica Médica

Leia o Livro Completo
Índice
11.6

GLAUCOMA AGUDO

O glaucoma é a segunda causa de cegueira mundial e quando ocorre de forma aguda é uma importante causa de urgência oftalmológica (UO). Essa patologia, também denominada glaucoma agudo primário (GAP), cursa com um rápido período de evolução podendo acarretar danos oculares por vezes irreversíveis.

ETIOLOGIA DO GLAUCOMA AGUDO

O GAP pode se apresentar de forma aguda, subaguda e crônica. Apenas a forma aguda é considerada uma UO, cursando quase sempre com PIO elevada, sendo o principal fator desencadeante da lesão neuropática glaucomatosa.

FISIOPATOLOGIA DO GLAUCOMA AGUDO

A doença glaucomatosa age atingindo o DO com perda de células ganglionares da retina, causando lesão neuropática. Os sintomas do glaucoma agudo ocorrem devido à rápida elevação da PIO que pode causar uma disfunção temporária das células do endotélio corneano e isquemia transitória da retina.

QUADRO CLÍNICO DO GLAUCOMA AGUDO

O quadro clínico cursa com sintomas clássicos, como dor ocular intensa e retro-orbitária, náusea, podendo gerar vômitos, cefaleia (em geral hemicraniana e ipsilateral), fotofobia, lacrimejamento, visão de halos coloridos e visão turva.

DIAGNÓSTICO DO GLAUCOMA AGUDO

O diagnóstico se faz pela anamnese e exame clínico em que se observa à biomicroscopia: íris com atrofia setorial, pupila dilatada não responsiva, sinéquias posteriores, epífora, cristalino em Glaukom Flecken (opacidade capsular ou subcapsular anterior associada fechamento angular primário agudo).

DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DO GLAUCOMA AGUDO

O glaucoma agudo faz diagnóstico diferencial com trauma ocular, ceratites, conjuntivites e uveítes. Com uma boa anamnese e exame clínico é possível diferenciar essas patologias.

TRATAMENTO DO GLAUCOMA AGUDO

Fechamento angular intermitente (subagudo); Fechamento angular agudo; Fechamento angular absoluto;

CASO CLÍNICO DO GLAUCOMA AGUDO

Paciente 61 anos, sexo feminino, aposentada, vai ao pronto-socorro relatando dor ocular intensa de início súbito no olho esquerdo, náusea, cefaleia hemicraniana, fotofobia, lacrimejamento e diminuição da acuidade visual. Nota-se também hiperemia conjuntival e midríase pupilar. Refere ter diagnóstico prévio de glaucoma, porém nunca tratou adequadamente.

Compartilhe com seus amigos:
Compartilhe com seus amigos: