Livros

Manual de Clínica Médica

Leia o Livro Completo
Índice
11.8

HORDÉOLO E CALÁZIO

O hordéolo também conhecido popularmente como “terçol” ou “bonitinho” é uma inflamação aguda, supurativa e nodular das pálpebras. Essa infecção pode acometer o folículo piloso e as glândulas de Zeis ou Moll (Hordéolo externo) ou as glândulas de Meibomius (Hordéolo interno).

FISIOPATOLOGIA E ETIOLOGIA DE HORDÉOLO E CALÁZIO

A obstrução e infecção aguda das glândulas de Zeis ou das glândulas de Meibomius pelo Staphylococcus aureus leva ao surgimento do hordéolo.

ACHADOS CLÍNICOS DE HORDÉOLO E CALÁZIO

Inicialmente, o hordéolo é caracterizado pelo aparecimento de hiperemia palpebral, aumento da sensibilidade, dor no bordo palpebral e prurido. Posteriormente, pode evoluir para a formação de abscesso focal, edema e endurecimento local. Tais sintomas têm duração de aproximadamente 7 a 14 dias. O hordéolo tende a evoluir para a drenagem espontânea do abscesso, tanto o interno quanto o externo, não sendo aconselhável o paciente tentar fazer a drenagem manual (apertando) e não é usual o oftalmologista fazer essa drenagem ambulatorialmente, estando essa situação a casos específicos.

DIAGNÓSTICO DE HORDÉOLO E CALÁZIO

A abordagem inicia-se com anamnese detalhada em busca de sinais e sintomas oculares característicos. O diagnóstico é clínico e realizado através do exame físico e na Lâmpada de Fenda.

DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DE HORDÉOLO E CALÁZIO

Existem afecções que fazem diagnóstico diferencial com hordéolo e o calázio, sendo as mais comuns: blefarite, conjuntivite, celulite pré-septal ou orbital, trauma, dermatite de contato, canaliculite, dermatite por herpes simples/zóster, carcinoma basocelular e/ou carcinoma de células escamosas

TRATAMENTO DE HORDÉOLO E CALÁZIO

O tratamento do hordéolo baseia-se em: • Compressa de água morna durante 15 minutos, 3 vezes ao dia, por 14 dias. • Massagem compressiva e circular sobre o local, durante 15 segundos, 4 vezes ao dia (é usado para auxiliar na drenagem);

CASO CLÍNICO DE HORDÉOLO E CALÁZIO

Paciente sexo feminino, 20 anos, deu entrada no pronto atendimento, queixando-se de hiperemia, edema, prurido e dor em região de pálpebra inferior esquerda há três dias. Relata também surgimento de pequena nodulação dolorosa no local há um dia. Não apresenta alteração da acuidade visual. Ao exame físico apresentou, no olho esquerdo, edema e hiperemia em pálpebra inferior, com pequeno abscesso focal e acuidade visual de 20/20. No olho direito, apresentou resultado sem alteração à ectoscopia e acuidade visual 20/20.

Compartilhe com seus amigos:
Compartilhe com seus amigos: