Livros

Manual de Clínica Médica

Leia o Livro Completo
Índice
8.9

TRAUMA RAQUIMEDULAR

Traumatismo raquimedular (TRM) é a lesão da medula espinhal que provoca alterações, temporárias ou permanentes, na função motora, sensibilidade ou função autonômica. Caracterizado por uma agressão, na maioria das vezes de força mecânica, que acarreta lesão anatômica ou funcional à coluna vertebral e/ou à medula espinhal ou raízes nervosas em qualquer dos seus segmentos.

ETIOLOGIA E FISIOPATOLOGIA DA TRAUMA RAQUIMEDULAR

Acidentes automobilísticos (30%), queda de altura (20%), acidente por mergulho em água rasa (frequentes no verão) (21%), ferimentos por arma de fogo (12%), acidentes esportivos (2%) têm sido as principais causas de traumatismo raquimedular.

QUADRO CLÍNICO DO TRAUMA RAQUIMEDULAR

Os sinais e sintomas mais comuns são: dor no pescoço e/ou nas costas; dor ao movimentar o pescoço e/ou as costas; dor à palpação da região posterior do pescoço e/ou da linha média das costas; deformidade da coluna vertebral; paralisia, paresia, dormência ou formigamento nas pernas ou braços em qualquer momento após o acidente; sinais e sintomas de choque neurológico: hipotensão com bradicardia, perda do controle simpático, extremidades quentes, diurese normal; priapismo (ereção peniana dolorosa); paralisia de diafragma, se atingir cervical média e alta; hipoventilação por atingir músculos intercostais, se atingir cervical baixa e torácica alta; respiração abdominal e uso de musculatura acessória.

TRATAMENTO DO TRAUMA RAQUIMEDULAR

O tratamento de um TRM tem como objetivo imediato deter a lesão, preservar e, se possível, restaurar funções neurológicas afetadas e principalmente evitar complicações secundárias. Paciente com suspeita de lesão deve ser imobilizado no local do acidente, se for o caso, com colar cervical rígido e colocado em uma prancha dorsal e levado ao atendimento hospitalar. A adesão aos protocolos do ATLS (Advanced Trauma Life Support) é importante para otimizar o resultado do atendimento dos pacientes traumatizados.

CONCLUSÕES SOBRE TRAUMA RAQUIMEDULAR

O conhecimento dos mecanismos fisiopatológicos no trauma raquimedular é importante para o entendimento das características das diversas lesões. Os métodos por imagem são essenciais no seu diagnóstico e estadiamento devendo ser sempre correlacionado ao quadro clínico. O prognóstico de vida dos pacientes depende do grau e nível de lesão neurológica e idade do paciente, além do tempo para o início das condutas médicas.

Compartilhe com seus amigos:
Compartilhe com seus amigos: